Prevalência de parasitos potencialmente zoonóticos em cães oriundos de canis na região de Pelotas, Rio Grande Do Sul, Brasil / Prevalence of potentially zoonotic parasites in dogs from kennels in the Pelotas region, Rio Grande Do Sul, Brazil

Maysa Seibert de Leão, Julia Somavilla Lignon, Tainá Ança Evaristo Mendes Cardoso, João Luis Trojan Camassola, Alexsander Ferraz, Tatiana de Ávila Antunes, Felipe Geraldo Pappen, Diego Moscarelli Pinto

Abstract


É crescente a aproximação e o convívio dos seres humanos com os animais. Estes possuem papel importante na sociedade sendo considerados membros das constituições familiares. Esse convívio traz diversos benefícios, no entanto, essa aproximação pode aumentar o risco das doenças transmitidas pelos animais aos seres humanos, conhecidas como zoonoses. Entre as diversas doenças que podem ser transmitidas dos cães aos seres humanos, destacam-se as doenças parasitárias, causadas por helmintos e protozoários, com importância em saúde pública. Muitos destes cães, que fazem parte das famílias, são oriundos de canis, onde estão expostos a estas parasitoses, ao viverem, na maioria das vezes, agrupados no mesmo ambiente, permitindo maior contato direto ou indireto com fezes contaminadas. O estudo teve como objetivo verificar a prevalência de parasitos com potencial zoonótico em amostras fecais de caninos oriundos de canis localizados na região de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Utilizou-se o resultado de 113 amostras fecais processadas no laboratório do Grupo de Estudos em Enfermidades Parasitárias (GEEP), da Faculdade de Veterinária, na Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Técnicas como Willis-Molay, HPJ e Faust foram realizadas possibilitando a observação e identificação de ovos e cistos de parasitos. Do total de amostras analisadas, entre junho de 2018 a dezembro de 2019, 81 (71,68%) foram positivas para algum gênero parasitário. Destas, 30 (26,54%) apresentavam ovos de Ancylostoma spp.; oito (7,07%) possuíam ovos de Toxocara spp.; seis (5,30%) foram positivas para Trichuris spp.; 12 (10,61%) foram diagnosticadas com cápsulas ovígeras de Dipylidium spp. e 25 (22,12%) possuíam cistos de Giardia spp. Com os resultados obtidos, verificou-se que há uma prevalência significativa de parasitos gastrintestinais com potencial zoonótico em animais de companhia na região de Pelotas/RS, o que constitui um risco de disseminação de zoonoses à saúde humana e animal.

 

 


Keywords


disseminação; helmintos; protozoários; saúde pública; zoonoses

References


ADAM, R.D. Biology of Giardia lamblia. Clin Microbiol Rev 14: 447–475, 2001.

BARTMANN, A.; ARAUJO, F.A.P. Freqüência de Giardia lamblia em cães atendidos em Clínicas Veterinárias de Porto Alegre, RS, Brasil. Ciência Rural, 34 (4):1093-1096, 2004.

BUGG, R.J.; ROBERTSON, I.D.; ELLIOT, A.D.; READ, C.; THOMPSON, R.C.A. Gastrointestinal parasites of urban dogs in Perth, Western Australia. Vet J 157:295–301, 1999.

DUPONT, S.; BUTAYE, P.; CLAEREBOUT, E.; THEUNS, S.; DUCHATEAU, L.; MAELE, I.V.; DAMINET, S. Enteropathogens in pups from pet shops and breeding facilities. J Small Anim Pract 54:475–480, 2013.

HOREJS, R.; KOUDELA, B. Giardiasis in dogs in a breeding kennel. Vet Med (Praha) 39:93–101, 1994.

FAUST, E.C.; D’ANTONI, J.S.; ODOM, V.; MILLER, M.; PERES, C.; SAWITZ, W.; THOME, L.F.; TOBIE, J.; WLAKER, H.A. A critical study of clinical laboratory technics for the diagnosis of protozoan cysts and helminth eggs in feces I. Preliminary communication. American Journal of Tropical Medicine, 18:169-183, 1938.

FARIAS, A.N.S.; SILVA, M.; OLIVEIRA, J.B.S.; ROCHA, L.B.; SANTOS, K.R. Diagnóstico de parasitos gastrointestinais em cães do município de Bom Jesus, Piauí. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambiental, 11(4):431- 435, 2013

FRANCISCO, S.M.M.; SILVA, R.C.; FIGUEIREDO, D.L.V.; SOUZA, J.N.; RAMALHO, P.C.D.; CAETANO, A.L. Prevalência de ovos e larvas de Ancylostoma spp. e de Toxocara spp. em praças públicas da cidade de Anápolis, GO. Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, 7(1):131-137, 2008.

FERREIRA, M.U. Parasitologia Contemporânea. São Paulo: Guanabara Koogan; 2012.

