Erro médico e seu potencial Iatrogênico: Uma revisão sistemática / Medical error and Iatrogenic potential: A systematic review

Arnaldo Sergio Neris Pereira, Celmo Celeno Porto, Rogério José de Almeida

Resumo


Introdução: o erro médico tem histórico desde o início da prática da Medicina. Através do desenvolvimento tecnológico, o fluxo de informações permitiu maior esclarecimento do paciente, bem como maior evidencia não só do erro médico, mas do evento adverso, um dano não intencional oriundo da assistência de saúde prestada ao paciente. Neste contexto incluem-se também a iatrogenia (dano negativo ao paciente) e as ações voltadas para a segurança do paciente. Objetivo: analisar as investigações científicas mundiais acerca do erro médico e seu potencial iatrogênico. Métodos: revisão sistemática de artigos compreendidos entre 2015 e 2019 que englobavam assuntos acerca do erro médico, iatrogenia e qualidade da assistência à saúde. Resultados: dos 485 encontrados, foram selecionados 11 artigos. Em pacientes com idade avançada há maior ocorrência de eventos adversos, e estes são mais frequentes em internações cirúrgicas. As taxas de iatrogenia grave e morte foram relativamente pequenas, porém de grande impacto para o paciente, familiares e profissionais da saúde. As condições de trabalho e infraestrutura não são favoráveis à completa execução da Política de Segurança do Paciente, além de dificultar o registro de informações. Isso também justifica o fato de os dados nacionais não refletirem a realidade, sugerindo subnotificação. Conclusão: os resultados comprovando que este tema se trata de um problema de saúde pública, com grandes consequências para todos os envolvidos, reafirmam que as ações relacionadas à Segurança do Paciente necessitam de maior investimento no âmbito nacional.


Palavras-chave


Erro médico, iatrogenia, prática profissional, segurança do paciente.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, T. A.; PIMENTEL, D. Julgamento ético do médico em Sergipe, Brasil. Revista Bioética. v. 24, n. 1, p. 128-135, 2016.

ANDRADE, L. E. L. et al. Cultura de segurança do paciente em três hospitais brasileiros com diferentes tipos de gestão. Ciência & Saúde Coletiva. v. 23, n. 1, p. 161-172, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Fundação Oswaldo Cruz; Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

CHEHUEN NETO, J. A. et al. Erro médico: a perspectiva de estudantes de medicina e direito. Revista Brasileira de Educação Médica. v. 35, n. 1, p. 5-12, 2011.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Código de Ética Médica: Resolução CFM nº 2.217, de 27 de setembro de 2018, modificada pelas Resoluções CFM nº 2.222/2018 e 2.226/2019. Brasília: Conselho Federal de Medicina, p. 21, 2019.

COUTO, R. C.; PEDROSA, T. M. G.; ROSA, M. B. Erros acontecem. A força da transparência para o enfrentamento dos eventos adversos assistenciais em pacientes hospitalizados. Construindo um sistema de saúde mais seguro. IESS – Instituto de Estudos da Saúde Suplementar. Belo Horizonte, p. 9-16, 2016.

CROFT, L. D. et al. Frequency of Adverse Events Before, During, and After Hospital Admission. Southern Medical Journal. v. 109, n. 10 p. 631-635, 2016.

FRANCO, A. La seguridad clínica de los pacientes: entendiendo el problema. Colombia Médica, v. 36, n. 2, p. 130-136, 2005.

FUJITA, R. R.; SANTOS, I. C. Denúncias por erro médico em Goiás. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 55, n. 3, p. 283-289, 2009.

GOMES, J. C. M.; DRUMOND, J. G. F.; FRANÇA, G. V. Erro médico. 3 ed. Montes Claros: Unimontes, 2001.

GOMES, T. R.; DELDUQUE, M. C. O Erro médico sob o olhar do Judiciário: uma investigação no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário. v. 6, n. 1, p.72-85, 2017.

HALFON, P.; STAINES, A.; BURNAND, B. Adverse events related to hospital care: a retrospective medical records review in a Swiss hospital. International Journal for Quality in Health Care. v. 29, n. 4, p. 527-533, 2017.

MAIA, C. S. et al. Registry of adverse events related to health care that results in deaths in Brazil, 2014-2016. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde. v. 27, n. 2, e2017320, 2018.

MARINHO, S. et al. O erro médico na imprensa portuguesa: quando os pacientes fazem parte da notícia. Saúde e Sociedade. v. 24, n. 4, p. 1362-1376, 2015.

MENDONÇA, V. S.; CUSTÓDIO, E. M. Nuances e desafios do erro médico no Brasil: as vítimas e seus olhares. Revista Bioética. v. 24, n.1, p.136-146, 2016.

MORAES, N. C. Erro médico: aspectos jurídicos. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 11, n. 2, p. 55-59, 1996.

NASCIMENTO, N. B.; TRAVASSOS, C. M. R. O erro médico e a violação às normas e prescrições em saúde: uma discussão teórica na área de segurança do paciente. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 20, n. 2, p. 625-651, 2010.

RENCORET S., G. Auditoria medica: demandas y responsabilidad por negligencias medicas. Gestion de calidad: riesgos y conflictos. Revista Chilena de Radiologia, Santiago, v. 9, n. 3, p.157-160, 2003.

SERRA, J. N.; BARBIERI, A. R.; CHEADE, M. F. M. Situação dos hospitais de referência para implantação/funcionamento do núcleo de segurança do paciente. Cogitare Enfermagem. v. 21, n. esp, p. 1-9, 2016.

SOUSA, P. et al. Patient and hospital characteristics that influence incidence of adverse events in acute public hospitals in Portugal: a retrospective cohort study. International Journal for Quality in Health Care. v. 30, n. 2, p. 132-137, 2018.

SOUTHWICK, F. S.; CRANLEY, N. M.; HALLISY, J. A. A patient-initiated voluntary online survey of adverse medical events: the perspective of 696 injured patients and families. BMJ Quality & Safety. v. 24, n. 10, p. 620-629, 2015.

SOUZA, N. T. C. Erro médico: conceitos jurídicos. Revista Âmbito Jurídico, v. 9, n. 32, p. 1-2. 2006.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global Priorities for patient safety research. WHO, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv5n1-012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.