Parto Indígena nas microrregiões do Amazonas: Uma abordagem em Série Histórica / Indigenous Birth in the Amazon Microregions: A Historical Series Approach

Salete Janes Silva de Lima, Ivanirdete Teles dos Santos Santana, Rúbia Silene Alegre Ferreira

Resumo


O objetivo da pesquisa consiste em tecer uma abordagem a respeito do parto indígena nas microrregiões do Amazonas, por meio de série histórica. A condição de resposta ao objetivo proposto é baseada em informações do Subsistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC), parte integrante do SUS. Faz uso ainda dos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para demonstração do volume de mulheres indígenas que tiveram filhos nascidos vivos no Brasil e no estado do Amazonas. Os resultados têm apontado que embora a população indígena tenha de forma sistemática, se adaptado aos hábitos de outras culturas, o modo de parir ainda se mostra a prática mais usual entre as mulheres desta raça. Conclui-se que a cobertura ou expansão das garantias de legislativas, aliadas às demais outras formas de atribuição de dignidade a essas populações, aliam-se às suas tradições e fortalecem a cultura dos povos à medida do passar do tempo.


Palavras-chave


Parto Indígena, Microrregiões, Amazonas.

Texto completo:

PDF

Referências


BRENES, A. C., 1991. História da parturição no Brasil, Século XIX. Cadernos de Saúde Pública 7:135-149.

DIAS-SCOPEL, Raquel; LANGDON, Esther Jean; SCOPBEL, Daniel. Gestação, Parto e Pós-parto entre os Munduruku do Amazonas: confrontos e articulações entre o modelo médico hegemônico e as práticas indígenas de autoatenção. ILHA: Revista de Antropologia. p. 183-216, junho de 2017.

FERREIRA, Luciane Ouriques. A emergência da medicina tradicional indígena no campo das políticas públicas. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.20, n.1, jan.-mar. 2013, p.203-219.

GARNELO, Luiza et al . Avaliação da atenção pré-natal ofertada às mulheres indígenas no Brasil: achados do Primeiro Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 35, supl. 3, e00181318, 2019. Available from . access on 18 Aug. 2020.

GUJARATI, Damodar; PORTER, Dawn. Econometria básica. Tradução: Denise Durante. Rio de Janeiro – Elsevier, 2006 5ª tiragem.

HILL, R. Carter; JUDGE G. George; GRIFFITHS, William E. Econometria. São Paulo: Saraiva, 2010.

IBGE. Os indígenas no Censo Demográfico 2010: primeiras considerações com base no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro 2012.

LATORRE, Maria do Rosário Dias de Oliveira and CARDOSO, Maria Regina Alves. Análise de séries temporais em epidemiologia: uma introdução sobre os aspectos metodológicos. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2001, vol.4, n.3, pp.145-152. ISSN 1980-5497. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2001000300002.

MAIA, Maria A. C., Caracterização dos nascidos vivos hospitalares no primeiro ano de implantação do Subsistema de Informação sobre Nascidos Vivos, em município de Minas Gerais, Brasil, 1996. Rev. Saúde Pública, 31(6): 581-5, 1997.

MELLO JORGE, M.H.P. et al. Avaliação do Sistema de Informação Sobre Nascidos Vivos e o Uso de seus Dados em Epidemiologia e Estatísticas de Saúde. Rev. Saúde Pública, 27, (supl.), 1993.

MOLITERNO, Aline Cardoso M.; BORGHI, Ana Carla; ORLANDI , Larissa Helena de Souza Freire; FAUSTINO, Rosangela Célia; SERAFIM, Deise; CARREIRA, Lígia. Processo de gestar e parir entre as mulheres kaingang. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2013 Abr-Jun; 22(2): 293-301.

Nakano, Andreza Rodrigues, Bonan, Claudia e Teixeira, Luiz Antônio. O trabalho de parto do obstetra: estilo de pensamento e normalização do “parto cesáreo” entre obstetras. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online]. 2017, v. 27, n. 03. [Acessado 18 Agosto 2020] , pp. 415-432. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-73312017000300003

SAHLINS, Marshall. O “pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um “objeto” em via de extinção (parte I). Mana vol.3 n.1 Rio de Janeiro Apr. 1997.

Teixeira, Pery, Brasil, Marília, & Silva, Eliana Mesquita da. (2011). Demografia de um povo indígena da Amazônia brasileira: os sateré-mawé. Revista Brasileira de Estudos de População, 28(2), 429-448. https://doi.org/10.1590/S0102-30982011000200011

WOOLDRIDGE, Jeffrey M. Introdução a Econometria: uma abordagem moderna. São Paulo: Cengage Learning, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n5-001

Apontamentos

  • Não há apontamentos.