Avaliação do coeficiente de atrito em redes de distribuição de gás natural canalizado/Evaluation of the friction coefficient in natural gas distribution networks

Guilherme de Camargo Macieski

Resumo


Apresenta-se neste trabalho uma proposta para a comparação do coeficiente de atrito em escoamentos unidimensionais, compressíveis e transitórios em redes de distribuição de gás natural.  No projeto de uma rede de distribuição de gás natural, diversas propriedades associadas ao fluido de trabalho devem ser identificadas e avaliadas, visando a obtenção de um modelo matemático de resolução simplificada e que melhor se adapte às condições reais e operacionais do sistema.  Nesse contexto, a identificação do coeficiente de atrito poderá vir a ocasionar dificuldades matemáticas complementares quando da solução da equação do momentum correspondente.  A determinação experimental do coeficiente de atrito nem sempre se encontra disponível, além de ser uma metodologia relativamente cara e demorada.  Dessa forma, uma proposta que permita ao projetista simular situações operacionais, objetivando avaliar e comparar o equacionamento matemático que melhor se adapte às condições futuras e reais de funcionamento do sistema podem vir a ser uma excelente alternativa no momento das avaliações de projeto iniciais.  Os resultados finais obtidos demonstram que a partir da rotina computacional proposta, torna-se factível e relativamente simples a obtenção do coeficiente de atrito a ser considerado, previamente, para o desenvolvimento dos cálculos gerais de uma malha de distribuição de gás natural.


Palavras-chave


Escoamento de gás, Tubulações, Condições operacionais da distribuição de gás natural, Matlab.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDOLAHI, F., MESBAH, A., BOOZARJOMEHRY, R.B., SVREEK, W.Y. The effect of major parameters on simulation results of gas pipelines. International Journal of Mechanical Sciences 49: 989-1000, 2007.

ALMEIDA, J.C. Estudo numérico e experimental de fluxos transientes em redes de distribuição de gás natural,Tese de Doutorado, Pontificia Universidade Católica do Paraná – PUC-PR, 2013.

API PROJECT 65, Viscosity of light hydrocarbons monoraph on API Research Project 65, American Petroleum Institute, 1965.

COELHO, P.M., PINHO, C. Considerations about equations for stedy state flow in natural gas pipelines.

ABCM 2007, Vol. XXIX, no 3.

COLEBROOK, C.F., WHITE, C.M. Experiments with fluid friction in roughhened pipes. Proceedings of the Royal Society of London, 1937.

GOLSHAN, H. Pipeline Design & Construction: A Practical Approach. ASME Press, 2003.

LURIE, M.V. Modeling of oil product and gas pipeline transportation, Wiley-Blackwell. 2008.

MOODY, M.L. An approximate formula for pipe friction factors. Transactions of ASME 69: 1005-11.

NIKURASE, J., Stromangsgesetze in rauhen rohren. Ver. Dtsch. Ing. Forschungsheft 361, vol. B, Berlin: VDI Verlag, 1933.

SLETFJERDING, E., GUDMUNDSSON, J.S. Friction factor inf high pressure natural gas pipelines from roughness measurements. Department of Petroleum Engineering and Applied Geophysics Norwegian University of Science and Technology, Norway.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n5-003

Apontamentos

  • Não há apontamentos.