Variabilidade espacial das características de qualidade dos frutos de tomate para processamento industrial / Spatial variability of quality characteristics of tomato fruits for industrial processing

Caroline Xavier dos Santos, Cláudio Magela Soares, Sueli Martins de Freitas Alves

Abstract


O experimento foi realizado na Fazenda Baião, no município de Corumbá- GO, que cultiva tomate com finalidade Industrial. Este trabalho tem como objetivo avaliar a variabilidade espacial dos atributos de qualidade do tomate industrial por meio da técnica de krigagem indicativa. Os dados foram coletados em um talhão de 45 hectares com uma malha amostral de 60 x 60 m, totalizando 120 pontos amostrais. Em cada ponto amostral coletou 5 frutos (em estágio uniforme de maturação, completamente vermelhos) dentro de 1 m² do ponto. Foram avaliadas as características: sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), pH e índice de maturação (IM). Para caracterizar a variabilidade espacial e a incerteza probabilística dos resultados foi utilizada a geoestatística, por meio da técnica de krigagem indicativa categorizando os dados em códigos binários (1 ou 0). Para os atributos sólidos solúveis e índice de maturação que apresentaram dependência espacial foi utilizada a técnica de krigagem para interpolação e posteriormente elaborados os mapas probabilísticos, A partir dos mapas de isolinhas foi possível identificar áreas que produziu frutos com maior probabilidade de apresentar as qualidades desejáveis para a indústria.


Keywords


Agricultura de precisão; Mapas Probabilísticos; Características organolépticas.

References


ALVES, E.A. Manejo dos solos e a sustentabilidade da produção agrícola na Amazônia ocidental: Variabilidade espacial da qualidade de culturas agrícolas. 1ed. Rondônia. Núcleo regional Amazônia Ocidental- SBCS, 2014. p. 223-245.

AOAC, Association of officioal analytical chemists oficial methods of analysis of AOAC international. 20ed. Maryland: USA, 2016. 3100p.

CEAGESP. Classificação do tomate. 2004. Disponível em: . Acesso em: 03 Mar. 2016.

CHITARRA, M.I.F.; CHITARRA, A.B. Pós-colheita de frutas e hortaliças. Fisiologia e manuseio. 2.ed. rev.e ampl. Lavras: Ed. UFLA, 2005. 735p.

FERRAZ, G. A. S.; SILVA, F. M.; COSTA, P. A. N.; SILVA, A. C.; CARVALHO, F. M. Agricultura de precisão no estudo de atributos químicos do solo e da produtividade de lavoura cafeeira. Revista Coffee Science, v. 7, n. 1, p. 59-67, Lavras, 2012.

FILGUEIRA, F.A.R. Novo manual de olericultura: Agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3 ed. Viçosa: UFV, 2008, 421p.

GAMEIRO, A.H.; CAIXETA FILHO, J.V.; ROCCO, C.D.; RANGEL, R. Modelagem e gestão das perdas no suprimento de tomates para processamento industrial. Gestão e Produção, São Carlos, v.15, n.1, p.101-115, 2008.

GIORDANO, L.B.; SILVA, J.B.C.; BARBOSA, V. Escolha de cultivares e plantio. In: SILVA, J.B.C.; GIORDANO, L.B. (Ed.). Tomate para processamento industrial. Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia, 2000. 168p.

GOOGLE. Google Earth 7. Corumbá de Goiás. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2017.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, Rio de Janeiro, v.29, n.12, p.1-82, 2016.

KADER, A.A. Postharvest technology of horticultural crops. Davis: University of California. 2002. 535p.

LANDIM, P.M.B.; STURARO, J.R, Krigagem Indicativa aplicada à elaboração de mapas de probabilidades de riscos. Rio Claro: DGA, IGCE, UNESP. Lab. Geomatemática, 2002. 19p. (Texto Didático 06).

MENDES, A.M.S.; FONTES, R.L.F.; OLIVEIRA, M. Variabilidade espacial da textura de dois solos do deserto salino, no Estado do Rio Grande do Norte. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v.39, n.01, p.19 – 27, 2008.

MONTANARI, R.; CARVALHO, M.P.; ANDREOTTI, M.; DALCHIARON, F.C.; LOVERA, L.H.; HONORATO, M.A.O. Aspectos da produtividade do feijão correlacionados com atributos físicos do solo sob elevado nível tecnológico de manejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.34, n.6, p.1811-1822, 2010.

MONTEIRO, C.S.; BALBI, M.E.; MIGUEL, O.G.; PENTEADO, P.T.P.S.; HARACEMIV, S.M.C. Qualidade nutricional e antioxidante do tomate "tipo italiano". Alimentos e Nutrição, Araraquara, v.19, n.1, p.25-31, 2008.

SILVA, C.B.; MORETTO, A.C.; RODRIGUES, R.L. Viabilidade econômica da agricultura de precisão: o caso do Paraná. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 42, 2004, Cuiabá. Anais.... Cuiabá: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 2004. 1 CDROM.

SILVA, J. B.C.; GIORDANO, L.B. Tomate para processamento industrial: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2000, 168p.

SILVA, J.; GUEDES, I.M.R.; LIMA, C.E.P. Adubação e nutrição. In: CLEMENTE, F. M.V.T.; BOITEUX, L. Produção de Tomate para processamento industrial. Brasília: Embrapa, 2012.

SILVA, A.F.; ZIMBACK, C.R.; LANDIM, P.M.B. Aplicação da geoestatística em ciências agrárias: parte II. Botucatu, v.1, 2013.

VIEIRA, D.A.P. Qualidade de frutos de cultivares de tomate para processamento. 2015. 234 f. Tese (Doutorado em Agronomia) programa de pós-graduação em agronomia – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.

WARRICK, A.W.; NIELSEN, D.R. Spatial variability of soil physical in the fied. In: HILLEL, D. (ed). Applications of soil physics. New York: Academic, 1980. p. 319-344.

WORLD PROCESSING TOMATO COUNCIL. World production estimate of tomatoes for processing. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-095

Refbacks

  • There are currently no refbacks.