O jogo como auxílio no processo ensino-aprendizagem: as contribuições de Piaget, Wallon e Vygotsky / The game in the teaching-learning process: Piaget, Wallon and Vygotsky contribuitions

Aline Soares Campos, Gardênia Coelho Viana, Luiza Lúlia Feitosa Simões, Heraldo Simões Ferreira

Abstract


O presente trabalho tem como principal objetivo investigar o jogo como recurso de intervenção para a aprendizagem e a superação das dificuldades de aprendizagem. No Brasil, a estrutura da educação, está definida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação que torna a educação básica obrigatória e gratuita dos 4 aos 17 anos de idade, organizada em três etapas: educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. Neste sentido, a escola tem que ser para todos, contemplar a dimensão lúdica e proporcionar o desenvolvimento humano na sua plenitude, em condições de autonomia, liberdade e dignidade, respeitando e valorizando as diferenças na perspectiva do desenvolvimento cognitivo. A metodologia utilizada para o levantamento bibliográfico realizou a pesquisa na Web ou busca de duas formas: por abrangência e por profundidade. A importância dos jogos vem ressaltado por diversos autores, sendo os mais citados Piaget, Wallon e Vygotsky respectivamente com 23,6Mi, 14,2 Mi e 4,84 Milhões de ocorrências mostrando a universalidade destes grandes pensadores e a importância do ato de jogar. Avaliamos também a importância dos jogos na educação física e como ferramenta de aprendizagem, que apresentaram juntos 400 mil citações em trabalhos científicos. Estes resultados demonstram a importância da utilização desta ferramenta no ensino-aprendizagem escolar.


Keywords


Jogo; Aprendizagem; Piaget; Wallon; Vygotsky.

References


ANTUNES, C. Jogos para estimulação das múltiplas inteligências. Petrópolis: Vozes, 301 pp.,1998.

ARCE, A. L. Uma criança exemplar! Friedrich Froebel e a pedagogia dos jardins-de-infância. Revista Brasileira de Educação, n.20, pp.107-120, 2002.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf.

_____. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. 404 pp. Brasília, DF: Inep, 2015.

_____. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Volume 3: Conhecimento de mundo. 3v.: il. Brasília: MEC/SEF, 1998.

_____. Leis de Diretrizes e Bases. Lei nº 9.394. 1996.

_____. Estatuto da criança e do adolescente. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990.

BROLESI, M. L.; STEINLE, M. C. B.; SILVA, L. P. O. Jogos, brinquedos e brincadeiras. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S. A., 192 pp., 2015.

CENSO ESCOLAR da Educação Básica - 2019. IBGG. Disponível em:< http://portal.inep.gov.br/censo-escolar > Acesso em: 15. Abril. 2020.

DAVIS, C. L. F.; ALMEIDA, L. R.; RIBEIRO, M.P.O.; RACHMAN, V. C. B. Abordagens vygotskiana, walloniana e piagetiana: diferentes olhares para a sala de aula.Revista: Psicologia da Educação, São Paulo, n. 34, p. 63-83, Jun, 2012.

EICHLER, M.L. Acerca das citações à obra de Jean Piaget em revistas indexadas. Schème – Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas. Volume 7, Número 2, 2015.

GUOPING, Z. Human Science for Human Freedom? Piaget's Developmental Research and Foucault's Ethical Truth Games. Educational Studies, Vol.48 (5), pp.450-464, 01, September, 2012,

GRATIOT-ALFANDÉRY, H. Henri Wallon. Tradução e organização: Patrícia Junqueira. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.

GRASSI, T. M. Oficinas Psicopedagógicas. 2ª ed. rev. e atual. Curitiba: IBPEX, 2008.

KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1997.

_____, T. M. Froebel e a concepção de jogo infantil. Revista da Faculdade de Educação - USP. v. 22, n.1, 145-167. 1996.

MACEDO, L. de. Piaget e a nossa inteligência. Pátio: Revista Pedagógica, Porto Alegre: v.1, n.1, p.10-3, maio/jul., 1997a.

MARINHO, H. R. B.; MATOS JUNIOR, M. A.; SALLES FILHO, N. A.; FINCK, S. C. M. Pedagogia do Movimento: universo lúdico e psicomotricidade. Curitiba: IBPEX, 2007, 123 p.

MARTÍNEZ, S. J. R.; CAMACHO, X. G. O.; MADRONA, P.G. Development of the Checklist of Psychomotor Activities for 5- to 6-Year-Old Children. Perceptual and Motor Skills. Vol.125(6), pp.1070-1092. December, 2018.

MODESTO, M. C.; RUBIO, J. A. S. A Importância da Ludicidade na Construção do Conhecimento. Revista Eletrônica Saberes da Educação – Volume 5 – nº 1 – 2014.

OLIVEIRA, M.K. Vygotsky aprendizado e desenvolvimento: Um Processo Sócio-Histórico. Ed. Scipione. 112 p. 1997.

OLIVEIRA, M. A. C. Psicopedagogia: a instituição em foco. Curitiba: IBPEX, 2009.

OLIVEIRA, O. N.; SOUZA, R. R. Jogos digitais: motivação para a aprendizagem contemporânea. Anais V Simpósio Nacional ABCiber. 14p. UDESC/UFSC -Florianópolis, 2011.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

RAU, M.C.T.D. A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica: Curitiba Ibpex, 2007

TRAINA, A. J. M.; TRAINA JÚNIOR, C. Como fazer pesquisa bibliográfica. SBC Horizontes, São Paulo, v. 2, n. 2, pp. 30-35, 2009.

VYGOTSKY, L. A. Psicologia pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2003.

______. Formação social da mente: O desenvolvimento de processos psicológicos superiores. 6ª ed. São Paulo, 1988.

WANG, L.; Ha, A. S. Factors influencing pre-service teachers' perception of teaching games for understanding: a constructivist perspective. Sport, Education and Society. Vol.17(2), pp.261-280, 01 - March – 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-241

Refbacks

  • There are currently no refbacks.