Perfil social e doenças nos catadores de resíduos sólidos em região metropolitana / Social profile and diseases of waste pickers in recife metropolitan region

Neide Kazue Sakugawa Shinohara, Maria Karollyna Gomes da Silva, Jairo Luiz de Araujo Pereira, Indira Maria Estolano Macêdo, Cinthya Rachel Lopes Moraes, Maria do Rosário de Fátima Padilha

Abstract


A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê a integração dos catadores de material reciclável nas ações que envolvam a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. Nessa pesquisa foi aplicado questionário social e de saúde para informar a realidade dos catadores da Região do Grande Recife em Pernambuco. A maioria dos catadores são homens (73%); 60% estão na faixa de 31 a 64 anos; cerca de 64% possuem o ensino fundamental incompleto e 65,4% estão à margem da assistência social e econômica. Esses atores da reciclagem relatam que apresentam doenças ocupacionais e metabólicas como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, lesões musculares e de coluna, tuberculose e câncer de pele. Diante de inúmeros índices de vulnerabilidade de saúde, econômica e social, faz-se necessário que os gestores públicos fiquem alertas para proteger os direitos sociais desses agentes ecológicos, tão importantes na consolidação de uma sociedade sustentável, aliado ao crescimento tecnológico e econômico.


Keywords


Reciclagem, resíduos recicláveis, patologias ocupacionais.

References


ALMEIDA, J. R.; ELIAS, E. T.; MAGALHÃES, M. A.; VIEIRA, A. J. D. Efeito da idade sobre a qualidade de vida e saúde dos catadores de materiais recicláveis de uma associação em Governador Valadares, Minas Gerais, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, n. 6, p. 2169-2179, 2009.

AMORIM, L. S. Economia solidária e catadores de materiais recicláveis em Salvador e Curitiba: políticas públicas e a enunciação de identidades no Brasil. Revista Avaliação de Políticas Públicas (AVAL), ano 5, v. 2, n. 10, p. 21-35, 2012.

ANDRADE, T. C. C.; SERRA, J. C. V.; ANDRADE, A. B. Aplicação de uma ferramenta de gestão ambiental de qualidade de aterros de resíduos sólidos urbanos. Revista de Ciências Ambientais, Canoas, v. 7, n. 2, p. 45-56, 2013.

APAC. Agência Pernambucana de Águas e Clima. Metereologia. 2020. Disponível em: . Acesso em: 2 mar. 2020.

ARAÚJO, R. R. O conforto térmico e as implicações na saúde: uma abordagem preliminar sobre os seus efeitos na população urbana de São Luís-Maranhão. Cadernos de Pesquisa, v. 19, n. 3, p. 51-60, 2012.

BARROS, H. R.; LOMBARDO, M. A. Zoneamento climático urbano da cidade do Recife: uma contribuição ao planejamento urbano. GEOUSP: Espaço e Tempo (Online), n. 33, p. 186-197, 2013.

BETANIM, E. I.; SILVA, C. A. A reciclagem no município de Rolândia-PR: conscientização é possível. Revista de Ciências Ambientais, v. 10, n. 2, p. 45-54, 2016.

BRASIL. Lei n° 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2019.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2016. Brasília: MCIDADES. SNSA, 2018.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 7.405, de 23 de dezembro de 2010. Institui o Programa Pró-Catador, denomina Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis o Comitê Interministerial da Inclusão Social de Catadores de Lixo criado pelo Decreto de 11 de setembro de 2003, dispõe sobre sua organização e funcionamento, e dá outras providências. Brasília, 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2019.

BRAZ, R. F. S.; BISPO, C. S.; COLOMBO, C. R.; MEDEIROS, M. F. S.; SILVA, J. C. S.; TEIXEIRA, M. T. C.; SARTHOUR, S. A.; SOUZA, M. F. Estudo sobre os aspectos sócio-econômicos dos catadores de resíduos recicláveis organizados em cooperativas na cidade de Natal-RN. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental (Online), v. 31, n. 2, p. 147-159, 2014.

COELHO, A. P. F; BECK, C. L. C; SILVA, R. M. Condições de saúde e risco de adoecimento dos catadores de materiais recicláveis: revisão integrativa. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 17, n. 1, 2018.

COELHO, A. P. F.; BECK, C. L. C.; SILVA, R. M.; VEDOOTTO, D. O.; SILVA, J. R. P. Female work and health in the perspective of women recyclable waste collectors. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 27, n. 1, 2018.

COELHO, T. C.; SERRA, J. C. V.; LUSTOSA, J. B. Alternativa de tratamento de resíduos sólidos e geração de energia através de fornos de queima: uma análise. Revista de Ciências Ambientais, v. 7, n. 1, p. 79-89, 2013.

DAGNINO, R. S.; JOHANSEN, I. C. Os catadores no Brasil: características demográficas e socioeconômicas dos coletores de material reciclável, classificadores de resíduos e varredores a partir do censo demográfico de 2010. Economia Solidária e Políticas Públicas, n. 62, p. 115-125, 2017.

EITERER, C. L.; LIMA, E. A. P. “Sou analfabeta, mas não sou pacata": estratégias construídas por mulheres negras pouco escolarizadas. Revista Triângulo, v. 11, n. 2, p. 45-60, 2018.

