As representações sociais de mulheres que vivenciam sexualidade e amamentação / Social representations of women who experience sexuality and breastfeeding

Regiane Bezerra Campos, Anna Elisa Franco Leal, Juliana Bento de Lima Holanda, Ruth França Cizino da Trindade, Flávia Gomes-Sponholz, Andreia Silva Ferreira

Resumo


Objetivo: Compreender como ocorre a sexualidade das mulheres nutrizes, suas práticas e vivências, sob a luz das representações sociais. Metodologia: Estudo de natureza descritivo-exploratória, com abordagem qualitativa. Realizado com 13 mulheres de uma Unidade de Saúde localizada no município de Maceió/AL. Utilizou-se como referencial teórico a Teoria das Representações Sociais. Resultados: Foram identificadas três unidades temáticas: a) Sexualidade na perspectiva da mulher nutriz, b) Opinião da mulher nutriz sobre amamentação, c) Mulher, nutriz e a vivência da sexualidade. Os resultados expressaram as representações sociais das mulheres que vivenciam a sexualidade no período do AM, evidenciando que o pós – parto é um momento delicado e singular, onde a mulher necessita de cuidados e assistência integral. Conclusão: Cada nutriz expressa a sua sexualidade de acordo com os seus princípios, aspectos familiares, culturais e fisiológicos. As representações produzidas ao longo da história intervêm na postura dessas mulheres e suas decisões.


Palavras-chave


Aleitamento Materno, Sexualidade, Enfermagem Obstétrica, Saúde Pública, Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, F. R.; COSTA, M. S.; DELFINO, S. Desafios do aleitamento materno em primíparas: A importância da assistência da enfermagem. Simpósio de TCC e Seminário de IC. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 de Jun. 2019.

CAMPOS, A. M. S. et al. Prática de aleitamento materno exclusivo informado pela mãe e oferta de líquidos aos seus filhos. Rev. latinoam. enferm. (Online), Ribeirão Preto, v. 23, n. 2, p. 283-290, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 de Fev. 2020.

CAMPOS, C. J. G. Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Rev. bras. enferm. Brasília, v. 57, n. 5, p. 611-614, 2004.

CARVALHO, M. J. L. N. et al. Primeira visita domiciliar puerperal: uma estratégia protetora do aleitamento materno exclusivo. Rev. Paul. Pediatr. São Paulo, v. 36, n. 1, p. 66-73, mar. 2018.

CHERER, E. Q.; FERRARI, A. G.; PICCININI, C. A. A amamentação e o desmame no processo de tornar-se pai. Estilos clin. São Paulo, v. 21, n. 1, abr. 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 de Mar. 2020.

FELICIANO, D. S.; SOUZA, A. S. L. Para além do seio: uma proposta de intervenção psicanalítica pais-bebê a partir de dificuldades na amamentação J. psicanal, São Paulo, v. 44, n. 81 p. 145-161. 2018

FLORENCIO, A. et al. Sexualidade e amamentação: concepções e abordagens de profissionais de enfermagem da atenção primária em saúde. Rev. Esc. Enferm. USP, Ribeirão Preto, v. 46, n. 6, p. 1320-1326, 2012.

GIL; A. C.; LICHT, R. H. G.; SANTOS, B. R. M. Por que fazer pesquisa qualitativa em saúde? Caderno de pesquisa em ciências da saúde. v. 1, n. 2, p. 5-19, 2006.

HOLANDA, J. B. L. Sexual dysfunction and associated factors reported in the postpartum period. Acta Paul. Enferm. (Online), São Paulo, v. 27, n. 6, p. 573-578, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 de Jun. 2018.

JENERAL, B. R. et al. Aleitamento materno: uma reflexão sobre o papel do pai. Rev. Fac. Ciên. Méd. Soroc. Sorocaba, v. 17, n. 3, p. 140–147, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 de Mar. 2020.

JODELET, D. (org). As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed UERJ; 2001.

JUSTINO, G. B. S. et al. Saúde sexual e reprodutiva no puerpério: vivências de mulheres. Rev enferm UFPE On line, Recife, v. 13, e240054, p. 1-10, 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 de Mar. 2020.

LEITE, G. O. et al. Representações sociais de mulheres sobre o cheiro do leite materno. Esc. Anna Nery Rev. Enferm, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, e20160090, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 de Jun. 2019.

MARQUES, E. S.; COTTA, R. M. M.; PRIORE, S. E. Mitos e crenças sobre o aleitamento materno. Cien Saude Colet. Rio de Janeiro, v. 16, n. 5, p. 2461-2468, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 de Fev. 2020.

MARTINS, E. L.; VARGENS, O. M. C. Percepções de mulheres a respeito da sexualidade durante a amamentação: uma revisão integrativa. Rev enferm UERJ. Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p.271-277, mar/abr; 2014.

MERCADO, N C. Cuidados e orientações de enfermagem às puérperas no alojamento conjunto. Rev enferm UFPE, Reecife, v. 11, n. 9, p. 3508-3515, 2017.

MOREIRA, M. A, NASCIMENTO, E. R. A. Interseccionalidade família, geração e amamentação. Rev. Kairós. São Paulo, v. 15, n. 5, p. 191-208, 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 de Jun. 2018.

OLIVEIRA, A. C. M. et al. Sentimentos vivenciados pelas mulheres no retorno à vida sexual após o parto. Rev. Fac. Ciên. Méd. Soroc. Sorocaba, v.16, n.4, p.174-177, 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 de Fev. 2020.

PARA, H. O erótico maternal e suas encruzilhadas. J. psicanal. São Paulo. v. 44, n. 81, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 de Mar. 2020.

PEREIRA, E. V. et al. Função, práticas e posições sexuais de mulheres grávidas. Rev. enferm. UFPE on line. Recife, v. 12, n. 3, p. 772-780, mar. 2018. . Acesso em: 25 de jun. 2018.

PISSOLATO, L. Amamentação e sexualidade: uma interface na vivência do puerpério Breastfeeding and sexuality: an interface in the experience of puerperium. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J. Online), Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, p. 4674-4680. Disponível em: . Acesso em: 25 de Jun. 2018.

SANTOS, S. M. P et al. A vivência da sexualidade por mulheres no climatério. Rev. enferm. UFSM, Santa Maria, v. 4, n. 1, p. 13-122, 2014.

SOUZA, M. L. et al. Maternal mortality due to hemorrhage in Brazil. Rev. latinoam. enferm. (Online), Ribeirão Preto, v. 21, n. 3, p. 711-718, 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 de Jun. 2018.

VETTORAZZI, J. Sexualidade e puerpério: uma revisão da literatura. Rev. HCPA & Fac. Med. Univ. Fed. Rio Gd. do Sul, Porto Alegre, v. 32, n. 4, p. 473-479, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 de Fev. 2020.

WILHELM, L. A. et al. A vivência na amamentação na ótica de mulheres: contribuições para a enfermagem. Rev. enferm. UFSM. Santa Maria, v. 5, n. 1, p. 160-168, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 de Fev. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n4-018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.