Revisão integrativa da literatura sobre o aumento no consumo de psicotrópicos em transtornos mentais como a depressão / Integrative review of the literature on the increase in consumption of psychotropics in mental disorders like depression

Gleicy Kelly China Quemel, Erociara Pinheiro Da Silva, Wellington Rocha Conceição, Maurício Ferreira Gomes, Juan Gonzalo Bardalez Rivera, Glenda Keyla China Quemel

Resumo


O uso de psicotrópicos é um tema que preocupa a maioria dos profissionais da área da saúde e das autoridades sanitárias, pois o consumo vem aumentando gradativamente nos últimos tempos. A importância de estudos que abrangem essa temática justifica-se pela possibilidade dos pacientes serem orientados não só a respeito da melhor modalidade terapêutica para seu caso, mas também em relação à correta utilização destes medicamentos, visto que o uso mal orientado de psicofármacos envolve sérios riscos de agravos além da dependência. Dentro desse contexto o presente estudo objetiva realizar uma revisão integrativa da com apoio da análise documental de Bardin, cuja pergunta norteadora foi “Quais os motivos do consumo de Psicotrópicos em doenças como a Depressão?”. A busca pelas literaturas se deu na Biblioteca Virtual de Saúde, na biblioteca eletrônica do SCIELO e na base de dados MEDLINE. Os descritores utilizados, indexados no DeCS, foram :[psicotrópicos], [depressão], [antidepressivos] e [Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias]. Os critérios de inclusão foram: literaturas completas e disponíveis nos idiomas inglês e português no período de 2015 a abril de 2021, e exclusas literaturas duplicadas e pagas. A seleção resultou no total de 25 literaturas, em 56% abordaram sobre farmacologia dos medicamentos psicotrópicos; interações medicamentosas envolvendo medicamentos sujeitos a controle especial pela portaria 344/98 da ANVISA, depressão e o aumento de diagnósticos significativos nos últimos anos, 12% a sobre o novo Corona Vírus, e 32% retratam possíveis comorbidades associadas a depressão. Com base no que foi analisado neste estudo pode-se perceber a relevância dos medicamentos psicotrópicos para o tratamento dos pacientes portadores de transtorno mental como a depressão, um mal que atinge o ser humano independente de raça, cor, gênero, sexo, idade e classe econômica, assim como o aumento do consumo dessa classe de medicamentos, que podem causar dependência química e efeitos colaterais. Portanto, é necessário um cuidado especial aos pacientes que usam os psicotrópicos, a fim de que a terapia medicamentosa oferecida seja segura e racional.


Palavras-chave


Psicotrópicos, Depressão, Antidepressivos

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, C. A. et al. Ansiolíticos e antidepressivos dispensados na Atenção Básica: análise de custos e interações medicamentosas. J Bras Econ Saúde. v8 n2 p 99-107, 2016

AGUIAR, R. B. et al. Idosos vivendo com HIV – comportamento e conhecimento sobre sexualidade: revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, n. 2, p. 575-584, 2020

AZEVEDO, Â. J. P et al . Consumo de ansiolíticos benzodiazepínicos: uma correlação entre dados do SNGPC e indicadores sociodemográficos nas capitais brasileiras. Ciências e Saúde Coletiva, v. 21, n. 1, p. 83-90, 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229p

BALEN, E. et al Interações medicamentosas potenciais entre medicamentos psicotrópicos dispensados. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 66, ed. 3, p. 172-177, 2017

BARROS, M.B.A et al Report of sadness / depression, nervousness / anxiety and sleep problems in the Brazilian adult population during the COVID-19 pandemic. Epidemiol. Serv. Saúde , v. 29, ed. 4, p. 1-12, 2020

BRANDÃO, I. et al. Diabetes Mellitus Tipo 2, Depressão e Alterações do Comportamento Alimentar em Doentes Submetidos a Cirurgia Bariátrica. Acta Médica Portuguesa, v. 29, n. 3, p. 176-181, 2016.

CARLINI, E. A., et al. Drogas Psicotrópicas – O que são e como agem. Revista Imesc, n. 3, p. 9-35, 2001.

CIPRIANI, A. et al. Comparative efficacy and acceptability of 21 antidepressant drugs for the acute treatment of adults with major depressive disorder: a systematic review and network meta-analysis. The Lancet. v. 391, n. 10128, p. 1357-1366, 2018

CORRÊA, M. L. et al. Depressão em idosos de uma região rural do Sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, n. 6, p. 2083-2092, 2020.

CRUZ, F. N. O; BONFIM, A. J. Relação do diabetes mellitus com a depressão e seus mecanismos fisiopatológicos: uma revisão. e-Revista Facitec. v. 11, n. 1, p. 3-12, 2020.

DEMARCHI, M. E et al. Inibidores seletivos de recaptação de serotonina no tratamento da depressão: síndrome de descontinuação e/ou de dependência?. Research, Society and Development, v. 9, ed. 9, p. 1-20.

