Relato de experiência do uso de recursos didáticos para alunos com surdez / Experience report on the use of teaching resources for students with deafness

Isabel Lopes Valente, Ana Mara Coelho da Silva, Marcelo Marques de Araújo

Resumo


A inclusão tem sido uma temática de importância significativa na sociedade e principalmente no meio educacional. Nesse sentido, os professores precisam ser formados com vistas a serem disponibilizados e a promover esse processo inclusivo. O presente trabalho apresenta o resultado de uma ação desenvolvida na disciplina Libras, em uma turma de Licenciatura em Matemática, constituída de 24 licenciandos, no Município de Abaetetuba, no primeiro semestre de 2018. A ação buscou sensibilizar os licenciados com a utilização de filme que discutia a inclusão de pessoas surdas e rodas de conversas para esclarecimentos. Também foi realizada uma oficina de elaboração de jogos lúdicos, confeccionado com material reciclado, para trabalhar conceitos matemáticos, objetivando a compreensão e uso da Libras na prática docente, como recurso pedagógico para formação cidadã de alunos surdos. Os resultados dessa ação se deu por meio da apresentação dos mini projetos como atividade de culminância do curso. Os licenciandos se sensibilizaram quanto à inclusão de estudantes surdos no espaço educativo, demonstraram a utilização concreta dos objetos matemáticos e consideraram valorosas as produções estabelecidas na disciplina.


Palavras-chave


Educação Inclusiva, Formação de Professores, Libras.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Diário Oficial da União. 23 dez. 1996

BRASIL. Lei n. 10436, de 24 de abril de 2002. Oficializa a LIBRAS. Brasília: Diário Oficial da União. 25 abr. 2002.

BRASIL. Decreto-Lei n.5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei n.10.436 de 22/04/02 e o art. 18 da Lei 10.098 de 19/12/00. Brasília: Diário Oficial da União. 23 dez. 2005

BRASIL. Plano Nacional de Formação de Professores. Disponível em: http://www.capes.gov.br/educacao-basica/parfor Acesso em: 16 de junho de 2018.

CONTRERAS, José. A autonomia dos professores. São Paulo: Cortez, 2002.

DE SOUZA, S. E. O uso de recursos didáticos no ensino escolar. Arq Mudi. Maringá, PR. 2007; 11(Supl.2):110-114p.

KUBASKI, C.; MORAES, V. P. O bilinguismo como proposta educacional para crianças surdas. In: IX Congresso Nacional de Educação–EDUCERE. III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. 2009. p. 3413-3419.

LIMA, Maria do Socorro Correia de. Algumas considerações sobre o ensino de português para surdos na escola inclusiva. In: Revista Letra Magna. Ano 3, n. 5, 2006.

LORENZZETTI, Maria Lúcia. A inclusão do aluno surdo no ensino regula: a voz das professoras. Revista Contrapontos, Itajaí, v.3, n.3, p. 521-528, set. /dez. 2003.

MATTOS, Roberto Aldrin Lima. Jogos e matemática: Uma relação possível. Salvador: R.A.L,2009.

MICHAELS, Richard. E seu nome é Jonas. Direção: Produção dos autores. EUA: Orion Pictures Corporation, 1979. VHS. (100min).

RAMOS, R. Inclusão na prática: estratégias eficazes para a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2010.

VYGOTSKI, L. V. Fundamentos de defectologia. Madrid: Pedagógica, 1997.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n4-022

Apontamentos

  • Não há apontamentos.