Avaliação da germinação de sementes de açaízeiro (Euterpe oleracea M.) Submetidas à inoculação de 19 linhagens de bactérias isoladas no semiárido / Evaluation of seeds germination of açaízeiro (Euterpe oleracea M.) Submitted to the inoculation of 19 lines of semi-arid isolated bacteria.

Ugo L. R. Machado, Sara Monaliza C. Carvalho, Salvador B. Torres, Fernanda Matias

Resumo


O açaizeiro é uma fruteira nativa da Amazônia que vem conquistando o mercado nacional e internacional mediante comercialização da bebida in natura (suco), bem como da congelada. Essa bebida é obtida pelo processamento da parte comestível dos seus frutos, que são denominados açaí. A aplicação de reguladores de crescimento via semente tem sido proposta por várias empresas. Esses reguladores são definidos como substâncias naturais ou sintéticas que podem ser aplicadas diretamente nas plantas, em sementes e no solo, com a finalidade de incrementar a produção e melhorar a germinação das sementes. As classes de reguladores vegetais reconhecidas são as auxinas, giberelinas, citocininas, retardadores e inibidores, e o etileno. As auxinas também são produzidas durante o processo de germinação e estão envolvidas na permeabilidade das membranas e possuem relação direta com o crescimento de plântulas. Objetivou-se avaliar a germinação das sementes de açaízeiro inoculadas com 19 linhagens de bactérias coletadas na região do Semiárido potiguar capazes de fixar nitrogênio, solubilização de fosfato e produzir auxinas. O experimento foi conduzido no Laboratório de Nanobiotecnolgia e Biorreatores – LABIN e no Laboratório de Análises de Sementes ambos pertencentes a Universidade Federal Rural do Semi-Árido. Foram inoculadas três sementes de açaí para cada grupo de bactéria, sendo que em uma amostra foi administrada sem a inoculação a fim de verificar a evolução. O teste de germinação foi conduzido em papel toalha (Germitest®) que foi acondicionado em sacos plásticos transparente e colocados em câmaras de germinação do tipo Biochemical Oxigen Demand (B.O.D.), com fotoperíodo artificial adequado. Dez 10 dias após a semeadura, verificou-se que grande parte das sementes inoculadas com bactéria germinaram. As que foram inoculadas com as de número BAC 5, BAC 13 e BAC 15 tiveram crescimento acelerado (mais vigorosas) apresentando nodulação nas raízes e liberando exudado de cor roseado. Equanto que as inoculadas com os números 0, BAC 1, BAC 2, BAC 3, BAC 4, BAC 6, BAC 9, BAC 12 e BAC 14 resultaram em germinação lenta e menos vigorosas. Já as de números BAC 7, BAC 8, BAC 10, BAC 11, BAC 17, BAC 18, BAC 20 e BAC 27 obtiveram crescimento moderado. Com relação ao período previsto para a germinação, as sementes que foram inoculadas com as bactérias germinaram em tempo muito inferior ao previsto em média (90 dias).


Palavras-chave


.

Texto completo:

PDF

Referências


Alexanratos, N., Bruinsma, J., 2012. World Agriculture Towards 2030/2050: The 2012 Revision ESA Working Paper No. 12-03. FAO, Rome. BERG G. Plant-microbe interactions promoting plant growth and health: perspectives for controlled use of microrganisms in agriculture. Applied Microbiology and Biotechnology, v. 84, p. 11-18, 2009.

Carmo Filho F, Oliveira OF (1995) Mossoró: Um município do semi-árido nordestino, caracterização climática e aspecto florístico. Mossoró: ESAM. 62p.

CASSÁN, F.D.; GARCIA DE SALAMONE, I. (Ed.) Azospirillum sp.: cellphysiology, plant interactions and agronomic research in Argentina. Argentina: Asociación Argentina de Microbiologia, 2008. p.87-95.

DAVISON, J. Plant benefi cial bacteria. Bio/Technology, v.6, p.282-286,1988.

DOBBELAERE, S.; VANDERLEYDEN, J.; OKON, Y. Plant growth-promoting eff ects of diazotrophs in the rhizosphere. Critical Reviews in Plant Sciences, v.22, p.107- 149, 2003.

Editorial, 2010. How to feed a hungry world. Nature 466, 531–532.

GARCIA DE SALAMONE, I.E.; DÖBEREINER, J.; URQUIAGA, S.; BODDEY,.R.M. Biological nitrogen fi xation in Azospirillum strain-maize genotype associations as evaluated by 15N isotope dilution technique. Biology and Fertility of Soils, v.23, p.249-256, 1996.

Gatehouse, A.M.R., Ferry, N., Edwards, M.G., Bell, H.A., 2011. Insect-resistant biotech crops and their imacts on beneficial arthropods. Philos. Trans. R. Soc. B 366, 1438–1452.

GUEDES, C. et al. Testes de quebra de dormência em sementes de açaí. Anais do programa ciência na escola. V.2 (1), 2014.

HUERGO, L.F.; MONTEIRO, R.A.; BONATTO, A.C.; RIGO, L.U.; STEFFENS,

M.B.R.; CRUZ, L.M.; CHUBATSU, L.S.; SOUZA, E.M.; PEDROSA,F.O. Regulation of nitrogen fi xation in Azospirillum brasilense. In:CASSÁN, F.D.; GARCIA DE SALAMONE, I. Azospirillum sp.: cell physiology,plant interactions and agronomic research in Argentina. Asociación Argentina de Microbiologia, Argentina, 2008. p.17-35.

KLOEPPER, J.W.; LIFSHITZ, R.; ZABLOTOWICZ, R.M. Free-living bacterial inocula for enhancing crop productivity. Trends in Biotechnology. v.7, p.39-43, 1989.

L. M. V. Martins et al., Contribution of biological nitrogen fixation to cowpea:

a strategy for improving grain yield in the semi-arid region of Brazil. Embrapa agobiologia 2003

Lesk, C., Rowhani, P., Ramankutty, N., 2016. Influence of extreme weather disasters on global crop production. Nature 529, 84–87.

MEEROW, A.W. Palm seed germination. Florida: Cooperative Extension Service, 10p. (Boletim Técnico, 274).

MÜLLER, C.H.; KAHWAGE, O. de N. da C.; GUIMARÃES,P.E. de O.; ALBUOUEROUE, F.C.; SILVA, A. de B.Comportamento de fruteiras tropicais em cultivo simples e consorciado. Relatório Técnico Anual do Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Úmido. Belém, 1983.

p.96-105.

Vinocur, B., Altman, A., 2005. Recent advances in engineering plant tolerance to abiotic stress: achievements and limitations. Curr. Opin. Biotechnol. 16, 123– 132.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n1-008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.