O uso do WPR para monitoramento ambiental de extração de areia em leito de rio ativo: estudo de caso nos Rios Preto e Paquequer em São José do Vale do Rio Preto, RJ / The use of WPR for environmental monitoring of sand extraction in active riverbed: case study in Rio Preto and Paquequer in São José do Vale do Rio Preto, RJ

Gleide Alencar do Nascimento, Calvin Tamanqueira do Couto, Edson Farias Mello

Resumo


Este trabalho utiliza do método geofísico Radar de Penetração em Água (Water Penetration Radar - WPR), visando o monitoramento da extração de areia em leito de rio como instrumento de controle ambiental, assim como permite determinar os melhores trechos a serem lavrados. A área do empreendimento selecionado está localizada em dois polígonos, com cerca de 88 hectares, nos rios Preto Fluminense e Paquequer, em São José do Vale do Rio Preto, RJ. O WPR estuda a propriedade física do solo (permissividade dielétrica) e utiliza ondas eletromagnéticas de altas frequências (ondas de rádio), na faixa de 10 a 2500 MHz sob o solo. A vantagem do método é que evita impacto ao meio ambiente e atribuí agilidade na aquisição dos dados, o qual agrega um custo menor ao cliente interessado em uma determinada área. Para aquisição dos dados o equipamento é colocado sobre um barco de fibra, o qual navega de um a margem à outra transversalmente ao rio, em 4 pontos distribuídos dentro dos polígonos. Após a aquisição de 4 diferentes linhas em locais ao longo do curso fluvial, os dados são então processados utilizando o programa ReflexW 5.0. Os resultados obtidos permitem avaliar a espessura do material arenoso a ser lavrado como também a coluna d`água sobre o mesmo além do contato inferior entre o material arenoso e o substrato onde está assentado. Dessa forma o método adotado revela-se eficaz como um instrumento de apoio para o monitoramento ambiental associado à extração de areia em ambiente fluvial ativo, permitindo avaliar as características físicas do depósito fluvial assim como a taxa de reposição do material arenoso durante o processo de explotação.


Palavras-chave


WPR, extração de areia, monitoramento ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BOWLING, J. C., HARRY, D. L., RODRIGUEZ, A. B., & ZHENG, CH. 2007. Integrated geophysical and geological investigation of a heterogeneous fluvial aquifer in Columbus Mississippi. Journal of Applied Geophysics, 62, 58 e 73.

EKES, C., & HICKIN, E. J. 2001. Ground penetrating radar facies of the paraglacial Cheekye Fan, southwestern British Columbia, Canada. Sedimentary Geology, 143, 199 e 217.

FROESE, D. G., SMITH, D. G., & CLEMENT, D. T. 2005. Characterizing large river history with shallow geophysics: middle Yukon River, Yukon Territory and Alaska. Geomorphology, 67, 391e406.

LECLERC, R. F., & HICKIN, E. J. 1997. The internal structure of scrolled floodplain deposits based on ground penetrating radar, North Thompson river, British Columbia. Geomorphology, 21, 17 e 38

MILSON, J.; ERIKSEN, A. 2011. The geological fields guide series: Field Geophysics. 4a Edição. Chichester. John Wiley & Sons Ltd. 2011.

NEAL, A. 2004. Ground penetrating radar and its use in sedimentology: principles, problems and progress. Earth-Science Reviews, 66, 261e330.

ROCHA, P.L.F. 2003. Aplicações de técnicas geofísicas na parte emersa da Baía de Guanabara: uma revisão bibliográfica, Workshop Baía de Guanabara. Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ. Rio de Janeiro, v. 26, p. 117 – 125.

RODRIGUES, S.I. 2004. Caracterização GPR de tambores metálicos e plástico: estudo sobre o sítio controlado IAG/USP. 102 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

RUFFELL A. 2014 Lacustrine flow (divers, side scan sonar, hydrogeology, water penetrating radar) used to understand the location of a drowned person. Journal of Hydrology. V. 26.p. 164-168.

SCHROTT, A., & SASS, O. 2008. Application of field geophysics in geomorphology: advances and limitations exemplified by case studies. Geomorphology, 93, 55e73.

SLOWIK, M. 2011. Changes of river bed pattern and traces of anthropogenic intervention: The example of using GPR method (the Obra River, western Poland) - Adam Mickiewicz University, Department of Geographic and Geologic Sciences, ul. Dziegielowa 27, 61-680 Poznan, Poland.

SMITH, D. G. & JOL, H. M. 1995. Ground penetrating radar: antenna frequencies and maximum probable depths penetration in Quaternary sediments. Journal of Applied Geophysics, 33, 93e100.

VAN HETEREN, S., FITZGERALD, D. M., MCKINLAY, P. A., & BUYNEVICH, P. V. 1998. Radar facies of paraglacial barrier systems: coastal New England, USA. Sedimentology, 45, 181 e 200.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n2-001

Apontamentos

  • Não há apontamentos.