Caracterização físico-química e centesimal do cupuí (theobroma subincanum mart.) / Physical-chemical and centesimal characterization of cupuí (theobroma subincanum mart.)

Natália Ribeiro de Lira, Elizangela Figueiredo dos Santos, Débora Nascimento e Santos, Paulo Gibson Farias Bezerra, Danielle Esthefane Sousa Lima

Abstract


O cupuí (Theobroma subincanum Mart.) é uma espécie silvestre nativa da Amazônia, pertence à família Malvaceae e é encontrada em florestas de terra firme. Embora tenha menor importância econômica que Theobroma cacao (cacau) e Theobroma grandiflorum (cupuaçu), o fruto é apreciado pela população local. O objetivo deste estudo foi avaliar a composição físico-química e centesimal de frutos do cupuí procedentes da Ilha do Marajó, estado do Pará, Brasil. Foram analisadas as características físicas do fruto, peso, comprimento, diâmetro, rendimento e cor. Além disso, foi analisada a composição físico-química da polpa em termos de pH, acidez total titulável, sólidos solúveis totais, atividade de água, vitamina C, cálcio e fósforo. Para análise centesimal, foram analisadas a umidade (em base úmida), cinzas, proteína bruta total, lipídeo total, açúcares redutores e valor energético total. Os frutos apresentaram peso médio de 186,45 ± 19,95 g, comprimento 10,11 ± 1,11 cm e diâmetro 6,28 ± 0,52 cm. O rendimento de polpa para as amostras analisadas foi de aproximadamente 10% da massa total, sendo 60,69% correspondente as cascas e 27,05% as sementes. A coloração média dos frutos foi identificada como levemente amarela. As amostras apresentaram pH médio de 3,72 ± 0,04 e acidez total titulável de 5,37 ± 0,12 g de ácido cítrico/100 g de parte comestível (PC). A polpa apresentou um teor de sólidos solúveis totais de 14,73 ± 0,50 °Brix. A atividade de água foi de 0,94 ± 0 e vitamina C de 19,05 ± 2,56 mg de ácido ascórbico por 100 g de PC. Não foram encontrados valores significativos para cálcio e fósforo. Quanto à caracterização centesimal, foram encontrados teores de cinzas de 1,3%, a umidade em base úmida foi de 85,4% ± 0,12. O teor de proteína bruta total e lipídeo total foram de 1,04% ± 0,32 e 1,20% ± 0,09, respectivamente. A polpa apresentou teor de açúcares redutores de 16,32 ± 0,26 g em 100 g/PC e valor energético total de 80,24 ± 33,54 Kcal/100 g de PC. Os valores encontrados na caracterização físico-química e centesimal são semelhantes aos encontrados para outras espécies do gênero Theobroma. Desta forma, este estudo mostrou-se importante a fim de impulsionar o desenvolvimento de novas pesquisas e produtos que utilizem essa matriz vegetal.


Keywords


Fruta amazônica. Theobroma subincanum Mart. Caracterização físico-química. Composição nutricional.

References


Aché, L., & Ribeiro, I. F. (1950). O pH de frutas nacionais. Revista da Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de São Paulo, 4(2), 267-270. https://doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v4i2p267-270.

BERTO, A. et al. Proximate compositions, mineral contents and fatty acid compositions of native Amazonian fruits. Food Research International, v. 77, p. 441–449, nov. 2015.

Brasil, A. S., Sigarini, K. S., Pardinho, F. C., Faria, R. A. P. G., & Siqueira, N. F. M. P. (2016). Avaliação da qualidade físico-química de polpas de fruta congeladas comercializadas na cidade de Cuiabá-MT. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v.38, n. 1. 167-175, Fevereiro 2016. http://www.scielo.br/pdf/rbf/v38n1/0100-2945-rbf-38-1-167.pdf.

Brasil. ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005. O “regulamento técnico sobre a ingestão diária recomendada (IDR) de proteína, vitaminas e minerais”. http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/394219/RDC_269_2005.pdf/2e95553c-a482-45c3-bdd1-f96162d607b3

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/Secretaria de Defesa Agropecuária. (2018, outubro 08). Estabelece os parâmetros analíticos de suco e polpa de fruta e a listagem das frutas e demais quesitos complementares aos padrões de identidade e qualidade já fixados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento através da IN MAPA n° 49, de 26 de setembro de 2018. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Recuperado em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/inspecao/produtos-vegetal/legislacao-1/biblioteca-de-normas-vinhos-e-bebidas/instrucao-normativa-no-37-de-1o-de-outubro-de-2018.pdf

CANUTO, G. A. B; XAVIER, A. A. O; NEVES, L. C; BENASSI, M. de T. Caracterização físico-química de polpas de frutos da Amazônia e sua correlação com a atividade anti-radical livre. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 32, n. 4, p. 1196-1205, dez. 2010. http://www.scielo.br/pdf/rbf/v32n4/AOP12910.pdf.

CARVALHO, J. E. U; MÜLLER, C. H. Biometria e Rendimento Percentual de Polpa de Frutas Nativas da Amazônia. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2005. 3 p. (Embrapa Amazônia Oriental. Comunicado Técnico, 139).