FUZZI, F. R.; LEAL, A. C. Resíduos sólidos urbanos no município de Pirapozinho, São Paulo, Brasil: impactos socioambientais decorrentes da disposição em local inadequado (lixão) e dificuldades e desafios na organização dos catadores de materiais recicláveis. Revista de Estudos Geoeducacionais, Fortaleza, v. 6, n. 3, p. 217-229, 2015.

GONÇALVES, C. V.; MALAFAIA, G.; CASTRO, A. L. D. S.; VEIGA, B. G. A. D. A vida no lixo: um estudo de caso sobre os catadores de materiais recicláveis no município de Ipameri, GO. Holos, v. 29, n. 2, p. 238-250, 2013.

GUNARATHNE, V.; ASHIQ, A.; RAMANAYAKA, S.; WIJEKOON, P.; VITHANAGE, M. Biochar from municipal solid waste for resource recovery and pollution remediation. Environmental Chemistry Letters, p. 1-11, 2019.

HOEFEL, M. G.; CARNEIRO, F. F.; SANTOS, L. M. P.; GUBERT, M. B.; AMATE, E. M.; SANTOS, W. Acidentes de trabalho e condições de vida de catadores de resíduos sólidos recicláveis no lixão do Distrito Federal. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 16, n. 3, p. 764-785, 2013.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010: escolaridade e rendimento aumentam e cai mortalidade infantil. 2010a. Disponível em: < https://censo2010.ibge.gov.br/noticias-censo?view=noticia&id=1&idnoticia=2125> Acesso em: 31 fev. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas da população. 2010b. Disponível em: . Acesso em: 08 jan. 2020.

JIA, X.; WANG, S.; LI, Z.; WANG, F.; TAN, R. R.; QIAN, Y. Pinch analysis of GHG mitigation strategies for municipal solid waste management: A case study on Qingdao City. Journal of Cleaner Production, v. 174, n. 10, p. 933-944, 2018.

KIRCHNER, R. M.; SAIDELLES, A. P.; STUMM, E. M. F. Percepções e perfil dos catadores de materiais recicláveis de uma cidade do RS. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 5, n. 3, 2009.

LIMA, F. J.; SOUZA, W. A. D. R. A separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal, dez anos após o decreto. Revista Brasileira Multidisciplinar, v. 21, n. 1, p. 43-54, 2018.

LOVATO, P. A.; SILVA, C. A. Diagnóstico dos resíduos sólidos domiciliares no município de Rolândia–PR. Revista de Ciências Ambientais, v. 8, n. 2, p. 37-45, 2014.

MILLER, G. T.; SPOOLMAN, E. S. Ciência Ambiental. 14 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2015.

MDSA. Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Boletim Bolsa Família e Cadastro Único: Acompanhamento e Análise do Programa Bolsa Família e do Cadastro Único para Programas Sociais. Ano 5, n. 55, 2020. Disponível em: < http://www.mds.gov.br/webarquivos/sala_de_imprensa/boletins/boletim_senarc/2020/201912_Boletim%20Bolsa%20Fam%C3%ADlia%20Cadastro%20Unico%20N%20%2055_JANEIRO.pdf > Acesso em: 31 fev. 2020.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Catadores de Materiais Recicláveis. 2020. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2020.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Efeito Estufa e Aquecimento Global. 2012. Disponível em:

ONU. Organização das Nações Unidas. 17 objetivos para transformar nosso mundo. 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2019.

PEREIRA, C. J. P.; GOES, F. L. (Org.) Catadores de materiais recicláveis: um encontro nacional. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 562 p., 2016.

PNI. Programa Nacional de Imunizações. Coberturas vacinais no Brasil – período: 2010-2014. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

ROZMAN, M. A.; AZEVEDO, C. H.; JESUS, R. R. C., MOLDERO FILHO, R.; PEREZ JUNIOR, V. Anemia em catadores de material reciclável que utilizam carrinho de propulsão humana no município de Santos. Revista Brasileira de Epidemiologia (Online), v. 13, n. 2, p. 326-336, 2010.

SANTOS, D. A. R. A segurança pública e o espaço urbano. Revista Formadores, v. 10, n. 3, p. 31, 2017.

SANTOS, L. M. P.; LORENZO, H. C. Avaliação da política nacional dos resíduos sólidos em Jaú-SP: sob o enfoque das relações sociais. Revista Brasileira Multidisciplinar (Online), v. 21, n. 2, p. 43-56, 2018.

SILVEIRA, R. C. P; SILVA, F. M.; RIBEIRO, I. K. S. Perfil laboral e exposição ocupacional de cantoneiros de recolha de resíduos sólidos de um município do Brasil. Revista de Enfermagem Referência, n. 17, p. 73-84, 2018.

SINIR. Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos. Ministério do Meio Ambiente. Logística Reversa. 2018. Disponível em: . Acesso em: 29 jan. 2020.

SOUZA, D. M.; NERY, J. T. O Conforto térmico na perspectiva da Climatologia Geográfica. Geografia (Londrina), v. 21, n. 2, p. 65-83, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-076

Refbacks

  • There are currently no refbacks.