Alterações citogenéticas associadas a infertilidade humana/Cytogenetic alterations associated with human infertility

Raíssa Zimmermann Alves, Paula Wiethölter, Adil de Oliveira Pacheco, Aldalise Lago

Resumo


A infertilidade é a ausência da gravidez por um ano ou mais, sendo considerado um problema mundial de saúde pública. As alterações mais comuns são de fatores masculinos, contribuindo na maioria das vezes com 50% da infertilidade do casal. Já as alterações de causa feminina contribuem em até 40%. Outros 10% são de causas desconhecidas. Dentre os inúmeros exames que podem ser realizados, o principal é o cariótipo, realizado na citogenética, tendo como principal técnica o bandeamento G. O objetivo deste trabalho é identificar as principais alterações citogenéticas associadas a infertilidade em pacientes que procuraram consultoria citogenética. Este estudo foi realizado no Serviço de Análises Especializadas Sani Ltda, localizado no município de Passo Fundo (Rio Grande do Sul). A coleta de dados foi realizada em laudos e questionários de exames citogenéticos realizados no período de março de 2013 a março de 2019, com os seguintes critérios utilizados: sexo, idade, cidade de origem, número de células contadas, especialidades médicas que solicitaram o exame citogenético e resultado do exame citogenético. A quantidade de laudos e questionários analisados foi de 442, sendo que 227 deram alterados, sendo 112 mulheres e 115 homens. As alterações citogenéticas encontradas envolveram, Síndrome de Klinefelter e variações polimórficas, como a variação no tamanho de heterocromatina, variações envolvendo satélites, deleção, inversão e translocação de cromossomos. Essas alterações encontradas são as principais relacionadas a citogenética. Com tudo, a análise do cariótipo está evoluindo e cada vez melhor, facilitando a identificação de pequenas anomalias estruturais nos cromossomos.


Palavras-chave


Infertilidade, Citogenética, Síndrome de Klinefelter, Variações polimórficas, Cariótipo.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, L.; SARTO RELLI, E.; PEREIRA, E. Citogenética de casais inférteis. Arquivos Catarinenses de Medicina, Florianópolis, v. 37, n. 1, p. 11-17, 2008.

AMERICAN SOCIETY FOR REPRODUCTIVE MEDICINE. Diagnostic evaluation of the infertile female: a committee opinion. Fertility and Stertility, Birmingham, v. 103, n. 6, p. 44-50, 2015.

BADALOTTI, M. et. al. Falência ovariana precoce associada a deleção no braço longo do cromossomo: relato de dois casos e revisão da literatura. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetria, São Paulo, v. 28, n. 9, p. 551-556, 2006.

BALKAN, M. et. al. A small supernumerary marker chromosome, derived from chromosome 22, possibly associated with repeated spontaneous abortions. Genetics and Molecular Research, Ribeirão Preto, v. 9, n. 3, p. 1683-1684, 2010.

BOIVIN, J. et. al. International estimates of infertility prevalence and treatment-seeking: potencial need and demend for infertility medical care. Hum Reprod, Oxford, v. 22, n. 6, p. 1506-1512, 2007.

BORGES, C.; MACEDO, L. Infertilidade masculina decorrente de microdeleções no cromossomo Y. Reprodução e Climatério, Uningá, v. 31, n. 3, p. 169-174, 2016.

BOTELHO, P. et. al. Translocação 11;22 num caso de infertilidade. Nascer e Crescer, Porto, v. 24, n. 11, p. 7, 2015.

CAMPANHOL, C. et. al. Fenótipo de subfertilidade, polimorfismos cromossômicos e falhas de concepção. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetria, São Paulo, v. 33, n. 5, p. 244-250, 2011.

CARRASQUINHO, JE. et. al. Síndrome de Klinefelter – Caso Clínico e Revisão de Literatura. Acta Urológica, Lisboa, v. 23, n. 3, p. 71-74, 2006.