DUARTE, M. Q; et al. COVID-19 e os impactos na saúde mental: uma amostra do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, v. 25, ed. 9, p. 3401-3411

EVARISTA, A.P. e OLIVEIRA, F. A . Avaliação comparativa da segurança e eficácia entre venlafaxina e fluoxetina no tratamento da depressão. Revista Expressão Da Estácio v 2, p 104-111, 2019

FÁVERO, V. et al. Uso de ansioliticos: abuso ou necessidade?, Visão Acadêmica, v. 18, n. 4, p. 98-106, 2017

FARIAS, M. et al. Uso de psicotrópicos no brasil: uma revisão da literatura. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management v. 12, n. 4, p. 6-10, 2016.

FREIRES, I. A; GOMES, E. M. A. O Papel da Família na Prevenção ao uso de Substâncias Psicoativas. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 16, ed. 1, p. 99-104, 2012

GONÇALVES, A.M.C et al. Prevalência de depressão e fatores associados em mulheres atendidas pela Estratégia de Saúde da Família. J. bras. Psiquiatr vol.67, n.2, pp.101-109, 201

LUCIANO, N. A.; FARJE, L. A. D. F.. Histórico do uso de neuroimagem para estudo de depressão revisão bibliográfica. In: VIII Jornada cientifica e tecnológica da Fatec de Botucatu, v. 8, p. 1-8, 29, São Paulo, 2019.

MINAS, H.O. et al. Uso de medicamentos psicoativos pelos profissionais de saúde da Atenção básica. R. Saúde Públ. Paraná. v2 (Suppl 2), p38-46, 2019

MORAES FILHO, I. M. et al. Associação de estresse ocupacional e uso de psicotrópicos por docentes da área da saúde. Revista Promoção e Saúde, v 32, 2019

NAZARÉ, E.V.S et al. Fatores que influenciam na incidência da depressão em pacientes oncológicos e suas principais consequências: uma revisão de literatura. Revista Amazônica de Ciências Farmacêutica , v. 1, ed. 2, p. 70-86,2020

OLIVEIRA, J.R.F. et al Descrição no consumo de psicofármacos na atenção primaria a saúde de ribeirão preto SP Brasil. Cadernos de Saúde Pública. v.37 n.1,2021

ONOCKO-CAMPOS, R. T. et al. A Gestão Autônoma da Medicação: Uma Intervenção Analisadora de Serviços em Saúde Mental. Ciênc. Saúde coletiva, vol.18, n.10, pp. 2889-2898, 2013.

RABELLO, M.A.E.S. et al. Anxiety, depression and stress in excessive weight clients. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. , 2020.

RAMOS, T. B et al .Informação sobre benzodiazepínicos: o que a internet nos oferece?.Ciência e Saúde Coletiva, v. 25, ed. 11, p. 43511-4360.

RODRIGUES, P. S. et al. Uso e fontes de obtenção de psicotrópicos em adultos e idosos brasileiros. Ciência e Saúde Coletiva, v. 25, ed. 11, p. 4601-4614, 2020

SALVETTI, M.G. et al.Prevalência de sintomas e qualidade de vida em pacientes com câncer, Rev. Bras. Enferm. vol.73 no.2 , 2020

SANTOS, Herson et al. A utilização dos medicamentos psicotrópicos e seus fatores associados. Rev Inic Cient e Ext, v. 1, ed. 1, p. 51-56, 2018

SILVA, S.N. et al. Uso de medicamentos nos Centros de Atenção Psicossocial: análise das prescrições e perfil dos usuários em diferentes modalidades do serviço. Ciência e Saúde Coletiva. v. 25, ed. 7, p. 2871-2882

SILVA, V. P. O. et al. Escala de depressão geriátrica como instrumento assistencial do enfermeiro no rastreio de sintomas depressivos em idosos institucionalizados. Brazilian Journal Of Development: v. 6, n. 3, p. 12166-12177, 2020

SILVA, P. Farmacologia. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2010. 203 p.

SFORZINI, L.; et al. Inflammation in cancer and depression: a starring role for the kynurenine pathway. Psychopharmacology, v 236, p. 2997-3011, 2019

REIS, R. K. Avaliação dos sintomas depressivos somáticos e afetivo-cognitivos de pessoas vivendo com HIV/AIDS. Acta paul. enferm., vol.30, n.1, pp.60-65, 2017

PRADO, M. et al. Uso de medicamentos psicotrópicos em adultos e idosos residentes em Campinas, São Paulo: um estudo transversal de base populacional. Epidemiologia e serviços de saúde, v. 4, p. 747-758, 2017

PRIETSCH, R. F. Estudo da prescrição do antidepressivo fluoxetina no tratamento para a depressão na cidade de Pelotas. Revista eletrônica de Farmácia, v. 12, ed. 2, p. 52-71, 2017

ZORZANELLI, R. T et al. Consumo do benzodiazepínico clonazepam (Rivotril®) no estado do Rio de Janeiro, Brasil, 2009-2013: estudo ecológico. Ciência e Saúde Coletiva, v. 24, ed. 8, p. 3129-3140.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n3-008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.