A Importância do Tratamento Odontológico em pacientes em UTI na diminuição de problemas relacionados à Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM) : uma Revisão de Literatura/ The Importance of Dentistry Treatment in UTI patients in Reducing problems related to Mechanical ventilation associated pneumonia: a literature review

Ricardo Romulo Batista Marinho, Márcia Karoline da Silva Francelino, Myllena Maria Ferreira Canuto

Resumo


Objetivo: Demonstrar a relevância do papel do Cirurgião Dentista (CD) como profissional efetivo nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), dispondo como desígnio à prevenção de possível ocorrência de Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM). Revisão bibliográfica: Nas últimas décadas o CD vêm ganhando bastante importância e espaço no ambiente hospitalar, principalmente quando refere-se a indivíduos internados em UTI’s. Esses profissionais possuem conhecimentos técnicos e científicos dos quais podem diminuir possíveis agravos com relação a infecções em pacientes que encontram-se entubados. Os CD’s assumem um papel de ser um membro na equipe multiprofissional existente nos hospitais, tendo como propósito assegurar a assistência de maneira integral aos indivíduos que necessitam, e encontram-se nas UTI’s ou até mesmo nos ambulatórios. Tais condutas nos processos terapêuticos asseguram na maioria das vezes a redução da propagação de microrganismos responsáveis pelo surgimento de biofilmes com agentes patogênicos responsáveis pelo surgimento da PAVM. Considerações Finais: A presença do CD nas UTI’s é indispensável no que se refere a infecções da cavidade bucal e trato respiratório, principalmente quando se fala sobre a PAVM, tendo em vista através de artigos científicos que a presença desses profissionais reduzem o tempo do paciente, diminuindo assim as despesas hospitalares.


Palavras-chave


Assistência Ambulatorial, Equipe Hospitalar de Odontologia, Saúde Bucal, Unidades de Terapia Intensiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONELLI M, et al. Year in review in Intensive Care Medicine 2012. II: Pneumonia and infection, sepsis, coagulation, hemodynamics, cardiovascular and microcirculation, critical care organization, imaging, ethics and legal issues. Intensive Care Med 2013 Dez; 39:345–364.

BASSAN LT, et al. Oral care in prevention of ventilator-associated pneumonia in neonatal and pediatric intensive care unit: protocol proposal. Brazilian Journal of Dentistry, Rio de Janeiro, 2018; v. 75.

BERGAN EH, et al. Impact of improvement in preoperative oral health on nosocomial pneumonia in a group of cardiac surgery patients: a single arm prospective intervention study. Intensive Care Med 2014; 40:23–31.

BEZERRA EL, et al. Prevalência de pneumonia em pacientes de uma unidade de terapia intensiva de um hospital-escola de Fortaleza – CE. Rev Bras Promoç Saúde. 2012; 25(2):20- 24.

CANZI RK, COLACITE J. Frequência de pneumonia associada à ventilação mecânica com base em resultados de culturas quantitativas de secreções traqueais. RBAC, 2016; 48(18):118- 22.

FRANCO JB, et al. Higiene bucal para pacientes entubados sob ventilação mecânica assistida na unidade de terapia intensiva: proposta de protocolo. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, São Paulo, 2014; v. 59, n. 3, p. 126.

GADELHA RD, et al. Relação entre a presença de microrganismos patogênicos respiratórios no biofilme dental e pneumonia nosocomial em pacientes em unidade de terapia intensiva: revisão de literatura. Revista saúde & ciência 2011; 2(1):95- 104.

GOMES SF, ESTEVES MCL. Atuação do cirurgião- dentista na UTI: um novo paradigma. Rev. bras. Odontologia, 2014; 69(1):67-70.

LEV A, et al. The effect of different oral hygiene treatments on the occurrence of ventilator associated pneumonia (VAP) in ventilated patients. Journal of Infection Prevention 2015 Out; 16(2):76-81

MURAMATSU K, et al. Comparison of wiping and rinsing techniques after oral care procedures in critically ill patients during endotracheal intubation and after extubation: a prospective cross- over trial. Japan Journal of Nursing Science, [S.l.],2018; v. 16, n. 1: 80-87.

NUNES RJA, et al. Análise da redução de pneumonia nosocomial no CTI após inclusão do Cirurgião Dentista na equipe multidisciplinar. Rev. Odontologia (ATO) 2014 Jan; 14(1): 28-35.

ORY J, et al. Comparative study of 2 oral care protocols in intensive care units. American Journal of Infection Control, [S.l.], 2017; v. 45, n. 3: 245-250.

PACE CC, et al. The Association Between Oral Microrganisms and Aspiration Pneumonia in the Institutionalized Elderly: Review and Recommendations. Springer Science Business Media 2010; 25:307–322.

PASETTI LA, et al. Atuação da Odontologia em UTI com pacientes submetidos à ventilação mecânica. Rev. Odontologia (ATO), Bauru, SP, 2014; v. 14, n. 2: 100-108.

PIMENTEL ELC. Avaliação da eficácia de um protocolo de higiene bucal na prevenção de infecções no pós- operatório infantil em crianças submetidas à cirurgia cardíaca. [Tese] Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas; 2012.

SILVA A, MORAIS TM. Fundamentos da odontologia em ambiente hospitalar/UTI. 1 ed. Rio de janeiro: Elsevier, 2015, 440 p.

SOH KL, et al. Oral care practice for the ventilated patients in intensive care units: a pilot survey. J Infect Dev Ctries. 2012 Apr 13 ;6(4):333-9.

SPEZZIA S. Pneumonia nosocomial, biofilme dentário e doenças periodontais. Revista da Sociedade Brasileira de Periodontologia, [S.l.], 2019; v. 29 n. 2 p. 65-72.

WISE MP, WILLIAMS DW. Oral care and pulmonary infection - The importance of plaque scoring. Critical Care. 2013; 17(1):101.

YU-MEI LIAO, et al. The effectiveness of an oral health care program for preventing ventilator- associated pneumonia. British Association of Critical Care Nurses, Taiwan, 2014; v. 20, n. 2: 89-97.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n4-010

Apontamentos

  • Não há apontamentos.