Offshore como estratégia de planejamento tributário/Offshore as a tax planning strategy

Rodrigo Rios Faria de Oliveira

Resumo


O Presente artigo refere-se às denominadas empresas Offshore, que por sua vez, está constituída em um país ou região de uma zona diferente, com um regime fiscal mais favorável para empresas e pessoas físicas. A constituição de uma Offshore não deve ser considerada como ilegal, pois ela serve de planejamento e investimento para aqueles que buscam economia, liberdade de câmbio, moedas fortes, impostos reduzidos, maximização dos lucros, segurança e sigilo das informações, dentre diversos benefícios que a Offshore proporciona de acordo com a legislação de cada país que se configura um paraíso fiscal. Estes países aderiram uma política de redução de impostos ou até mesmo a isenção para atrair capital estrangeiro gerando assim investimentos. Neste sentido observa-se a licitude do planejamento tributário e quais as vantagens da utilização das Offshore Company.


Palavras-chave


Offshore,Paraíso fiscal, Planejamento tributário

Texto completo:

PDF

Referências


ALEM, A. C.; CAVALCANTI, C. E. O BNDES e o apoio à internacionalização das

empresas brasileiras: algumas reflexões. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, v.12, n.

, p. 43-73, dez. 2005.

AMARAL, G. L. A aplicação da norma geral antielisão no Brasil. In: AMARAL, G. L. (Coord.). Planejamento tributário e a norma geral antielisão. Curitiba: Juruá, 2002.

BECKER, A. A. Teoria geral do direito tributário. São Paulo: Lejus, 1999.

CORRÊA, D.; LIMA, G. T. Internacionalização produtiva de empresas brasileiras: caracterização geral e indicadores. Informações Fipe. [S.I.], n. 319, p.15-18, abr. 2007.

FABRETTI, L. C. Contabilidade tributária. São Paulo: Atlas, 2003.

HUCK, H. M. Evasão e elisão: rotas nacionais e internacionais do planejamento tributário. São Paulo: Saraiva, 1997.

KRONBERG, H; ROBINSON, M. Sistema de proteção de bens: definição e operacionalização. FAE. Curitiba: [s.n], v. 6, n. 2, p. 137-53, dez. 2003.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Lei nº 4.729, de 14 de julho de 1965, 1965. Disponível em: . Acesso em: 19 mai. 2013.

MARINS, J. Elisão tributária e sua regulação. São Paulo: Dialética, 2002.

MOREIRA, A. M. Elisão e evasão fiscal: limites ao planejamento tributário, 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2013.

MOREIRA, A. M. Planejamento Tributário Internacional e Preços de Transferência: O regime da lei nº 9.430/96. 2002.

Disponível em: . Acesso em: 27 Novembro 2012.

PAULSEN, L. Direito tributário: constituição e código tributário à luz da doutrina e jurisprudência. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2005.

PENTEADO, C. C. Empresas offshore: Uruguai, Cayman, Ilhas Virgens Britânicas. São Paulo: Pillares, 2007.

POLAK, S. Constituição de companhias offshore, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 mai. 2013.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Receita divulga lista com 53 "paraísos fiscais, 2002. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2013.

ROSENBA, L. Operações offshore no Brasil, 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 mai. 2013.

SILVA, R. F. Paraísos fiscais. São Paulo: Rumo Gráfica, 1998.

SHINGAKI, M. Gestão de impostos. São Paulo: Saint Paul Institute Of Finance, 2002.

SOUZA, R. G. Planejamento fiscal: teoria e prática. São Paulo: Dialética, 1998.

XAVIER, A. Direito tributário internacional do Brasil. Rio de janeiro: Atual, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n5-023

Apontamentos

  • Não há apontamentos.