Autopercepção de saúde e a vulnerabilidade em jovens escolares com excesso ponderal / Self-perceived health and vulnerability in overweight schoolchildren

Laryssa Veras Andrade, Thereza Maria Magalhães Moreira, Raquel Sampaio Florêncio, Mairi Alencar de Lacerda Ferraz, Juliana Rodrigues da Silva

Abstract


Objetivo: analisar a existência de associação entre autopercepção de saúde e aspectos de vulnerabilidade individual em adultos jovens escolares com excesso ponderal de uma capital do Nordeste brasileiro.

Método: delineou-se um estudo analítico, realizado com 381 adultos jovens de 26 escolas estaduais de uma capital do Nordeste brasileiro. Após obtenção dos dados por aplicação dos questionários semiestruturados, para estimar a força de associação de possíveis marcadores da autopercepção de saúde, foi calculada a odds ratio (OR), com intervalo de confiança de 95% e, em seguida, foi realizada a análise estatística com regressão logística hierarquizada.

Resultados: no modelo final da regressão observaram-se associado à autopercepção de saúde negativa os marcadores: sexo, dieta balanceada, capacidade de lidar com o estresse e autopercepção de excesso ponderal.

Conclusão: Os marcadores analisados explicam a autopercepção de saúde negativa na população estudada, sendo relevante o papel de educador vindo dos profissionais de saúde para trabalhar junto a esses adultos jovens escolares na busca de minimizar suas vulnerabilidades.

Descritores: Autoimagem; Sobrepeso; Obesidade; Vulnerabilidade em saúde; Adulto jovem.

 

 


Keywords


Autoconceito; Excesso de peso; Obesidade; Vulnerabilidade à saúde; Adulto jovem

References


Santiago JCS, Moreira TMM, Florêncio RS. Association between overweight and characteristics of young adult students: support for nursing care. Rev. Latino-am. de enferm. [internet]; 2015 mar-apr; 23 (2): 250-8.

PORTAL DA SAÚDE. Vigitel. Ministério da Saúde. Obesidade estabiliza no Brasil, mas excesso de peso aumenta. [Internet] 2014.; Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/noticias/svs/17455-obesidade-estabiliza-no-brasil-mas-excesso-de-peso-aumenta.

World Health Organization (WHO). Global status report 2014. Health statistics and information systems. Geneva: WHO; 2014. [Internet]. Disponível em: http://www. who.int/healthinfo/global_burden_disease/estimates/ en/index1.html

Malta DC, Moura, L. Silva Jr, JB. Epidemiologia das Doenças Crônicas Não transmissíveis no Brasil. In: Rouquayrol MZ, Gurgel, M. Epidemiologia & Saúde, 8. ed. Rio de Janeiro; 2018. Cap. 14

Carvalho IS, Moreira TM, Silva DB, Florêncio RS, Rodrigues MT, Santiago JC. Prevenção de cronicidades: análise do risco cardiovascular em escolares adultos jovens de um município do Nordeste brasileiro. In: Gomes IL, Pinto FJ, Figueiredo SV. Temáticas de dissertações no âmbito da Saúde Pública: concepção de orientadores e estudantes, organizadores. Fortaleza: Eduece; 2014. cap.16. p. 309-32

Florêncio RS, Santiago JC, Moreira TM, Freitas TC. Excesso ponderal e marcadores de vulnerabilidade sociodemográfica em adultos jovens escolares. Acta Paul Enferm. 2016; 29(4):413-20.

Florêncio RS, Moreira TMM, Silva MRF, Almeida ÍLS. Excesso ponderal em adultos jovens escolares: A vulnerabilidade da autopercepção corporal distorcida. Rev. Bras. Enferm. .2016 ;69(2):258-265. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690208i

Moreira TMM, Santiago JCS, Alencar JP. Self-perceived health and clinical characteristics in young adult students from the Brazilian northeast. Rev. esc. Enferm. USP. 2014; 48(5): 794-803. Available from: http://scielo.br/pdf/reeusp/v48n5/0080-6234-reeusp-48-05-794.pdf

Ministério da Saúde (BR) Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. Marco legal: saúde, um direito de adolescentes. 1ªed. Brasília (DF); 2007. Available from: http://www.adolescencia.org.br/upl/ckfinder/files/pdf/marco_legal.pdf

Organização Mundial de Saúde (OMS), Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Prevenção de Doenças Crônicas: um investimento vital [Internet]. Organização Mundial da Saúde (OMS), 2005. Available from: http://www.who.int/chp/chronic_disease_report/part1_port.pdf

Silva HV, Rocha BSJ, Caldeira OA. Fatores associados à autoavaliação negativa da saúde em mulheres na menopausa. Rev. Cienc. Saude coletiva. 23(5), 2018. Disponivel em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018235.17112016.

Porto EF, Kümpel C, Castro AAM, Oliveira IM, Alfier FM. Como o estilo de vida tem sido avaliado: revisão sistemática. Rev. Acta Fisiatr. 2015; 22(4):199-205. Disponivel em: http: https://doi.org/10.5935/0104-7795.20150038.

Silva DCA, Frazão IS, Osório MM, Vasconcelos MGL. Percepção de adolescentes sobre a prática de alimentação saudável. Rev. Ciência & Saúde Coletiva. 2015; 20(11):3299-3308. Disponivel em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152011.00972015.

Altman CE, Van HJ, Hillemeier M. What Does Self-Rated Health Mean? Changes and Variations in the Association of Obesity with Objective and Subjective Components of Self-Rated Health. Journal of Health and Social Behavior, 2016; 57:39–58




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-088

Refbacks

  • There are currently no refbacks.