Suporte ao enfrentamento das doenças crônicas realizado pelo Núcleo de Telessaúde de Santa Catarina / Support for coping with chronic diseases carried out by the Telehealth Center of Santa Catarina

Maria Luísa Fagundes França, Angelo Komnitski, Luise Lüdke Dolny, Tatiana Mezadri, Marcos Aurélio Maeyama

Resumo


As doenças crônicas são responsáveis por milhões de óbitos anualmente em todo o mundo. Por óbvio essas doenças trazem concomitantemente diversos custos que repercutem na economia dos países. Nesse sentido, o Telessaúde utiliza das tecnologias de informação e comunicação (TIC) na saúde tendo como benefícios reduzir as distâncias, diminuir custos, dar celeridade as informações, possibilitar comunicação em áreas de difícil acesso, e auxiliar os profissionais de saúde no seu processo de qualificação e educação permanente. Este trabalho teve o objetivo de identificar o apoio realizado pelo Núcleo de Telessaúde de Santa Catarina aos profissionais de saúde no enfrentamento das doenças crônicas. Foi realizado estudo descritivo, de abordagem quantitativa, a partir dos relatórios públicos disponibilizados pelo Telessaúde SC e da própria plataforma da instituição. Os resultados demonstraram que o Telessaúde SC realiza apoio significativo às equipes de saúde no enfrentamento às doenças crônicas por meio de teleconsultoria, telediagnóstico, tele-educação e segunda opinião formativa. As TIC na saúde representam importante ferramenta para a consolidação da Atenção Básica e do SUS.

 


Palavras-chave


Telessaúde, Doenças Crônicas, Atenção Básica à Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.546, de 27 de outubro de 2011. Redefine e amplia o Programa Telessaúde Brasil, que passa a ser denominado Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes (Telessaúde Brasil Redes). Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº. 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2012. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

DOLNY, L. L.; LACERDA, J. T.; NILSON, L. G.; CALVO, M. C. M.; NATAL, S.; MAEYAMA, M. A. Educação permanente em saúde (EPS) no processo de trabalho de

equipes de saúde da família (ESF). Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 1, p. 15-38, 2020.

DOLNY, L. L.; LACERDA, J. T.; NILSON, L. G.; MONTEIRO, E. R.; MAEYAMA, M. A.; CALVO, M. C. M. Telessaúde como estratégia de Educação Permanente em Saúde para profissionais da Atenção Básica. In: VENDRUSCULO, C. et al. Frutos dos movimentos de educação permanente em saúde de Santa Catarina: caminhos e oportunidades [recurso eletrônico] – 1.ed. – Porto Alegre: UNIDA, 2018. p. 207-223.

MAEYAMA, M. A.; GIARETTA, A. L. S.; PUPIM, B.; MACHADO, D. C.; LUNARDELLI, G. K.; NILSON, L. G.; OLIVEIRA, M. B.; CALVO, M. C. M. Integração do Telessaúde no fluxo entre Atenção Básica e Atenção Especializada no Município de Joinville – SC. Revista Catarinense de Saúde, v. 6, n. 13, p. 107-114, 2016.

MALDONADO, J. M. S. V.; MARQUES, A. B.; CRUZ, A. Telemedicina: desafio à sua difusão no Brasil. Cad. Saúde Pública, v. 32, sup 2, e00155615, 2016.

NILSON, L. G.; CALVO, M. C. M.; DOLNY, L. L.; NATAL, S.; MAEYAMA, M. A.; LACERDA, J. T. Avaliação da utilização de telessaúde para apoio assistencial na atenção

primária à saúde. Brazilian Journal of Health Review, v. 2, n. 6, p. 6188-6206, 2019.

NÚCLEO TELESSAÚDE SANTA CATARINA. Universidade Federal de Santa Catarina. Brochura do Núcleo Telessaúde SC. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. 2017a.

NÚCLEO TELESSAÚDE SANTA CATARINA. Universidade Federal de Santa Catarina. Relatório final do Projeto 401211/2013-4 - Avaliação do impacto dos serviços oferecidos pelo Núcleo Telessaúde SC na melhoria da qualidade na Atenção Básica de Santa Catarina. Chamada MCTI/CNPq/MS - SCTIE - Decit Nº 08/2013 – Pesquisa em educação permanente para o SUS e dimensionamento da força de trabalho em saúde. Relatório. Digitalizado. Florianópolis, 2017b.

NÚCLEO TELESSAÚDE SC. Universidade Federal de Santa Catarina. Relatórios de Monitoramento das participações de todos os serviços de Telessaúde de 2009 a setembro de 2018. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. 2019.

RIBAS, L. Teledermatologia em Florianópolis completa um ano de implantação com resultadospositivos. STT/SC[22/07/2016].Disponívelem:http://site.telemedicina.ufsc.br/teledermatologia-em-florianopolis-completa-um-ano-de-implantacao-com-resultados-positivos Acesso em: 19 de novembro de 2019.

SANTA CATARINA. Secretaria Estadual de Saúde. Relatório da central estadual de regulação do Estado de Santa Catarina, 2018. Florianópolis: Secretaria Estadual de Saúde, 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Preventing chronic diseases a vital investment. Geneva: Word Health Organization, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n4-006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.