Sentido do processo de morte e morrer na visão dos estudantes de enfermagem / Sense of the death and die process in the vision of nursing students

Geisiane Rios Carneiro, Adriana Braitt Lima, Marluce Alves Nunes Oliveira

Resumo


Durante o processo de formação dos estudantes de enfermagem emergem sentimentos e inquietações, principalmente, nas situações de cuidado com a pessoa no processo de finitude por envolver questões existenciais próprias que requerem disposição para agir com saberes e práticas. Objetivou-se compreender o sentido do processo de morte e morrer na visão dos estudantes de enfermagem. Foram entrevistados sete estudantes de enfermagem de uma universidade pública na cidade de Feira de Santana-Bahia no mês de abril de 2017, após aprovação pelo Comitê de Ética e Pesquisa. Utilizou-se para análise a Análise de Conteúdo Temático-Categorial e a Análise Existencial Frankliana. Encontrou-se as categorias empíricas: Significados do processo de morte e morrer, Configurações de sentido norteadas pelos valores de criação, de vivência e de atitude. Compreendeu-se que apesar da noodinâmica quanto à morte, o estudante de enfermagem encontra sentido pelo modo humano de cuidar, ao lembrar com delicadeza da morte de outras pessoas e ao perceber que a morte traz alívio, reflexão e responsabilidade.

 

 


Palavras-chave


Estudante de enfermagem, atitude frente à morte, valor da vida.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGERAMI, Valdemar Augusto. Psicoterapia existencial. São Paulo: Thomson Learning Brasil, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo. ed. 70, 2011. 279 p.

BOFF, Leonardo. Saber Cuidar: Ética do humano: compaixão pela terra. 8 ed. São Paulo. Vozes, 2002.

BONI, Valdete; QUARESMA, Sílvia Jurema. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, v. 2, n 1, 2005, p. 68-80. Disponível em:

. Acesso em: 22 mar. 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Agencia Nacional de Prioridade de Pesquisa em Saúde/Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. 2 ed., 3ª reimpr. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2011. 68p. Disponível em:

Acesso em: 20 out 2016.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisas em ciências humanas e sociais. 8.ed. – São Paulo: Cortez, 2006.

D’ASSUMPÇÃO, Evaldo Alves. Tanatologia: ciência da vida e da morte. Arquivos de Tanatologia e Bioética. V.1. belo Horizonte: Fumarc, 2002, 47p.

FONTOURA, Elaine Guedes; SANTA ROSA, Darci de Oliveira. Vivência da tríade trágica nos cuidados de enfermagem à pessoa na finitude da vida. Ciência, Cuidado e Saúde. Maringá (PR), 2013, v. 2, n. 3, p.508-514. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2016.

FRANKL, Viktor Emil. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. Tradução de Walter O. Schlupp e Carlos C. Aveline. Petrópolis, 2013, 174p.

FRANKL, Viktor Emil; LAPIDE, Pinchas. A busca de Deus e questionamentos sobre o sentido: um diálogo. Tradução: Márcia Neumann Petrópolis: Editora Vozes. 2014. 170 p. ISBN978-85-326-4669-9.

FRANKL, Viktor Emil. Logoterapia e análise existencial: textos de cinco décadas. Tradução: Jonas Pereira dos Santos. Campinas: Editorial Psy II, 1995. 303 p. ISBN 85-85-480-89-0.

FRANKL, Viktor Emil. O homem em busca de um sentido. 4. ed. Lisboa: Lua de papel, 2016. 160 p. ISBN 978-989-23-1991-9.

FRANKL, Viktor Emil. O sofrimento de uma vida sem sentido: caminhos para encontrar a razão de viver. Tradução: Karleno Bocarro. São Paulo: É realizações, 2015. 128 p. ISBN 978-85- 8033-209-4.

FRANKL, Viktor Emil. Psicoterapia e sentido da vida: fundamentos da logoterapia e análise existencial. 5. ed. São Paulo: Quadrante, 2010. 352 p. ISBN 987-85-7465-056-2.

JÚNIOR, Fernando José Guedes da Silva; SANTOS, Lissandra Chaves de Sousa; MOURA, Pedro Victor dos Santos et al. Processo de morte e morrer: evidências da literatura científica de Enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, 1122 – 1126 p, 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2016.

LIMA, Adriana Braitt; SANTA ROSA, Darci de Oliveira. O sentido de vida do familiar do paciente crítico. Revista Esc Enferm USP. 2008, p. 547-53. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2016.

MORAIS, Inês Motta de. A escolha do lugar onde morrer por estudantes e médicos: valores humanos e percepção de morte digna. Dissertação de Doutoramento em Bioética. Porto – Portugal, 2012. 226 p. Disponível em:

. Acesso em: 28 set. 2016.

MOTA, Marina Soares; GOMES, Giovana Calcagno; COELHO, Monique Farias; LUNARDI FILHO, Wilson Danilo; SOUSA, Lenice Dutra de. Reações e sentimentos de profissionais da enfermagem frente à morte dos pacientes sob seus cuidados. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre (RS) 2011,32(1), p. 129-35. Disponível em:

. Acesso em: 22 mar. 2016.

SILVA, Rudval Souza da. Enfermagem em cuidados paliativos: cuidado para uma boa morte. Juliana Bezerra e William Malaguitti, organizadores – São Paulo (SP): Martinari, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n4-007

Apontamentos

  • Não há apontamentos.