Violência de gênero e assédio sexual em uma Universidade Piauiense: aproximações ao campo de estudo / Gender violence and sexual harassment in a Piauiense University: approaches to the field of study

Rebeca Hennemann Vergara de Souza, Maria Paula da Silva França, Camila Macêdo Pereira

Abstract


Este trabalho pretende discutir uma manifestação específica da violência de gênero, o assédio sexual, especialmente aquele praticado na universidade, a partir de dados de duas pesquisas realizadas em uma instituição pública de ensino superior no Piauí. Os resultados apontam que o assédio sexual faz parte da vivência universitária das mulheres, embora, dada a estrutura das relações de poder entre os gêneros, identifique-se certa dificuldade em nomear e identificar prontamente a violência, muitas vezes tida como brincadeira ou piada de caráter sexual. Ainda assim, as mulheres relatam constrangimento e repulsa diante das situações de assédio. As mulheres também demonstram receio em falar sobre o assunto e, especialmente em uma das pesquisas, oferecem respostas informais distintas das que apontaram no questionário. O assédio sexual se objetiva no dia a dia, na sala de aula ou nos corredores, e através de mediação tecnológica e produz efeitos no desempenho e nas oportunidades escolares das discentes. Lidos à luz das estatísticas nacionais sobre violência de gênero, os dados nos indicam a necessidade não apenas de estudos aprofundados sobre o tema, como também de políticas institucionais de acolhimento e  enfrentamento.


Keywords


Assédio sexual. Universidade. Relações de poder. Violência de Gênero

References


BANDEIRA, L. Prefácio. In: BLAY, E. A. Assassinato de mulheres e direitos humanos. São Paulo: USP/PPG Sociologia: ed.34, 2008. p.7-13.

BARROSO, C.; MELLO, G. N. O acesso da mulher ao ensino superior brasileiro. Fundação Carlos Chagas. Cadernos de Pesquisa, n° 15, p. 47-77, 1975. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1813/1786. Acesso em: 27 jul. de 2019.

BARSTED, L. L. O feminismo e o enfrentamento da violência contra as mulheres no Brasil. In: SARDENBERG, C. M.; TAVARES, Márcia S. (orgs). Violência de gênero contra mulheres: suas diferentes faces e estratégias de enfrentamento e monitoramento. Salvador: EDUFBA, 2016. p.17-40.

BLAY, E. A.; CONCEIÇÃO, R.R. A mulher como tema nas disciplinas da USP. Cadernos de Pesquisa, n° 76, fev. p. 50-56, 1991. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1054. Acesso em: 27 jul. de 2019.

BLAY, E. A. Assassinato de mulheres e direitos humanos. São Paulo: USP/PPG Sociologia: ed.34, 2008.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. 11° ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BUNCH, C. Los derechos de la mujer como derechos humanos: hacia una revisión de los derechos humanos. In: BUNCH, Charlotte; CARRILLO, Roxanna. Violencia de genero: um problema de desarrollo y derechos humanos. New Brunswick: Centro de Liderazgo Global de la Mujer, 1995. p.3-22.

BURMESTER, M.; HENRY, P.; KERMES, L. Tracking cyberstalkers: a cryptographic approach. Computer and Society Magazine, 35, p.1-12, 2005.

CARNEIRO, S. Escritos de uma vida. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

DAVIS, A. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DRUMONT, M. P. Elementos para uma análise do machismo. Perspectivas, v. 3, p.81-85, 1980. Disponível em: https://seer.fclar.unesp.br/perspectivas/article/download/1696/1377. Acesso em: 23 mai 2019.

EFRAIM, A.; FREITAS, H. Estudantes ainda têm receio de denunciar assédio sexual sofrido em universidades. O Estado de São Paulo, São Paulo, 06 jun 2017. Disponível em: https://emais.estadao.com.br/noticias/comportamento,estudantes-ainda-tem-receio-de-denunciar-assedio-sexual-sofrido-em-universidades,70001828491. Acesso em: 23 mai 2019.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FUKUDA, R.F. Assédio sexual: uma releitura a partir das relações de gênero. Simbiótica, n.1., p.1-17, junho-2012. Disponível em: .

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Sinopse estatística da educação superior 2017. 2018. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 23 mai 2019.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; FBSP. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Atlas da violência 2019. Brasília: Rio de Janeiro: São Paulo: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2019. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatorio_institucional/190605_atlas_da_violencia_2019.pdf. Acesso em: 27 jul. de 2019.

JANSSEN, D. O assédio sexual? Professor e aluno. Disponível em: http://phmp.com.br/artigos-epublicacoes/artigo/o-assedio-sexual-professor-e-aluno/. Acesso em: 23 mai 2019.

MENDRAS, H. Sociétés paysannes. Paris: A. Colin, 1976.

MEU PROFESSOR ABUSADOR. 2006. Disponível em: https://www.facebook.com/Meu-Professor-Abusador-1123550511018710/. Acesso em: 23 mai 2019.

PAMPLONA FILHO, R. Assédio sexual: questões conceituais. Revista de Direito do Trabalho, v. 27, n. 103, p 182-199, jul. /set. 2001. Disponível em: www.andt.org.br/f/20131533_ANDT_artigo_assedio_Rodolfo.pdf. Acesso em: 23 mai 2019.

PATEMAN, Carole. O contrato sexual. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

SÁ, B.S.; FOLRIANI, M.D.; RAMPAZO, A.V. Assédio sexual: o poder do macho na universidade.Estudos de administração e sociedade, v.3, n.2, p.22-31, 2017. Disponível em: http://periodicos.uff.br/revistaeas/article/view/27415. Acesso em 23 mai 2019.

SAFFIOTI, H. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Expressão Popular: Perseu Abramo, 2015.

SAFFIOTI, H. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-213

Refbacks

  • There are currently no refbacks.