As políticas de democratização do acesso e as mudanças no perfil socioeconômico dos estudantes de engenharia na UFRN / The policies of democratization of access and the changes in the socioeconomic profile of engineering students from UFRN

Magda Maria Pinheiro de Melo, Isauro Beltran Núñez, Raquel Basílio dos Santos

Abstract


O presente trabalho tem por objetivo analisar e caracterizar mudanças no perfil socioeconômico dos alunos dos cursos de engenharia após a implantação de políticas de democratização do acesso adotadas pela UFRN. Entre elas, destacam-se o Argumento de Inclusão e a Lei n. 12.711/2012, conhecida como Lei de Cotas. Com o objetivo de identificar as possíveis mudanças no perfil socioeconômicodos estudantes de engenharia, foram escolhidos 5 cursos de engenharia (Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Química e Engenharia Têxtil), que ofertaram vagas nos Vestibulares (2005 e 2012) e no Sisu (2016), e analisadas 4 variáveis (tipo de escola do Ensino Médio, raça/etnia, renda familiar e exercício de atividade remunerada) representativas das novas políticas de democratização do acesso. Analisando as variáveis, conclui-se que existiram mudanças significativas no perfil socioeconômico dos estudantes de engenharia que ingressaram nos cursos de graduação da UFRN, nos anos de 2005, 2012 e 2016.  Após a adoção das políticas de democratização, percebe-se que os cursos de engenharia avaliados apresentam mais estudantes oriundos do Ensino Médio público,de pretos pardos e indígenas, de trabalhadores e pertencentes à família com renda mensal menor que cinco salários mínimos Em contrapartida, diminuiu o percentual de estudantes oriundos de escolas privadas, de brancos, de não trabalhadores edos que têm renda familiar mensal maior que 5 salários.

 


Keywords


Estudantes de Engenharia. Acesso. Democratização. Perfil socioeconômico.

References


BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 23 de dezembro de 1996.Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2018.

BRASIL. Lei n. 11.096, de 13 de janeiro de 2005. Institui o Programa Universidade para Todos - PROUNI, regula a atuação de entidades beneficentes de assistência social no ensino superior; altera a Lei no 10.891, de 9 de julho de 2004, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 14 de janeiro de 2005.Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2018.

BRASIL. Lei n. 12.202, de 14 de janeiro de 2010.Dispõe sobre o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior – FIES. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 15 de janeiro de 2010.Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2018.

BRASIL. Lei n. 12.688, de 18 de julho de 2012.Institui o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies). Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 19 de julho de 2012.Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2018.

BRASIL. Lei n. 12.711, de 29 de agosto de 2012.Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências.Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 30 de agosto de 2012.Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2018.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 26 de junho de 2014.Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2018.

BRASIL. Decreto n. 6.094, de 24 de abril de 2007.Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 25 de abril de 2007.Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2018.

BRASIL. Decreto n. 6.095, de 24 de abril de 2007.Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 25 de abril de 2007.Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2018.

BRASIL. Decreto n. 6.096, de 24 de abril de 2007.Estabelece diretrizes para o processo de integração de instituições federais de educação tecnológica, para fins de constituição dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFET, no âmbito da Rede Federal de Educação Tecnológica.Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 25 de abril de 2007.Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2018.

BRASIL. Decreto n. 7.824, de 11 de outubro de 2012.Regulamenta a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 16 de outubro de 2012.Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2018.

COSTA, S.F. Introdução Ilustrada à Estatística (com muito humor!).2ed., São Paulo: Harbra, 1992.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA – INEP. Relatório Pedagógico ENEM 2011-2012. Brasília. 2015. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/relatorios-pedagogicos. Acesso em: 02 fev. 2018.

FUNDAÇÃO INSTITUTOBRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE.Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro. 2010.Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/. Acesso em: 02 fev. 2018.

RISTOFF, Dilvo. Perfil socioeconômico do estudante de graduação:uma análise de dois ciclos completos do Enade (2004 a 2009). Rio de Janeiro: Flacso/Brasil – Cadernos do GEA, n. 4, jul./dez. 2013. Disponível em: http://flacso.redelivre.org.br/files/2015/03/Caderno_GEA_N4.pdf. Acesso em: 24 jan. 2018.

RISTOFF, Dilvo. O novo perfil do campus brasileiro: uma análise do perfil socioeconômico do estudante de graduação. Avaliação, Campinas; Sorocaba, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 723-747, 2014. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/2191/219132213010/. Acesso em: 24 jan. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – UFRN. OBSERVATÓRIO DA VIDA O ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO – OVEU.Vestibular 2005 e 2012. Disponível em: http://www.comperve.ufrn.br/conteudo/observatorio/. Acesso em: 08 fev. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34115/basr.v2i7.655

Refbacks

  • There are currently no refbacks.