CAVALCANTE, P. Frutas comestíveis na Amazônia. 7 ed. Belém. Museu Paraense Emílio Goeldi. 2010.

COSTA, R. A., LIMA, D. E. S., SOUSA, E. P. LEMOS, D. M. GOMES, F. P. NASCIMENTO, N. M. (2018). Caracterização físico-química de geleia de cupuaçu e açaí (blend) oriundas da região amazônica. In 6º Simpósio de Segurança Alimentar, 94. Gramado-RS. Anais... Organizado por Florencia Cladera Olivera, Roberta Thys, Julio Alberto Nitzke. ISBN online 978-85-89123-07-5. Gramado, RS : SBCTA Regional, RS. https://www.ufrgs.br/sbctars-eventos/ssa6/anais.

CUNHA, M.C.; ALMEIDA, M.B. (orgs.). Enciclopédia da Floresta. São Paulo: Companhia de Letras, 2002. 735p.

DUBOIS, M.; GILLES, K. A.; HAMILTON, J. K.; REBERS, P. A.; SMITH, F. Colorimetric method for determination of sugars and related substances. Analytical Chemistry, Washington-DC, v. 28, n. 3, p.350-356, 1956.

FERRÃO, J.E.M. (2001). Fruticultura tropical: espécies com frutos comestíveis. Lisboa: Instituto de Investigação Científica Tropical.

FERREIRA, F.A.G.; GRAÇA, M.E.S. Tabela de composição de alimentos portugueses. 2.ed. Lisboa: Instituto Superior de Higiene Dr. Ricardo Jorge, 1983.

FREIRE, M. T. A.; FREIRE, C. M.; PETRUS, R. R.; OLIVEIRA, C. A. F. Caracterização físico-química, microbiológica e sensorial de polpa de cupuaçu congelada (Theobroma grandiforum Schum). Brazilian Journal of Food and Technology, v. 12, n. 1, p. 09-16, 2009.

GONÇALVES, M. V. V. A., SILVA J. P. L., MATHIAS, S. P,. ROSENTHAL, A,. & CALADO V. M. A. Caracterização físico-química e reológicas da polpa de cupuaçu congelada (Theobroma grandiflorum Schum). Persp. online: exatas & eng. Campo dos Goytacazes 3 (7) 46 - 53, 2013.https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/109483/1/2014-036.pdf

LORENZI, H., SARTORI, S.F., BACHER, L.B., LACERDA, M.T.C. Frutas brasileiras e exóticas cultivadas (de consumo in natura). São Paulo. Instituto Plantarum de Estudos da Flora. 2006.

LOTTENBERG, A. M. P. Importância da gordura alimentar na prevenção e no controle de distúrbios metabólicos e da doença cardiovascular. Arq Bras Endocrinol Metab, 53(5), 595-607, 2009. http://www.scielo.br/pdf/abem/v53n5/12.pdf.

MATOS, C. B. Caracterização física, química, físico-química de Cupuaçus (Theobroma grandiflorum ( Willd. Ex. Spreng.) Schum.) com diferente formatos. 2007. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal). Universidade Estadual de Santa Cruz – Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal, p. 53, 2007.

NASCIMENTO, W. M. O. DO; CARVALHO, J. E. U. DE. Sensibilidade de sementes de Cupuí (Theobroma subincanum) à redução do grau de umidade e a exposição à baixa temperatura. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 34, n. 3, p. 915–920, set. 2012.

NEVES, L. C. et al. Characterization of the antioxidant capacity of natives fruits from the Brazilian Amazon Region. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 34, n. 4, p. 1165–1173, dez. 2012.

PUGLIESE, A. G.; TOMS-BARBERAN, F. A.; TRUCHADO, P.; GENOVESE, M. I. Flavonoids, proanthocyanidins, vitamin C, and antioxidant activity of Theobroma grandiflorum (Cupuassu) pulp and seeds. Journal of Agricultural and Food Chemistry, 61, 2720-2728, 2013. https://doi.org/10.1021/jf304349u.

ROGEZ, H., BUXANT, R., MIGNOLET, E., SOUZA, J. N. S., SILVA, E. M.,LARONDELLE, Y. (2004). Chemical composition of the pulp of three typical Amazonian fruits: araça-boi (Eugenia stipitata), bacuri (Platonia insignis) and cupuaçu (Theobroma grandiflorum). European Food Research and Technology, 218, 380-884. https://doi.org/10.1007/s00217-003-0853-6.

SANTOS, M. G. Morfometria de frutos e sementes, desenvolvimento pós-seminal e germinação de Theobroma subincanum martius in buchner (malvaceae). 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) – Universidade do Estado de Mato Grosso – Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, p. 69, 2011.

Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. (2011). Tabela Brasileira de composição de alimentos – TACO (versão 2, 2. ed.). Campinas: UNICAMP/NEPA.

VIRGOLIN, L. B.; SEIXAS, F. R. F.; JANZANTTI, N. S. Composition, content of bioactive compounds, and antioxidant activity of fruit pulps from the Brazilian Amazon biome. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, v. 52, n. 10, p. 933–941, 2017.

Zenebon, O., Pascuet, N. S., & Tiglea, P. (2008). Métodos físico-químicos para análises de alimentos. 4 ed. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-451

Refbacks

  • There are currently no refbacks.