Adoção da ISO 31000 de gestão dos riscos para implementação da norma IFRS 9 de provisão para perdas crédito estudo de caso do Banco do Brasil / Adoption of ISO 31000 for risk management for the implementation of the IFRS 9 provision for loan losses case study from Banco do Brasil

Rômulo de Medeiros Palmeira, Edgard Costa Oliveira, João Carlos Félix Souza, Viviane Vasconcellos Ferreira Grubisic

Abstract


A crise financeira internacional de 2008 provocou recessão econômica em vários países e afetou diversos segmentos, principalmente as instituições financeiras, expondo a necessidade de melhorias na gestão de riscos, especialmente o processo de provisão para perdas de crédito. Neste contexto, foi emitida em 2014 a norma internacional IFRS 9 para implementação a partir de 2018 de novas regras que impactam a contabilidade e a gestão dos riscos dos bancos. Este artigo propõe a adoção da ISO 31000 no estabelecimento dos contextos e na análise dos impactos para adaptação das instituições financeiras aos novos requerimentos de IFRS 9 de provisão para perdas esperadas de crédito, através de estudo de caso do Banco do Brasil.

 


Keywords


ISO 31000, IFRS 9, risco de crédito, provisão para perdas.

References


Aven, Terje. On the new ISO guide on risk management terminology. Reliability Engineering & System Safety, 2011, Vol. 96, Ed. 7, pp.719-726.

Aven, Terje. The flaws of the ISO 31000 conceptualisation of risk. Institution of Mechanical Engineers - Journal of Risk and Reliability, 2017, Vol. 231, Ed. 5, pp.467-468.

BRASIL. Banco Central do Brasil (Bacen). Resolução nº 2.682, de 21 de dezembro de 1999. Dispõe sobre critérios de classificação das operações de crédito e regras para constituição de provisão para créditos de liquidação duvidosa. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo>. Acesso em: 12 mai. 2018.

BRASIL. Banco Central do Brasil (Bacen). Resolução nº 3.786, de 24 de setembro de 2009. Dispõe sobre a elaboração e a divulgação de demonstrações contábeis consolidadas com base no padrão contábil internacional emitido pelo International Accounting Standards Board (IASB). Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo>. Acesso em: 12 mai. 2018.

BRASIL. Banco Central do Brasil (Bacen). Indicadores econômicos consolidados. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pec/Indeco/Port/indeco.asp>. Acesso em: 12 mai. 2018.

BRASIL. Banco Central do Brasil (Bacen). Resolução nº 4.557, de 23 de fevereiro de 2017. Dispõe sobre a estrutura de gerenciamento de riscos e a estrutura de gerenciamento de capital. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo>. Acesso em: 09 mai. 2018.

BRASIL. Banco Central do Brasil (Bacen). Edital de Consulta Pública 54, de 30 de agosto de 2017. Divulga proposta de resolução que dispõe sobre os critérios contábeis para a classificação, mensuração e reconhecimento de instrumentos financeiros pelas instituições financeiras.

BRASIL. Banco Central do Brasil (Bacen). Edital de Consulta Pública 60, de 22 de fevereiro de 2018. Divulga propostas de atos normativos dispondo sobre critérios contábeis para constituição de provisão para perdas esperadas associadas ao risco de crédito pelas instituições financeiras.

BRASIL. Banco do Brasil S.A. - Análise do Desempenho 1º Trimestre/2018. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2018.

BRASIL. Banco do Brasil S.A. Relatório de Gerenciamento de Riscos (Pilar 3) - 1º Trimestre/2018. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2018.

Bennie Seck-Yong Choo, Jenson Chong-Leng Goh. Pragmatic adaptation of the ISO31000:2009 enterprise risk management framework in a high-tech organization using Six Sigma. International Journal of Accounting & Information Management, 2015, Vol. 23 Issue: 4, pp.364-382

Bharathy, Gnana K.; McShane, Michael K. Applying a Systems Model to Enterprise Risk Management. Engineering Management Journal, 2014, Vol. 26, Ed. 4, pp.38-46

Caneca, Roberta Lira. Provisão para créditos de liquidação duvidosa de bancos e ciclos econômicos: o caso brasileiro. Brasília: UnB, 2015. 134 p.

Chemweno, Peter; Pintelon, Liliane; Van Horenbeek, Adriaan; Muchiri, Peter. Development of a risk assessment selection methodology for asset maintenance decision making: An analytic network process (ANP) approach. International Journal of Production Economics, 2015, Vol. 170, pp.663-676.