FERREIRA, E.; MARCHESAN, C.; MORAES, B.T.; SANTOS, T.B.; SANTOS, C.S.; FRASSON, L.; SIQUEIRA, L.C.; WOLKMER, P. Avaliação parasitária em cães do canil municipal de Cruz Alta-RS. In: Anais da 1° Conferência Internacional em Bem-Estar Animal; 2016, Itapiranga/SC. Itapiranga/SC – UCEFF, 2016.

HOFFMAN, W.A.; PONS, J.A.; JANER, J.L. Sedimentation concentration method in Schistosomiasis mansoni. Puerto Rico J. Publ. Health & Trop. Med. 9:283-298, 193.

INMET: Instituto Nacional de Metereologia. In: < http://www.inmet.gov.br/portal/ > Aceso em: 05/08/2018.

ITOH, N.; MURAOKA, N.; AOKI, M.; ITAGAKI, T. Prevalence of Giardia intestinalis infection in dogs of breeding kennels in Japan. J Vet Med Sci, 67:717–718, 2005.

ITOH, N.; KANAI, K.; KIMURA, Y.; CHIKAZAWA, S.; HORI, Y.; HOSHI, F. Prevalence of intestinal parasites in breeding kennel dogs in Japan. Parasitol Res, 114:1221–1224, 2015.

LABRUNA, M.B.; PENA, H.F.J.; SOUZA, S.L.P.; PINTER, A.; SILVA, J.C.R.; RAGOZO, A.M.A.; CAMARGO, L.M.A.; GENNARI, S.M. Prevalência de endoparasitas em cães da área urbana do município de Monte Negro, Rondônia. Arq. Inst. Biol. São Paulo, 73:183-193, 2006.

MAIA, M.A.; CAMPOS, D.M.B.; DAMASCENO, F.A. Dipylidium caninum (Cestoda-Dilepididae). Relato de um caso humano em Goiânia, Goiás. Revista de Patologia Tropical, 20(1), 1991.

MOLINA, C.P.; OGBURN, J.; ADEGBOYEGA, P. Infection by Dipylidium caninum in an Infant. Archives of Pathology and Laboratory Medicine, 127(3):157-159, 2004.

MONTEIRO, S. G. Parasitologia na medicina veterinária. São Paulo: Roca, 2014.

MUNDIM, M.J.S.; SOUZA, S.Z.; HORTÊNCIO, S.M.; CURY, M.C. Freqüência de Giardia sp. por duas técnicas de diagnostico em fezes de cães. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., 55(6), 2003.

MUNDIM, M.J.S.; ROSA, L.A.G.; HORTÊNCIO, S.M.; FARIA, E.S.M.; RODRIGUES, R.M.; CURY, M.C. Prevalence of Giardia duodenalis and Cryptosporidium spp. in dogs from different living conditions in Uberlândia, Brazil. Vet Parasitol, 144:356–359, 2007.

OLIVEIRA-SEQUEIRA, T.C.G.; AMARANTE, A.F.T.; FERRARI, T.B.; NUNES, L.C. Prevalence of intestinal parasites in dogs from São Paulo State, Brazil. Vet. Parasitol., 103:19-27, 2002.

PRATES, L.; PACHECO, L.S.; KUHL, J.B.; DIAS, M.L.G.G.; ARAÚJO, S.M.; PUPULIN, A.R.T. Frequência de parasitos intestinais em cães domiciliados da cidade de Maringá, PR. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., 61(6):1468-1470, 2009.

ROBERTSON, I.D.; IRWIN, P.J.; LYMBERY, A.J.; THOMPSON, R.C.A. The role of companion animals in the emergence of parasitic zoonoses. International Journal for Parasitology, 30:1369-1377, 2000.

RODRIGUES, M.A.A.; CORRÊA, R.S.; SOUZA, F.S.; LISBÔA, R.S.; PESSOA, R.O. Ocorrência de parasitos zoonóticos em fezes de cães em áreas públicas em duas diferentes comunidades na Reserva Desenvolvimento Sustentável do Tupé, Amazonas. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, 8(3):138-146, 2014.

TAYLOR, M.A.; COOP, R.L.; WALL, R.L. Parasitologia Veterinária. Rio de Janeiro, Brasil, 2017.

THOMPSON, R.C.A.; HOPKINS, R.M.; HOMAN, W.L. Nomenclature and genetic groupings of Giardia infecting mammals. Parasitology Today, 16, 210-213, 2000.

TRAVERSA, D.; DI CESARE, A.; SIMONATO, G.; CASSINI, R.; MEROLA, C.; DIAKOU, A.; REGALBONO, A.F. Zoonotic intestinal parasites and vector-borne pathogens in Italian shelter and kennel dogs. Comparative Immunology, Microbiology and Infectious Diseases, 51:69–75, 2017.

URQUART, G.M. Parasitologia veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

WILLIS, H.H. A simple levitation method for the detection of hookworm ova. Medicine Journal Australian, 29:375-376, 1921.

WHO. World Health Organization. Soil-transmitted helminth infections, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-165

Refbacks

  • There are currently no refbacks.