Tendência secular de crescimento em estatura de crianças e adolescentes e sua associação com fatores extrínsecos a partir da segunda metade do século XX no Brasil: uma revisão de literatura / Secular growth trend in stature of children and adolescents and their association with extrinsic factors from the second half of the 20th century in Brazil: a literature review

Gabriela Rezende do Amaral, Amanda Martins Castanheira, Marcela Teixeira Thomé, Isadora Milhomem Bruno da Silveira

Abstract


O crescimento faz parte da vida humana desde a fase intrauterina até a idade adulta. Em longos períodos de tempo verificou-se mudança no tamanho corporal e/ou da sua composição em determinado grupo populacional, o que permitiu o surgimento do termo Tendência Secular de Crescimento (TSC). Esta tendência pode ser positiva, negativa ou ausente, e está intimamente correlacionada com as causas sociais, como normatização do trabalho infantil, o tamanho das famílias, alterações do comportamento das crianças e elevação no nível de saúde individual e populacional, entre outros. Neste trabalho, avaliaram-se produções anteriores que analisaram a TSC em estatura de crianças nas fases lactente, pré-escolar, escolar, e adolescência, e os fatores extrínsecos a ele associado. É possível observar que o Brasil conta com uma TSC positiva principalmente a partir da segunda metade do século XX, época em que também se notou um maior bem estar social – a mortalidade infantil diminuiu, assim como a taxa de analfabetismo e houve aumento da expectativa de vida – além de ter sido a época de maior desenvolvimento econômico, notado principalmente pelo aumento do PIB per capita.


Keywords


Tendência Secular; crescimento; criança; estatura.

References


AMORIM, STSP et al. Estatura de adolescentes matriculados em escolas da rede pública no estado do Paraná, Brasil. Rev. Nutr., Campinas, 22(2): 195-205, mar./abr., 2009.

BARBANTI, VJ. Aptidão física relacionada à saúde – manual de testes. Campinas: Artes Gráficas JC, 1983.

BIANCHETTI, LA; DUARTE, MFS. Tendência secular de crescimento em escolares catarinenses de 7 a 10 anos de idade. R. min. Educ. Fís., Viçosa, 6(1): 50-64, 1998.

DURÃO, RDL. Morfologia e tendência secular: estudo em jovens escolares femininos da Ilha de São Miguel. Coimbra, 2009.

FRANÇA, NM et al. Dobras cutâneas em escolares de 7 a 18 anos. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. v.2, n.4, p. 7-16, 1988.

EISENSTEIN, E. Adolescência: definições, conceitos e critérios. Disponível em: < http://www.adolescenciaesaude.com/detalhe_artigo.asp?id=167>. Acesso em: 26/11/2019.

LOURENÇO, B; QUEIROZ, LB. Crescimento e desenvolvimento puberal na adolescência. Ver Med (São Paulo). 2010 abr.-jun.; 89(2): 70-5.

MARCONDES et al. Pediatria Básica. 9. ed. São Paulo: Sarvier, 2002. 1v.

MARCONI, MA; LAKATOS, EM. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARMO, DB et al. Tendência secular de crescimento em escolares de Paulínia, São Paulo-Brasil (1979/80 – 1993/94). Rev. Assoc. Med. Bras. 2004; 50(4): 386-90.

MONTEIRO, CA; CONDE, LW. Tendência secular do crescimento pós-natal na cidade de São Paulo (1974-1996)*. Rev. Saúde Pública 2000; 34 (6 Supl): 41-51.

NASCIMENTO, VG et al. Tendência secular de crescimento de crianças pré escolares, Brasil, 1997-2007. Rev. Bras. Cresc. e Desenv. Hum. 2010; 20(2): 199-207.

NELSON et al. Tratado de Pediatria. 18. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. 1v.

NETO, JE; FILHO, AZB. Tendência secular de crescimento em crianças do Brasil: Evidências de evolução positiva desde a primeira metade do século XX. Rev. Ciênc. Méd., Campinas, 13(2): 95-104, abr./jun., 2004.

PENCHASZADEH, VB. Condicionamentos básicos para el crecimiento – uma larga polemica: herencia o ambiente. In: CUSMINSKY, M et al. Crecimiento y desarrollo: hechos y tendencias. Washington DC, OMS, Publicacion científica nº 510. p. 90-101, 1998.

PHILLIPS, SM et al. Measurement of growth in children. Disponível em: < https://www.uptodate.com/contents/measurement-of-growth-in-children>. Acesso em: 21/11/2019.

ROGOL, AD et al. Diagnostic approach to children and adolescents with short stature. Disponível em: < https://www.uptodate.com/contents/diagnostic-approach-to-children-and-adolescents-with-short-stature>. Acesso em: 21/11/2019.

SONCINI, AS et al. Tendência secular de crescimento em Blumenau (SC). Ciência & Saúde Coletiva, 16 (Supl. 1): 1275-1280, 2011.

SOUZA, OF; NETO, CSP. Tendência secular sobre o crescimento físico da estatura e peso. Revista KINESIS, Santa Maria-RS, n. 15, 1997.

VARGAS, DM et al. Tendência secular do crescimento em estatura em Blumenau-Brasil e sua associação com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Rev. Assoc. Med. Bras. 2010; 56(3): 304-8.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-228

Refbacks

  • There are currently no refbacks.