CHAVES, T.; NICOLAU, L. Citogenética e Cariotipagem humana. Revista Saúde e Desenvolviemento, v. 4, n. 2, p. 58-66, 2013.

COONOR JM, FERGUSON-SMITH M.A. Essential medical genetics. 3. ed. London: Blackwell Scientific Publications, 1991.

CURADO, R. et. al. Síndrome de Klinefelter, uma condição subdiagnosticada: Revisão de Literatura. Revista Referências em Saúde – FESGO, Goiânia, v. 3, n. 1, p. 1-8, 2020.

ESTILO DE VIDA PODE PROVOCAR INFERTILIDADE, SBRA, 2017. Disponível em: < https://sbra.com.br/noticias/estilo-de-vida-pode-provocar-infertilidade/>. Acesso em 01 de abril de 2020.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA (FEBRASGO). Manual de Orientação Reprodução Humana, 2011. Disponívelem:https://www.febrasgo.org.br/images/arquivos/manuais/Manuais_Novos/Manual_de_Reproducao_-Humana.pdf. Acesso em 20 de abril 2020.

GAMEIRO, C.; FORTE, P.; BARROS, F. Síndrome de Klinefelter no Adulto: Um Caso e Revisão Breve. Acta Urológica, Lisboa, v. 28, n. 3, p. 52-55, 2011.

GRAVHOLT, C. et. al. Klinefelter Syndrome: Integrating Genetics, Neuropsychology, and Endocrinology. Endocrine Reviews, Baltimore, v. 39, n. 4, p. 389-423, 2018.

KLONOFF-COHEN, H. et. al. A prospective study of stress among women undergoing in vitro fertilization or gamete intrafallopian transfer. Fertility and Sterility, Birmingham, v. 76, n. 4, p. 675-687, 2001.

LOPES, D. Importância das alterações cromossômicas na etiologia da infertilidade. 2015. (Mestrado em Biotecnologia Médica – Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, Câmpus de Botucatu, Universidade de São Paulo, Botucatu, 2015.

LOURENÇO, J.; LIMA, A. Infertilidade humana: comentando suas causas e consequências. Revista Saúde e Desenvolvimento, Curitiba, v. 10, n. 5, p. 110-124, 2016.

MAIA, F. et. al. Diagnóstico Tardio da Síndrome de Klinefelter – Relato de caso. Arq Bras Endocrinol Metab, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 306-309, 2002.

MALLUF, S. et. al. Citogenética humana. 1. ed. Porto Alegre: LTC, 2011.

MUSTACCHI, Z.; PERES, S. Genética Baseada em Evidências – Síndromes e Heranças. 1. ed. São Paulo: CID, 2000. cap. 6, p. 263-335.

OLIVEIRA, M. et. al. Alterações no cariótipo que podem gerar infertilidade ou abortamento de repetição. Femina, São Paulo, v. 39, n. 2, p. 91-96, 2011.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Substâncias químicas perigosas à saúde e ao meio ambiente. 1. ed. São Paulo: Cultura Acaêmica, 2000. Cap. 3, p. 56-58.

PASQUALOTTO, F. Investigação e reprodução assistida no tratamento da infertilidade masculina. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetria, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 103-112, 2007.

PEREIRA, T. et. al. Frequencia de anormalidades cromossômicas: Importância para o diagnóstico citogenético. Arquivo Ciências Saúde, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 31-33, 2009.

PIAZZA, M.; URBANETZ, A.; CARVALHO, N. Falência ovariana prematura – aspectos genéticos. Femina, São Paulo, v. 38, n. 12, p. 631-636, 2010.

SANTANA, L. et. al. Tratamento da infertilidade em mulheres com síndrome dos ovários policísticos. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetria, São Paulo, n. 30, v. 4, p. 201-209, 2008.

SILVA, A. et. al. Casais com abortamento espontâneo recorrente: participação das translocações cromossômicas. Arquivo Ciências Saúde, São Paulo, v. 14, n. 4, p. 211-215, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n1-034

Apontamentos

  • Não há apontamentos.