O impacto da indústria 4.0 na gestão de pessoas / The impact of industry 4.0 on people management

Rafael Carraro Marini de Souza

Resumo


O presente artigo tem por proposta analisar as atuais mudanças das formas nas quais o trabalho é praticado hoje através do levantamento bibliográfico e estudo histórico na pratica da administração. Desde a metade do século XVIII é perceptível uma constante mudança no ambiente de trabalho, marcando-se pela revolução industrial. Hoje em dia, o termo 4° revolução industrial ou indústria 4.0 vem de forma à compreender mudanças igualmente significativas às propostas na revolução industrial, desta forma, pretende-se aqui analisar e compreender as novas formas de trabalho, como inovação disruptiva, gestão de pessoas e relações humanas nas organizações. Considerando a crescente participação de elementos não humanos, novas tecnologias e elementos cada vez mais inovadores na cadeia produtiva. Objetivando compreender a posição da prática da gestão de pessoas em um ambiente com grande interferência não humana, pelo viés da gestão de pessoas e relações humanas como um todo, este estudo trará uma visão analítica sobre as inovações e seus impactos no mercado, propondo uma reflexão sobre os novos rumos que a gestão de pessoas deverá tomar, não fechando os olhos para a constante evolução tecnológica, mas mantendo a atenção ao fator humano inserido em qualquer processo produtivo. Este artigo está destinado à profissionais atuantes e estudiosos do assunto em caráter de reflexão sobre o tema, não apontando quaisquer soluções ou medidas à tomar, contribuindo apenas para a interpretação do atual cenário globalizado e mutável envolvendo a indústria 4.0 e a prática da gestão de pessoas, podendo servir de base para estudos mais aprofundados e direcionados do tema.


Palavras-chave


Tecnologia, indústria 4.0, Gestão de Pessoas

Texto completo:

PDF

Referências


ASHTON, Kevin. That ‘internet of things’ thing. RFid Journal, 22(7): 97-114. 2009

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CHRISTENSEN, Clayton. The Innovator's Dilemma: The Revolutionary Book That Will Change the Way You Do Business. HarperBusiness., 2011

KIENEN, N., WOLFF, S. Administrar comportamento humano em contextos organizacionais.

Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil. v. 2, n. 2, 2002

KNELLER, G. F. A Ciência como Atividade Humana. São Paulo. ZAHAR/EDUSP. 1978

MARX, Karl. Trabalho Assalariado e Capital. 4ª edição, São Paulo, Global, 1987.

MASLOW, A. H. Motivation and Personality. Nova York: Harper & Row Publishers, 1954.

MAXIMIANO, Antônio César Amauri. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2007.

RODRIGUES, A. M. M. Por uma filosofia da tecnologia. In: Grinspun, M.P.S.Z.(org.). Educação Tecnológica - Desafios e Perspectivas. São Paulo: Cortez, 2001: 75-129.

VERASZTO, E. V. Projeto Teckids: Educação Tecnológica no Ensino Fundamental. Dissertação de Mestrado. Campinas. Faculdade de Educação. UNICAMP. 2004.

VISCAINO, Cassiana Cristina Lorenzon; ESTORK. Leandro. Gestão de Pessoas: Um olhar sobre a evolução histórica do principal ativo nas organizações empresariais. Disponível em:

https://alunosonline.uol.com.br/sociologia/conceito-trabalho.html Acesso em 10/09/2018 20h

https://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2016/05/so-48-das-industrias-brasileiras-sao-40-diz-cni.html acesso em 15/09/2018 17h

http://www.hannovermesse.de acesso em 15/09/2018 17h30




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n3-101

Apontamentos

  • Não há apontamentos.