A percepção do ruído: um estudo sobre as salas de aula da UFPR em Curitiba-PR / A perception of noise: a study on the classrooms of UFPR in Curitiba-PR

Edson Maikon Rocha, Willian Rodrigues Moreira, Elisa Carla Barletta

Resumo


O conforto acústico é uma característica essencial para o desempenho de atividades realizadas em locais como instituições de ensino. No caso dessas, ela é imprescindível para os estudantes realizarem atividades que demandam concentração como: leituras, cálculos, explanações, análises e experimentos exigindo, para tanto, um ambiente silencioso. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi o de investigar a percepção que os acadêmicos da UFPR têm acerca do ruído presente dentro das salas de aula e nas imediações da universidade. Para tanto, realizaram-se medições acústicas para identificar o nível sonoro característico das salas de aula e, também foi aplicado um questionário sobre a percepção do ruído (presença, intensidade, bem como possíveis causas e efeitos) com uma amostra de universitários. O resultado apurado indicou que, a média de ruído encontrado pela pesquisa, em diferentes salas de aula do bloco de Engenharia Mecânica da UFPR, nas salas de aula da Reitoria no Departamento de Design, chegou a 76,15 dBA, o que e considerado um valor elevado pelos padrões da Organização Mundial da Saúde. Portanto, os resultados apontaram que, tanto os profissionais da educação quanto aos alunos ficam, durante o período de aulas em exposição constante ao ruído e que, apesar, disso, as consequências para o aprendizado, não pode ser plenamente definida pelos entrevistados.


Palavras-chave


percepção de ruído, conforto acústico, sala de aula, UFPR.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA F. N, FILLETTI F, GUILLAURMON H.R, SERAFINI F. Intensidade de Neutro em Sala de Aula e Análise de Dissidentes em Escolas. Arq Int Otorrinolaringol 2012.

ALMEIDA M. N; GOMES E. G. S; OLIVEIRA D.F; OLIVEIRA P.A; BARBOSA D.M.F. Análise Ergonômica Do Nível De Ruído Em Salas De Aula De Uma Faculdade Na Cidade De Patos-Pb. In: XXXVI Encontro Nacional De Engenharia De Produção; 2016 Out 3-6; João Pessoa, Brasil.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10.152: Informação e Documentação -

Trabalhos acadêmicos - Apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2001.

Avaliação e percepção docente sobre os efeitos do nível de pressão sonora na sala de aula. Disponível em: https://ken.pucsp.br/dic/article/viewFile/22165/18805. Acesso em: 02 jul 2019.

CRANDELL C.C; SMALDINO J. J. Classroom acoustics for children with normal hearing and with hearing impairment. Lang Speech Hear Serv Sch. 2000; 31:362-70.

COUBE C.Z.V; BEVILACQUA M.C; FERNANDES J. C. Ruído na escola. 4a ed. Bauru: HRAC/USP; 1999.

DANIELI F. Reconhecimento de fala com e sem ruído competitivo em crianças usuárias de implante coclear utilizando dois diferentes processadores de fala. São Carlos. Dissertação [Mestrado em Bioengenharia] - Universidade de São Paulo; 2010.

FERNANDES J C. Padronização das condições acústicas para salas de aula. In: Simpósio de Engenharia de Produção; 2006 Nov 6-8; Bauru, Brasil.

_____________, BARREIRA C. S. C. Speech recognition obtained with the use of soundfield FM system in hearing impaired children. In: Anais da Annual Convention & Exposition of American Academy of Audiology; 2000 Dec; Chicago, USA Chicago: American Academy of Audiology; 2000. p. 144-53.

NIELSEN J. Why You Only Need to Test with 5 Users, User Testing. Mar 19, 2000. Disonível em: https://www.nngroup.com/articles/why-you-only-need-to-test-with-5-users/ Acesso em: 01 jul 2019.

___________. Quantitative Studies: How Many Users to Test?, User Testing. Jun 26, 2006. Disonível em: https://www.nngroup.com/articles/quantitative-studies-how-many-users/ Acesso em: 01 jul 2019.




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n3-089

Apontamentos

  • Não há apontamentos.