Violência contra o idoso na família: há solução? / Violence against the elderly in the family: is there a solution?

Cirlene Francisca Sales da Silva, Cristina Maria de Souza Brito Dias, Erideise Gurgel da Costa, Daniely da Silva Dias Vilela

Abstract


O presente estudo objetivou compreender a dinâmica da violência contra a pessoa idosa na própria família e, mais especificamente, analisar uma intervenção que venha a contribuir para minimizar este mal que assola a maioria de idosos que vivem com suas famílias. Para tanto, foi realizada uma intervenção psicoeducativa junto aos agressores (filhos-as, noras-genros, sobrinhos-as), no Juizado Especial Criminal do Idoso e na Vara de Violência Doméstica e familiar contra a Mulher no Recife/Pe. Os resultados foram analisados de acordo com a técnica de análise de conteúdo temática. Estes resultados, análise e discussão, apontaram indícios dos agressores ressignificarem a ação da violência contra o seu familiar idoso, no sentido de entenderem que, apesar da maioria deles, terem em outro momento da história de vida sofrido agressão por parte dessa pessoa que hoje é idosa, a pessoa idosa nesta fase da  vida está mais frágil e vulneravél em todos os aspectos (biopsicossociais), e, precisam do apoio, acolhimento e compreensão dos mais jovens, principalmente dos familiares, que incluem os agressores. Para além dessa reflexão, é importante pensar que nada justifica a violência. Pois este ato leva muitos idosos a ficarem com a saúde mental e física seriamente prejudicada, quando não culmina com a morte.

 

 

 


Keywords


Idoso; Família; Violência; Intervenção Psicoeducativa.

References


BERTALANFFY, L. V. Teoria Geral dos Sistemas: fundamentos, desenvolvimento e aplicações. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CAMARANO, A. A. Os novos idosos brasileiros: muito além dos 60. Rio de Janeiro, RJ: IPEA, 2004.

CÔRTE, B.; FERRIGNO, J. C. Programas Intergeracionais: estímulo à integração do idoso às demais gerações. In E. V. Freitas; L. PY (Orgs.), Tratado de Geriatria e Gerontologia (pp.1526-1534). Rio de Janeiro, RJ/Brasil: Guanabara Koogan, 2016.

D'ALENCAR, R. S. (Re) meaning the solidarity in the old age: beyond consanguineous ties. Acta Scientiarum Human and Social Sciences (UEM), v.34, n.1, p. 9-17, 2012.

DESLANDES, S. F.; GOMES, R.; MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

DIAS, C.M.S. B., FONSECA, C.M.S.M. S.; SILVA, C.F.S.; MUNIZ, F.M.R.P. Uma

intervenção psicoeducativa com avós guardiãs apresentando ansiedade e/ou depressão. In Féres-carneiro, T. (Org.). Casal e Família: transmissão, conflito e violência. (pp.53-72). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2013.

FALEIROS, V. P. O mapa da violência contra a pessoa idosa no Distrito Federal.

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios. Brasília, DF: MPDFT, 2013.

FALEIROS, V. P.; BRITO, D. O. Representações da violência intrafamiliar por idosas e idosos. In V. P. Faleiros; A. M. L. Loureiro; M. A. Penso (Orgs), O Conluio do Silêncio: a violência intrafamiliar contra a pessoa idosa. (pp.2-19). São Paulo, SP/Brasil: Roca, 2009.

Figueiredo, A. L.; Souza, L., Dell´áglio, J. C., Jr.; Argimon, I. I. L. O uso da psicoeducação no tratamento de transtorno bipolar. Revista Brasileira de Terapia Comportamental Cognitiva, 11(1), 15-24, 2009.

LOPES, L. O. Impacto de uma intervenção psicoeducacional sobre o bem estar subjetivo de cuidadores de idosos com doença de Alzheimer. (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2013.

LOPES, L. O.; CACHIONI, M. Intervenções psicoeducacionais para cuidadores de idosos com demência: uma revisão sistemática. Jornal Brasileiro de. Psiquiatria. 61 (4). Rio de Janeiro, 2012. Resgatado em 15 de novembro, 2013 de http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v61n4/09.pdf.

MELMAN, J., CILIBERTI, M. E., AOKI, M.; JUNIOR, N.F. Políticas Públicas para

Superação da Violência Contra a Pessoa Idosa: o desafio para construção de uma cultura de paz. In Berzins, M. V.; Malagutti, W. Rompendo o silêncio: faces da violência na velhice (pp.309-328). São Paulo: Martinari, 2010.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo, SP: Ed. Hucitec, 2008.

MINAYO, M. C. S. Violência e maus-tratos contra a pessoa idosa: é possível prevenir e superar. In T. Born (Org.). Cuidar Melhor e Evitar a Violência – Manual do Cuidador da Pessoa Idosa. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Subsecretaria de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, (pp.38-45), 2008.

MINAYO, M. C. S. (2010). O desafio do conhecimento pesquisa qualitativa em saúde.

São Paulo: Hucitec.

MINAYO, M. C. S. O principal fator para o suicídio do idoso é o isolamento, a solidão. GEPeSP entrevista, 2018. Recuperado de https:// gepesp.org/2018/04/o-principal-fator- para-o-sucicidio-do-idoso-e-o-isolamento-a-solidao-gepesp-entrevista-cecilia- minayo/uncategorized. Acesso em: 10/05/2019.

NERI, A.L.; VIEIRA, L.A.M.; ARAÚJO, L.F. Arranjos domiciliares, suporte social, expectativa de cuidado e fragilidade In: Neri, A. L. (Org.). Fragilidade e Qualidade de Vida na velhice. (pp.267-282). Campinas, SP: Editora Alínea. Coleção Velhice e Sociedade, 2013.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE - OMS. Portal Brasil. Relatório mundial de saúde e envelhecimento, 2015. Recuperado de https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/idosos-serao-um-quinto-do-planeta-em-2050- diz-oms-17649843 Acesso em: 10/05/2019.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS - ONU. Países dos BRICS terão 940 milhões de idosos até 2050, 2017. Recuperado de https://nacoesunidas.org/paises-dos-brics- terao-940-milhoes-de-idosos-ate-2050/ Acesso em: 10/05/2019.

PAPALIA, D. E.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento humano. Porto Alegre/RS: AMGH, 2013.

SOUZA, J. A. V.; FREITAS, M. C.; QUEIROZ, T. A. Violência contra os idosos: análise documental. Revista Brasileira de Enfermagem (Brasília), v.60, n.3, p.535-540, 2007.

ZIMERMAN, G. I. Velhice: Aspectos biopsicossociais. Porto Alegre: Artmed, 2000.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-035

Refbacks

  • There are currently no refbacks.