Classificaçâo da água de irrigação quanto à salinidade no Sítio Cajueiro Município de Catolé do Rocha-PB / Classification of irrigation water as to salinity in the Situation of Cajueiro Municipality of Catolé do Rocha-PB

Francisco Ademilton Vieira Damaceno, Elaine Gonçalves Rech, Elaine Gonçalves Rech, Maria do Socorro de Caldas Pinto, Maria do Socorro de Caldas Pinto, Samara da Silva Cavalcante, Samara da Silva Cavalcante, Edivan da Silva Nunes Junior, Edivan da Silva Nunes Junior

Abstract


Tem-se conhecimento que o efeito dos sais sobre as características químicas e físicas de solos irrigados é de grande importância para manutenção da sua capacidade produtiva e a qualidade da água é um aspecto fundamental para o êxito em sistemas irrigados, no entanto a sua classificação é muitas vezes negligenciada em projetos de irrigação. A classificação de água para irrigação é um recurso que permite uma base para prenunciar com relativa confiança o efeito geral da sua utilização sobre o solo e a planta e sob o sistema de irrigação. Diante disso objetivou-se, com esse trabalho, classificar as águas de cinco poços amazonas em um total de 35 amostras durante o período de fevereiro a agosto de 2014, localizados no Sítio Cajueiro - Catolé do Rocha/PB. As variáveis analisadas foram a Condutividade Elétrica (CEa), o  Sais Dissolvidos Totais(SDT) e Potencial Hidrogeniônico (pH). As amostras foram classificadas por três metodologias para confronto de uso e práticas de manejo a serem adotadas. Os resultados mostraram que 80% das amostras foram classificadas como C1 utilizando Richards. Pelo UCCC, também as amostras foram do tipo C2 em sua maioria com 80%. E por fim, 97% como de amostras do tipo C2 por Ayers e Westcot . O uso dessas águas, quando confrontados as recomendações especificas de cada metodologia, requerem cuidados especiais, com práticas de manejo adequada, drenagem, e cultivos tolerantes aos sais. Quanto a concentração de SDT verificou-se que 91,43% das amostras apresentaram grau de restrição de médio a moderado quanto ao uso das águas. O pH ficou dentro da normalidade em todas as amostras.

 

 


Keywords


lixiviação; potencial hidrogeniônico; salinidade.

References


ALMEIDA, O.A; A Qualidade da água de irrigação. Cruz das Almas: Embrapa Mandioca e Fruticultura, 2010.197p.

.

ANDRADE, E. M.; AQUINO, D. N.; CRISÓSTOMO, L. A.; RODRIGUES, J. O.; LOPES, F. B. Impacto da lixiviação de nitrato e cloreto no lençol freático sob condições de cultivo irrigado. Ciência Rural, Santa Maria, v.39, n.1, p.88-95, 2009.

AYRES, R. S.; WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. 2º. ed. Campina Grande: UFPB, 1999. 153p. (Estudos FAO, irrigação e Drenagem 29, revisado 1).

BERNARDO, S.; SOARES, A. A.; MANTOVANI, E. C. Manual de irrigação. 8. ed. Viçosa: UFV, 2006. 625 p.

FRANÇA, R. M.; FRISCHKORN, H.; SANTOS, M. R. P.; MENDONÇA, L. A. R.; BESERRA, M. C. Contaminação de poços tubulares em Juazeiro do Norte-CE. Engenharia sanitária e ambiental v.2, n.1, p. 92-102, 2006.

HOLANDA, J.S; AMORIM, J.R.A; Qualidade da água para irrigação.In GHEYI, H. R, QUEIROZ, J.E; MEDEIROS, J. F. de (Ed) Manejo e controle de salinidade em agriculturairrigada.Campina Grande:SBEA-UFPB,1997.cap 5 p.1-27.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (2013). Disponível em: http://www.geografos.com.br/cidades-paraiba/catole-do-rocha.php. Acesso em: 20/03/2014..

MEDEIROS, J. F; GHEYI, H. R; A qualidade da água de irrigação Mossoró, RN: ENA/ESAM, 1994.

RIBEIRO, T.A.P. et al. Variação dos parâmetros físicos, químicos e biológicos da água em um sistema de irrigação localizada. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v.9, n.13, p. 295-301, 2005.

RICHARDS, L. A. (ed). Diagnosis and improviment of saline and alkali soils.Washington DC, US Department of Agriculture, 1954.160 p. (USDA Agricultural Handook, 60).

SILVA, N. Í.; FONTES, L. O.; TAVELLA, L. B.; OLIVEIRA, J. B.; OLIVEIRA, A. C. Qualidade de água na irrigação. Revista Agropecuária Cientifica no Semi-Árido. v.7, n.03, p.01-15, 2011.

SOUSA, J. T. et al. Desempenho da cultura do arroz irrigado com esgotos sanitários previamente tratados. Revista Brasileira Engenharia Ambiental, Campina Grande, v.5, n. 1, p. 107-110, 2001.

SOUSA, T. P.; NETO, E. P. S.; SILVERA, L. R. S.; FILHO, E. F. S.; SILVA, J. N.; LINHARES, P. C. A.; MARACAJÁ, P. B. Analise da qualidade da água de irrigação em função de sua condutividade elétrica (concentração total de sais solúveis).Agropecuária Científica no Semi-Árido, v.10, n. 3, p. 82-88, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-232

Refbacks

  • There are currently no refbacks.