A falácia do Mercado Autorregulado: Institucionalização de liberdade e a comodificação da natureza em Karl Polanyi / The fallacy of the Autoregulated Market: Institutionalization of freedom and the commodification of nature in Karl Polanyi

Andre Luiz de Souza, Miguel Ângelo Lazzaretti

Resumo


Karl Polanyi foi um sociólogo, antropólogo e economista que se tornou um expoente cientista do século XX, devido ao seu trabalho que decifrou as inconsistências da sociedade moderna por meio de uma análise sistematizada e crítica da economia de mercado.  Diante disso, este artigo, de revisão bibliográfica, tem por escopo discutir alguns conceitos do pensamento polanyiano, tais como a noção de mercado autorregulado, de liberdade e de comodificação da natureza.  Essa discussão será balizada pelo quadro teórico e analítico mobilizado pelo pensador, com vistas à análise das críticas feitas ao princípio de mercado autorregulado, ao entendimento do pensamento liberal a respeito da concepção de natureza humana, do conceito de mercado regulável e da noção de mercado autorregulado.   Por fim, busca-se elucidar as incoerências da concepção de liberdade perante a lógica de sociedade capitalista, descontruindo a concepção mercadológica da natureza.


Palavras-chave


Estado, Mercado autorregulado, Liberdade, Comodificação, Natureza.

Texto completo:

PDF

Referências


BAPTISTA, A. A liberdade em Polanyi. Anál. Social, Lisboa, v. 4, n. 229, p. 832-868, dez. 2018. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aso/n229/n229a01.pdf. Acesso em: 15 mar. 2020.

BECK, C. G.; CUNHA, L. H. H. As múltiplas faces da comodificação e a constituição da crítica acerca das práticas de consumo contemporâneas. Ciências Sociais Unisinos, v. 53, n. 1, p. 136-147, 2017.

CANGIANI, M. A Teoria institucional de Karl Polanyi: a sociedade de mercado e sua economia “desenraizada”. In: POLANYI, K. (Org.). A Subsistência do homem e ensaios correlatos. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012, p. 34-53.

FRASER, N. Por que dois “Karls” é melhor do que um: integrando Polanyi e Marx numa teoria crítica da crise atual.2017. https://eleuterioprado.files.wordpress.com/2019/02/por-que-dois-karls-c3a9-melhor-do-que-um-1.pdf.

GAMEIRO, M. B. P.; MARTINS, R. C. Da mercantilização da natureza à criação de mercadorias verdes. Revista Espaço de Diálogo e Desconexão, v. 8, n. 2, p. 1–28, 2014

IANNUZZI, G. A importância do contributo de Polanyi: uma interpretação da neoliberalização e da comodificação da natureza. E-journal of International Relations, v. 9, nº. 1, mai./out. 2018. DOI: https://doi.org/10.26619/1647-7251.9.1.3. Acesso em: 20 jun. 2020.

LEFF, E. Discursos sustentáveis. Tradução Silvana Cobucci leite. São Paulo: Cortez, 2010.

LEFF, E. Aventuras da epistemologia ambiental: da articulação das ciências ao diálogo de saberes. Tradução Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2012.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital; tradução Rubens Enderle. 2.ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

POLANYI, K. A nossa obsoleta mentalidade mercantil. Revista Trimestral de História e Ideias, v.1, p. 7-20, 1978. Disponível em: http://www.adelinotorres.info/desenvolvimento/Karl%20Polanyi_A%20nossa%20obsoleta%20mentalidade%20mercantil.pdf. Acesso em: 15 junh. 2020.

POLANYI, K. A grande transformação. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000

POLANYI, K. A grande transformação. Trad. Miguel Serras Pereira; rev. Pedro Bernardo. Lisboa: Edições 70, 2012a.

POLANYI, K. A subsistência do homem e ensaios correlatos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012b.

PORTO-GONÇALVES, C. W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

REIS, B. P. W. O mercado e a norma: o Estado moderno e a intervenção pública na economia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 18, n. 52, p. 55-79, jun./2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v18n52/18066.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

REIS, J. Estado e mercado: Uma perspetiva institucionalista e relacional. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 95, p. 11-34, 2011. Disponível em: https://journals.openedition.org/rccs/4355. https://journals.openedition.org/rccs/4355. Acesso em: 20 jun. 2020.

RODRIGUES, J. Are Markets Everywhere? Ludwig von Mises, Friedrich Hayek and Karl Polanyi. A thesis submitted to the University of Manchester for the Degree of Doctor of Philosophy (PhD) in the Faculty of Humanities. Manchester, School of Social Sciences, 2010.

ROSA, P. P. V. O Mercado da Natureza: uma análise dos sistemas de Pagamentos por Serviços Ambientais na Costa Rica. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais). Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2015.

SANCHÉZ, A. L. La crítica de la economía de mercado en Karl Polanyi: el análisis institucional como pensamiento para la acción. REIS, v. 86, n. 99, p. 27-54, 2008. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/Dialnet-LaCriticaDeLaEconomiaDeMercadoEnKarlPolanyi-759784.pdf. Acesso em: 15 jun. 2020.

SANTOS, F. P. dos. Vida material e economia de mercado: introdução ao estudo do mito do capitalismo domesticado no Brasil. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Econômico).– Universidade Estadual de Campinas, Campinas -SP, 2016.

STIGLITZ, J. O preço da desigualdade. Lisboa: Bertrande Editora, 2012.

TAUSSIG, M. O diabo e o fetichismo da mercadoria na América do Sul. São Paulo: Ed. da UNESP, 2010.

WALTER, C. P. O socialismo utópico e a crítica à razão utilitária. TCC (Bacharelado em Ciências Econômicas). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre – RS, 2011. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/34857/000783134.pdf?...1. Acesso em: 05 jun. 2020.

WEBER, M. Ensaios de sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1982.

WOOD, E. M. Democracia contra capitalismo: a renovação do materialismo histórico. São Paulo: Boitempo, 2011.

Déberson Ferreira Jesus. O PARADIGMA WEBERIANO E A PERSPECTIVA DA VIRADA COSMOPOLITA DE ULRICH BECK: MODERNIDADES MÚLTIPLAS OU MULTIPLICIDADE DA MODERNIDADE? / THE WEBERIAN PARADIGM AND ULRICH BECK'S COSMOPOLITAN TURN: MULTIPLE MODERNITIES OR MULTIPLICITY OF MODERNITY? s://doi.org/10.34117/bjdv6n7-831. Brazilian Journal of Development.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n6-001

Apontamentos

  • Não há apontamentos.