Análise de pães industrializados comercializados na cidade do Natal/RN com alegação de integral / Analysis of industrial bread products with whomeal claim, sold in Natal/RN

Sara Elita de Castro, Teresa Elisa Sousa da Silva

Resumo


Nos últimos anos, o Brasil vem enfrentando consideráveis modificações sociais. Tendo em vista, houve aumento do excesso de peso contribuindo para o surgimento das DCNTs. Com o aumento das DCNTs e a preocupação da população a respeito da alimentação, o interesse das pessoas tem mudado acerca do consumo de mais alimentos considerados saudáveis e elas estão ficando mais atenta aos rótulos dos mesmos, observando sua composição em busca de proporcionar benefícios a saúde. O estudo teve como objetivo analisar a quantidade de fibra alimentar em pães com alegação de integral. Foram analisados 14 rótulos de pães integrais, sendo estes as marcas mais frequentes em todos os estabelecimentos visitados. 79% das marcas alegam ser fonte de fibras e 7% rico em fibras. Foi observado que a farinha de trigo integral foi o ingrediente mais utilizado, presente em 78,5% das amostras analisadas. 79% estavam em conformidade com a legislação em relação à denominação fonte e/ou rico em fibras. É necessário que haja legislação brasileira mais específica a respeito dos alimentos integrais, para assegurar que os produtos alimentícios presentes no mercado correspondam de forma correta às informações nutricionais descritas em seus rótulos.

Palavras-chave


Pão, Pão integral, Fibra Alimentar, Rotulagem.

Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, Ilana Nogueira et al. Consumo de alimentos fora do domicílio no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 47, p. 200s-211s, 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 jun 2019.

BEZERRA, Ilana Nogueira et al. Consumo de alimentos fora do lar no Brasil segundo locais de aquisição. Revista de Saúde Pública, v. 51, p. 1-8, 2017. Disponível em: . Acesso em: 02 jun 2019.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 jun 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 259, de 20 de setembro de 2002. Aprova o Regulamento Técnico sobre Rotulagem de Alimentos Embalados. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de setembro de 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 jul 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 263, de 22 de setembro de 2005. Regulamento Técnico para Produtos de Cereais, Amidos, Farinha e Farelos. Diário Oficial da União, Brasília, 22 de setembro de 2005. Disponível em: . Acesso em: 12 jul 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 54, de 12 de novembro de 2012. Regulamento Técnico referente à Informação Nutricional Complementar. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 jul 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Glossário temático: alimentação e nutrição/Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Secretaria de Atenção à Saúde. – 2. ed., 2. reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 52 p. Disponível em: . Acesso em: 14 jul 2019.

BRASIL. Projeto de Lei no 5.081-A, de 2013. Dispõe sobre o uso da expressão “integral e afins”, na rotulagem de alimentos à base de cereais. Brasília, 2013. 10 p. Disponível em: . Acesso em: 10 ago 2019.

BRASIL. Resolução RDC nº 359, de 23 de dezembro de 2003. A Diretoria Colegiada da ANVISA/MS aprova regulamento técnico de porções de alimentos embalados para fins de rotulagem nutricional. Diário Oficial União, 26 dez. 2003. Disponível em: . Acesso em: 12 jul 2019.

FERRAZ, Elisangela Cabral; CRUZ, Maisa Moreira; FREITAS, Erlania. Avaliação dos rótulos de diferentes marcas de pães integrais versus pães sem glúten comercializados no Município de Vitória da Conquista–BA. Ciência & Desenvolvimento-Revista Eletrônica da FAINOR, v. 9, n. 1, 2016. Disponível em: Acesso em: 14 jun 2019.

FERREIRA, Isabela Borges et al. Consumo alimentar e estado nutricional de mulheres em quimioterapia. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, p. 2209-2218, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 jul 2019.

FREITAS, Mariana Ribeiro de. Avaliação da adequação de rotulagem para os alimentos com alegação de propriedades funcionais: fibras alimentares. 2014. 58 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Nutrição)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 jul 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro; 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 jun 2019.

RAMOS, LETÍCIA et al. A transição da desnutrição para a obesidade. Braz J Surg Clin Res, v. 5, n. 1, 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 jun 2019.

REYNALDO, Dominic Salvador; DA PENHA, Manoela Pessanha. Análise de produtos integrais de panificação com alegação de fonte de fibras/Analysis of whole bakery products with fiber source claim. Brazilian Journal of Health Review, v. 2, n. 2, p. 1483-1494, 2019. Disponível em: . Acesso em: 5 jul 2019.

SILVA, Vadete Carla Pissaia da; GALLON, Carin Weirich; THEODORO, Heloísa. Avaliação das rotulagens e informações nutricionais dos pães integrais: fibras, sódio e adequação com a legislação vigente. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde, v. 9, n. 4, p. 985-1001, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 jul 2019.

SOUSA, Vanessa Bezerra Borges et al. Constipação intestinal em crianças e a importância das fibras alimentares: Uma revisão da literatura. Revista Eletrônica Acervo Saúde, n. 21, p. e561-e561, 2019. Disponível em: < https://acervocientifico.com.br/index.php/saude/article/view/561>. Acesso em: 14 jul 2019.

SOUZA, Rita Gonçalves de et al. Avaliação do estado nutricional, consumo alimentar e capacidade funcional em pacientes oncológicos. Braz J Oncol, v. 13, n. 44, p. 1-11, 2017. Disponível em: < http://www.brazilianjournalofoncology.com.br/export-pdf/13/v13n44a04.pdf>. Acesso em: 15 jul 2019.

ZORZANELLO, Bruna Muniz; WESCHENFELDER, Simone. Pães produzidos em escala Industrial e comercializados com A denominação de “integral”: Análise da rotulagem e identificação dos ingredientes integrais e aditivos Pc. Ciência & Desenvolvimento-Revista Eletrônica da FAINOR, v. 10, n. 3, 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 jul 2019.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n4-014

Apontamentos

  • Não há apontamentos.