Choo, Bennie Seck-Yong; Goh, Jenson Chong-Leng. Pragmatic adaptation of the ISO 31000:2009 enterprise risk management framework in a high-tech organization using Six Sigma. International Journal of Accounting and Information Management, 2015, Vol. 23, pp.364-382.

Creed, Irena F.; Cormier, Roland; Laurent, Katrina L. Formal Integration of Science and Management Systems Needed to Achieve Thriving and Prosperous Great Lakes. BIOSCIENCE, 2016, Vol. 66, Edição 5, pp. 408-418.

Moreira, Cunha André; Prates, Magalhães Daniela; Ferrari-Filho Fernando. Brazil responses to the international financial crisis: A successful example of Keynesian policies? Panoeconomicus, 2011, Vol. 58, pp. 693-714.

Fuentes, Mariano Ruiz. IFRS 9: Principais tendências do setor em riscos e integração na gestão. 7º Congresso Internacional de Gestão de Riscos, São Paulo, novembro de 2017.

IFRS Foundation. International Financial Reporting Standard 9 Financial Instruments (IFRS 9), 2014, pp.A321-A479.

Jereb, Borut; Ivanusa, Teodora; Rosi, Bojan. Systemic Thinking and Requisite Holism In Mastering Logistics Risks: The Model for Identifying Risks in Organisations and Supply Chain. Amfiteatru Economic, 2013, Vol. 15, Ed.33, pp.56-73.

Junior, José Ronaldo Veronesi; Pereira, Rodrigo Marçal; Silva, Rodiney Pereira da. Veronesi index of ergonomic risk for activities repetitive of members upper limbs. 6th International Conference on Applied Human Factors and Ergonomics (AHFE 2015) and the Affiliated Conferences. Procedia Manufacturing, 2015, Vol. 3, pp. 4456-4463.

Kishchuk, B. E.; Creed, I. F.; Laurent, K. L. Assessing the ecological sustainability of a forest management system using the ISO Bowtie Risk Management Assessment. FORESTRY CHRONICLE, 2018, Vol 94, Edição 1, pp. 25-34.

KPMG Auditores Independentes. IFRS Em Destaque 01/16: FirstImpressions, 2016.

Luko, Stephen N. Reviews of Standards and Related Material Risk Assessment Techniques. QUALITY ENGINEERING, 2014, Vol. 26, Edição 3, pp 379-382.

Mariano, Ari Melo; Rocha, Maíra Santos. Revisão da Literatura: Apresentação de uma Abordagem Integradora. In: XXVI AEDEM International Conference - Economy, Business and Uncertainty: ideas for a European and Mediterranean industrial policy? Reggio Calabria (Italia), 2017. pp.427-443.

Olechowski, A.; Oehmen, J.; Seering, W.; Ben-Daya, M. The professionalization of risk management: What role can the ISO 31000 risk management principles play? International Journal of Project Management, 2016, Vol. 34, Ed. 8, pp.1568-1578.

Schoppe, C.; Zehetner, J.; Finger, J. Risk assessment methods for improving urban security. PROCEEDINGS OF THE EUROPEAN SAFETY AND RELIABILITY CONFERENCE (ESREL), 2015, Wroclaw, POLAND, pp. 701-708.

Silva, Humberto Bruno Pontes; Ribeiro, Alessandro Roosevelt Silva; Souza, Tiago Rodrigo Alves de; Monteiro, Simone Borges Simao; Souza, Joao Carlos Felix. Risk Analysis and Quantitative Methods for Mobile Broadband Forecasting in Brazil. IEEE LATIN AMERICA TRANSACTIONS, 2016, Vol. 14, Edição 11, pp. 4462-4467.

Sousa, Vitor Almeida, Nuno Dias, Luís. Risk-based management of occupational safety and health in the construction industry – Part 1: Background knowledge. Safety Science, 2014, Vol. 66, pp.75-86.

Souza, João Carlos Félix; Souza, Iram Alves de; Souza, João Gabriel de Moraes Souza. Gestão de Risco de Mercado – Mensuração do Value-at-Risk (Var): Comparação da Exigência de Capital em Diferentes Abordagens. Curitiba: CRV, 2018. 140 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-111

Refbacks

  • There are currently no refbacks.