Reflexões sobre o processo de formação de políticas públicas a partir do caso de Fortaleza-CE / Reflections on the process of public policy training from the case of Fortaleza-CE

Francinildo Carneiro Benicio, Antônio Vinícius Oliveira Ferreira, Ana Luiza Carvalho Medeiros Ferreira, Anderson Lopes Nascimento, Augusta da Rocha Loures Ferraz, Fábio Freitas Schilling Marquesan

Abstract


O objetivo deste estudo é compreender a maneira como acontece o processo de formação de políticas públicas para a mobilidade urbana no município de Fortaleza-CE. Para alcançá-lo, foi utilizado um referencial teórico que trata da mobilidade urbana e sobre a questão da formação de políticas públicas. Quanto ao método, realizou-se um trabalho de caráter exploratório, de natureza qualitativa e do tipo descritiva, baseada da tríade pesquisa documental, entrevista semiestruturada e observação não participante. Os dados coletados entre os meses de outubro e novembro de 2018 permitiram evidenciar e corroborar para a compreensão de como acontece o processo de formação de tais políticas em Fortaleza/CE. Confirmaram-se os argumentos teóricos de Kingdon (2011), ou seja, para o tema ganhar relevância e entrar na agenda de prioridades da gestão municipal e se transformar em politica pública, o processo é marcado por confrontos, mutações, combinações, recombinações e refinamentos. Contribuindo teoricamente percebeu-se que as pressões externas da mídia, população, ministério público, líderes comunitários, solicitações de instituições, solicitações de empresários e promessas políticas, corroboram com o processo de formação de dessas políticas. Do exposto, conclui-se que as políticas públicas de mobilidade urbana precisam ser formuladas de maneira democrática, com a participação de todos os setores da sociedade, empenhados conjuntamente no objetivo de encontrar soluções efetivas que permitam a melhoria da qualidade de vida da população.


Keywords


Políticas públicas, gestão e planejamento urbano, mobilidade urbana, fortaleza.

References


ANDRADE, J. N.; GALVÃO, D. C. O conceito de smart cities aliado à mobilidade urbana. REVISTA HUM@NAE, v. 10, n. 1, 2016.

AMORIM FILHO, O.; SERRA, R. V. Evolução e perspectivas do papel das cidades médias no planejamento urbano e regional. Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERTINI, R. L. You are the traffic jam: an examination of congestion measures. In: MEETING OF THE TRANSPORTATION RESEARCH BOARD, 85., 2005, Washington, DC, Estados Unidos. Anais... Washington, DC, Estados Unidos, 2005.

BOARETO, R. A política de mobilidade urbana e a construção de cidades sustentáveis. Revista dos Transportes Públicos, ANTP, p. 143-160, 2008.

BRASIL. Lei Federal nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Disponível em: . Acesso em: 2 maio 2018

______. Lei nº 12.587, de 03 de janeiro de 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e dá outras providências. Brasília. 2012. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2018.

______. Ministério das Cidades. PlanMob: construindo a cidade sustentável. Caderno de Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade Urbana, 2007.

_______. Ministério das Cidades, Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade

Urbana. Mobilidade e Política Urbana: Subsídios para uma Gestão Integrada. Coord:

Lia Bergman e Nidia Inês Albesa de Rabi. Rio de Janeiro: IBAM: Ministério das Cidades,

CASTRO, C. M. S. E.; BARBOSA, H. M.; OLIVEIRA, L. K. de. Análise do potencial de integração da bicicleta com o transporte coletivo em Belo Horizonte. J. Transp. Lit., Manaus, v. 7, n. 2, p. 146-170, abr. 2013.

COLEMAN, J.S. Snowball sampling: Problems and techniques of chain referral sampling. Human Organization. v.17, 1958 p. 28-36.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Porto Alegre: Bookman, 2005.

COHN, Amélia. Políticas Sociais e Pobreza no Brasil. In: Planejamento e Políticas Públicas, nº 12, jun/dez de 1995, pp. 1-19.http://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/article/view/138/140

CRUZ, M. F. Condicionantes metropolitanos para políticas públicas: análise dos transportes coletivos na Região Metropolitana de São Paulo (1999-2009). 2010. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – FGV, São Paulo - SP, 2010.

DOWNS, A. Still stuck in traffic: coping with peak-hour congestion. Washington: Brookings Intitution Press, 2004.

DUARTE, Fábio; LIBARDI, Rafaela; SÁNCHEZ, Karina. Introdução à mobilidade urbana. Curitiba: Juruá, 2008.

FERRAZ, A. C. P.; TORRES, I. G. E. Transporte Público Urbano. Rima, São Carlos, 2004.

FORTALEZA 2040. Plano Fortaleza 2040. Disponível em: . Acesso em: 2 maio 2018.

FRASER, M.; GONDIM, S. M. Da fala do outro ao texto negociado: discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia, v. 14, n. 28, p. 139-152, 2004.

GODOY, A. S. A pesquisa qualitativa e sua utilização em Administração de Empresas. Rev. Adm. Empres., v. 35, n. 4, 1995.

