Aplicação da escala de Braden como fator preventivo de lesão por pressão em unidade de terapia intensiva / Application of the Braden scale as a preventive factor of pressure injury in an intensive care unit

Cláudio José de Souza, Célia Regina Fernandes de Oliveira, Cristina Lavoyer Escudeiro, Deise Ferreira de Souza

Resumo


Objetivo: Analisar por meio das produções científicas a eficácia da aplicação da escala de Braden como instrumento de prevenção e tratamento nas lesões por pressão na unidade de terapia intensiva. Método: Revisão Integrativa da Literatura, de característica crítica e retrospectiva, com fontes de dados primárias. Estratégia de busca: utilizou-se as combinações dos seguintes descritores “Cuidados de Enfermagem”, “Unidades de Terapia Intensiva” e “Lesão por Pressão” identificados através dos Descritores em Ciência da Saúde, conectados pelo operador booleano “and”. A busca ocorreu nas bases de dados da Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Base de Dados de Enfermagem (BDENF), Medical Literature Analisys and Retrieval System Online (MEDLINE) e na biblioteca eletrônica Scientific Eletronic Library Online (SciELO). Critérios de inclusão: artigos disponibilizados na íntegra, que apresentavam aderência em português, publicados nos últimos 10 anos. Resultados: Foram divididos em duas categorias temáticas: Fatores que predispõe ao aparecimento das  lesões por pressão na unidade de terapia intensiva e A escala de Braden como instrumento de gerência do cuidado na prevenção e tratamento das lesões por pressão na unidade de terapia intensiva.  Todavia, os dez estudos selecionados, comprovaram que a aplicação da escala Braden pode e deve ser aplicada como fator preventivo no nível de assistência principalmente a secundária. Conclusão: Conclui-se que é necessário salientar que a escala Braden só será efetiva e serão encontrados bons resultados se for utilizada por um profissional capacitado, treinado e não só como instrumento para avaliação, mas também como para prevenção e tratamento associado aos cuidados que cabem a equipe de enfermagem.


Palavras-chave


“Lesão por pressão”, “Unidades de Terapia Intensiva”, “Cuidados de Enfermagem

Texto completo:

PDF

Referências


Diccini S, Camaduro C, Iida LIS. Incidência de úlcera por pressão em pacientes neurocirúrgicos do hospital universitário. Acta paul. enferm. 2009; 22 (2): 205-209.

Brasil. Governo do Distrito Federal. Comissão Permanente de Protocolos de Atenção à Saúde. Protocolo de Atenção à Saúde Segurança do Paciente: prevenção de Lesão por Pressão (LP). 2017. Disponível em: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/04/6.-Seguranca-do-Paciente-prevencao-de-Lesao-por-Pressao-LP.pdf.

Mattia AL, Rocha AM, Barbosa MH, Guimarães MAMC, Borgato MO, Silva SRR, et al. Úlcera por Pressão em UTI: fatores de risco e medidas de prevenção. Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal. 2010; 6:(46):p.296-299

Silva PLN, Ruas PR, Soares LM, Rocha GG. Escala de Braden: instrumento de avaliação do risco para desenvolvimento de úlceras por pressão em pacientes do serviço de terapia intensiva. Revista digital Efdeportes.com. 2014;188:(18).

Santos LRCL, Lino AIA. Riscos de lesão por pressão: aplicação da Escala de Braden em terapia intensiva. Revista ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther., São Paulo. 2018:188:1-7.

Menegon D B, Bercini RR, Santos CT, Lucena A F, Pereira AGS, Scain SF. Análise das subescalas de Braden como indicativos de risco para úlcera por pressão. Texto contexto - enferm. 2012; 21( 4 ): 854-861..

Alves CR, Costa LM, Boução DMN. Escala de Braden: a importância da avaliação dorisco de úlcera de pressão em pacientes em uma unidade de terapia intensiva. Revista Recien. São Paulo. 2016: 6(17):36-44.

Soares CB, Hoga LAK, Peduzzi M, Sangaleti C, Yonekura T, Silva DRAD. Integrative Review: Concepts And Methods Used In Nursing. Rev. esc. enferm. USP. 2014; 48(2): 335-345.

Cunha PLP, Alves PF, Cunha, SC. Manual Revisão Bibliográfica Sistemática Integrativa: A pesquisa baseada em evidências. Anima Educação. 2014; 1:63.

Bavaresco T, Medeiros RH , Lucena AF. Implantação da Escala de Braden em uma unidade de terapia intensiva de um hospital universitário. Rev. Gaúcha Enferm. 2011; 32(4):703-710.

Souza CT, Prado RT. A utilização da escala de Braden na uti para prevenção de úlcera por pressão. Revista EDUC-Faculdade de Duque de Caxias. 2016;3(1):35-42.

Rogenski NMB, Kurcgant P. Avaliação da concordância na aplicação da Escala de Braden interobservadores. Acta paul. enferm. 2012; 25( 1 ): 24-28.

Adamczyk SP, Castro ECLS, Freitas TM, Santos WB, Marques FR, Kutzke JL. Métodos utilizados pela enfermagem na identificação da lesão por pressão: uma revisão sistemática da literatura. Revista Gestão & Saúde. 2017;17:1-9.

Araújo TM, Araújo MFM, Caetano JA. Comparação de escalas de avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes em estado crítico. Acta Paul Enferm. 2011; 24(5): 695- 700.

Sales DO, Waters CO. O uso da Escala de Braden para prevenção de lesão por pressão em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva. Revista Braz. J. Hea. Rev., Curitiba,2019;2(6):4900-4925.

Souza Junior BS, Duarte FHS, Neto FAD, Valença CN, Mendonça AEO. A escala de Braden para análise dos riscos de lesões por pressão em idosos. Anais de Congresso Brasileiro de Ciências de saúde. 2016. Disponível em: https://editorarealize.com.br/revistas/conbracis/trabalhos/TRABALHO_EV071_MD1_SA4_ID429_15052017220507.pdf

Debon R, Fortes VLF, Rós ACR, et al. A Visão de Enfermeiros Quanto a Aplicação da Escala de Braden no Paciente Idoso. Rev Fund Care Online. 2018 jul./set.; 10(3):817-823.

Castanheira LS, WErli-Alvarenga A, Correa AR, Campos DMP. Escalas De Predição De Risco Para Lesão Por Pressão Em Pacientes Criticamente Enfermos: Revisão Integrativa. Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG, MG. Revista Enfermagem em Foco. 2018;9(2):55-61.

Vargas RG, Santos LP. Prevenção de lesão por pressão em UTI – aplicabilidade da Escala de Braden. Revista Pró-UniverSUS.2019;10(1)162-165.

Silva ALM, Rached CDA, Liberal MMC A utilização da escala de Braden como instrumento preditivo para prevenção de lesão por pressão. Revista EDUC-Faculdade de Duque de Caxias. 2016:3(1):21-26.

Hans M, Bitencourt JVOV, Pinheiro F. Fatores de risco adicionais à escala de Braden: um risco de para úlceras de pressão. Revista Enfermagem em Foco. 2011;4(2):.222-225.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n4-015

Apontamentos

  • Não há apontamentos.