Interface ensino-serviço na atenção à saúde da pessoa idosa: operacionalizando o arco de Charles Maguerez com a visita domiciliar / Teaching-service interface in health care for elderly people: operating the Charles Maguerez arch with home visit

Augusto Antônio da Fonseca Neto, Tammy Rodrigues, Antônio de Medeiros Pereira Filho, Alexandre Bezerra Silva

Abstract


Objetivou-se relatar a experiência discente vivenciada por meio de visitas domiciliares a uma pessoa idosa e ao seu núcleo familiar na cidade de Mossoró/RN, permeado por métodos ativos de aprendizagem. Trata-se de um relato de experiência realizado com a participação de discentes e docentes do curso de medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Fez-se uso das metodologias ativas, mais especificamente o Arco de Charles Maguerez, para a realização de algumas visitas domiciliares a uma pessoa idosa e seu núcleo familiar. Foram realizadas quatro visitas domiciliares à família, sistematizadas durante as atividades da disciplina Vivência em Comunidade I, ofertada no primeiro período do curso de Graduação em Medicina da UERN. Os principais resultados apontam para importância da visita domiciliar no contexto da Estratégia Saúde da Família e a utilização de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na abordagem a pessoa idosa. Percebeu-se que essas visitas era algo que demandaria grande empenho e responsabilidade, para ser positivo à família que se passou a conhecer e por conseguinte, também, contribuía fortemente com a formação do estudante de medicina no sentido de revelar, a importância da ação na sociedade, tendo em vista, a mudança na realidade pessoal e o olhar pautado na integralidade das ações nos serviços de saúde. Esses achados revelam a importância de atividade de ensino na comunidade desde os primeiros anos de graduação direcionadas para um olhar reflexivo e alinhado à teoria-prática-teoria, consolidando um exemplo ímpar de como lidar com a vida, a importância do respeito, de valorizar a família, compreender as dificuldades pessoais e como isso afeta o âmbito comunitário, e acima de tudo, construir bases humanísticas para o futuro profissional, momento de permuta de saberes entre discentes, a idosa e seu núcleo familiar, trazendo sentimentos de gratidão e humanidade, virtudes outrora negadas no processo formativo do profissional médico, a partir do momento em que esse profissional foi colocado como um interventor em pacientes descontextualizados do seu ambiente de convívio e interação psicossocial.


Keywords


Saúde do idoso, Atenção Primária à Saúde, Visita domiciliar, Metodologias ativas

References


ANDRADE, F. B. et al. Saúde mental do Idoso. PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL DO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA: AS CONTRIBUIÇÕES DA TERAPIA COMUNITÁRIA, Florianópolis, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v19n1/v19n1a15.pdf. Acesso em: 6 abr. 2019.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 2, n.2, p.139-154, fev. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v2n2/08.pdf. cesso em: 11 de março de 2019.

BRASIL, IBGE. Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. Agência IBGE Notícias, [S. l.], p. 01-05, abr. 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-denoticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em- 2017. Acesso em: 6 abr. 2019.

BRASIL, M. S. Política nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília, 2009.

BRASILINO, T.; DORONIN, J. A. F. O Olhar de Discente Sobre Experiência Extensionista com Idosos. In: 5º Encontro Internacional de Política Social – 12º Encontro Nacional de Política Social – Tema: “Restauração Conservadora e Novas Resistências”. Vitória, p. 01-12, 2017. Disponível em: http://www.portaldepublicacoes.ufes.br/EINPS/article/view/16620/11469. Acesso em: 3 abr.2019.

CASTRO, M. R.; LIMA, L. H. R.; DUARTE, E. R. Jogos recreativos para a terceira idade:uma análise a partir da percepção dos idosos. Rev. Bras. Ciênc. Esporte, Brasília, v. 38, n. 3,p. 283-289, jul./set., 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0101328915001225. Acesso em: 6 abr.2019.

MARIN, M. J. S. et al. Pós-graduação multiprofissional em saúde: resultados de experiências utilizando metodologias ativas. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 14, n. 33, p.331-344, abr./jun., 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v14n33/a08v14n33.pdf. Acesso em: 11 de março 2019.

MESQUITA, S. K. C; MENESES, R. M.; RAMOS, D. K. R. Metodologias ativas de ensino/aprendizagem: dificuldades de docentes de um curso de enfermagem. Trabalho. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 473-486, maio/ago. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v14n2/1678-1007-tes-1981-7746-sip00114.pdf. Acesso em: 11 de março de 2019.

NUNES, S.T. (org.). Envelhecimento e saúde da pessoa idosa, Rio de Janeiro: EAD/ENSP, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-201

Refbacks

  • There are currently no refbacks.