GODOY, A. A. Estudo de caso qualitativo. In: BARBOSA DA SILVA, A.; GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELHO, R. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: Paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

GOODMAN, L.A. Snowball sampling. The Annals of Mathematical Statistics. v. 32, 1961. p. 148-170

GOMIDE, A. A. Agenda governamental e o processo de políticas públicas: o projeto de lei de diretrizes da política nacional de mobilidade urbana. Brasília: Ipea, 2008. (Texto para Discussão).

GONDIM, L. M. de P. Pesquisa em ciências sociais: o projeto da dissertação de mestrado. Fortaleza: EUFC, 1999.

GUIMARÃES, G. S. Comentários à Lei de Mobilidade Urbana - Lei nº 12.587/12: essencialidade, sustentabilidade, princípios e condicionantes do direito à mobilidade. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

HAUSNER, J. Wydawnictwo Naukowe Scholar. Warszawa. 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <. Acesso em: 17 jun. 2018.

KINGDON, J. Agendas, Alternatives and Public Policies. Boston: Pearson Education, 2011.

LESSA, C. M. R.; SILVA, G. R.; SILVA, L. M. C. da. Planejamento da mobilidade urbana em municípios de pequeno porte. 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 maio 2018.

MAGALHÃES, A. F; LOPES, C. M.; KOIFMAN, R. J.; MUNIZ, P. T. Prevalência de acidentes de trânsito auto-referidos em Rio Branco, Acre 2015. Revista de Saúde Pública, v.45, n.4, p.738-744, 2015. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011005000031>.

MITCHELL, B. Cidades engasgam com automóveis. Revista Mega Cidades, ago. 2008.

MORAIS, J. S. Proposta de método para avaliação da qualidade do transporte público urbano por ônibus utilizando a teoria das representações sociais. Dissertação (Mestrado). Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

MOURA, L. R. Mobilidade Urbana e Política Pública: uma análise de bicicletas integradas, na perspectiva da sustentabilidade. 2017. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2018.

PLUME. Planning for Urban Mobility in Europe. Synthesis report on urban sustainability and its appraisal. 2013.

ROSS, S. L.; YINGER, J. Timing equilibria in an urban model with congestion. Journal of Urban Economics, v. 47, n. , May 2000.

SALDANHA, L.; FRAGA, C.; SANTOS, M. P. de S. Discussões preliminares sobre Serendip idade, bicicleta e turismo envolvendo a Ilha de Paquetá no Rio de Janeiro (RJ). Caderno Virtual de Turismo, v. 15, n. 3, p. 379-389, dez. 2015.

SANTOS, N. de S. F.; NOIA, A. C. Mobilidade Urbana e Política Pública: uma análise das ações realizadas pelo poder público na cidade de Itabuna, Bahia. 2015. Disponível em: <>. Acesso em: 7 maio 2018.

SIQUEIRA, G. D. P. de. Políticas públicas e as práticas de priorização de Projetos de Mobilidade Urbana com vista ao Desenvolvimento Sustentável. 2017.

SILVERMAN, D. Interpretação de dados qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Porto Alegre: Bookman, 2009.

SPREEN, Marinus. Rare populations, hidden populations and link-tracing designs: what and why?. Bulletin de Méthodologie Sociologique. v. 36, 1992. p. 34-58

STIGLITZ, J. E. The roaring nineties: a new history of the world's most prosperous decade.: WW Norton & Company, 2004.

SUBIRATS, Joan. Definicion del problema. Relevancia pública y formacion de la agenda de actuacion de los poderes públicos. 2006. p. 199-218.

SZARFENBERG, R. Nauki o i dla polityki publicznej: podejścia teoretyczno-metodologiczne [w:] Analiza polityki publicznej, A. Wojciuk (red.). Warszawa: Instytut Badań Edukacyjnych, 2013.

VASCONCELLOS, E. A. Circular é preciso, viver não é preciso: a história do trânsito na cidade de São Paulo. São Paulo: Annablume: Fapesp, 1999.

VEDUNG, E. Public policy and program evaluation. New York: Routledge, 2017.

VERGARA, S. Métodos de pesquisa em administração. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

ZULKIFLI, I.; NORMA, M. T. C.; CHONG, C. H.; LOH, T. C. The effects of crating and road transportation on stress and fear responses of broiler chickens treated with ascorbic acid. Archivfur Geflugelkunde, v. 65, p. 33-37, 2001.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman, 2015.

WILHEIM, J. Mobilidade Urbana, um Desafio Paulistano. Estudos Avançados, v. 27, 2013.

WORLDOMETERS. População Mundial. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2018.

WOŹNICKI, J. Nowa dyscyplina – nauki o polityce publicznej” usytuowana w dziedzinie nauk społecznych. Nauka, n. 1, 2012.

ZYBALA, A. Polityka publiczna wobec teorii i jej praktyki w Polsce. Wrocławskie Studia Politologiczne, n. 15, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-013

Refbacks

  • There are currently no refbacks.