As estratégias de ensino por meio das metodologias ativas / Teaching strategies through active methodologies

Andreza Cavalcanti Vasconcelos, Gabrielly Laís de Andrade Souza, Sâmara Aline Brito Brainer, Raianne Monteiro Soares, Luciana Dilane dos Santos Barbosa, Paulo Isaac de Souza Campos

Abstract


A presença das metodologias ativas no processo de ensino remonta a uma aprendizagem significativa que favoreça a formação de pessoas com personalidade inquisitiva, flexível, crítica, capaz de enfrentar incertezas e ambiguidades e de construir novos significados que possibilitem o enfrentamento de mudanças, num processo de busca chamado de aprender a aprender. Um exemplo de metodologia ativa é a sala de aula invertida, um método inovador de ensino que se refere a inversão da lógica de organização da sala de aula. Com isso, os alunos passam a aprender o conteúdo em suas próprias casas, por meio de vídeo-aulas ou outros recursos interativos, como games ou arquivos de áudio. O docente atua esclarecendo as dúvidas, aproveitando também para aprofundar o tema de estudo e estimular discussões e o pensamento crítico dos alunos. A diferença entre a proposta da Sala de Aula Invertida e o modo tradicional de fazer a sala invertida dentro da mesma, é que se utilizarmos os recursos tecnológicos para intermediar esse método, oportunizamos ao aluno as possibilidades de ir em busca de conteúdos em vídeos, em hipertextos, grupos em redes sociais, bibliotecas virtuais, nas entrevistas com especialistas sobre o conteúdo e etc., despertando assim no discente, o interesse e a curiosidade pelo conteúdo. Este estudo tem por objetivo realizar uma revisão integrativa da literatura acerca das estratégias de ensino por meio das metodologias ativas na formação dos discentes.

 


Keywords


Metodologias ativas, Inovação pedagógica, Formação pedagógica.

References


BERBEL, N. A. N. As metodologias Ativas e a da Autonomia de Estudantes.Semina: Ciências sociais e humanas, Londrina, v. 32, n.1, p. 25-40, 2011.

BORGES, T.S; ALENCAR,G. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior.Cairu em Revista. v. 3, n. 04, p. 1 19-143, 2014.

JUNGUES, K.S., BEHRENS, M.A. Prática docente no Ensino Superior: a formação pedagógica como mobilizadora de mudança. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 33, n. 1, 285-317, 2015.

LOPES, J.L. et al. Metodologia da problematização: estratégia de ensino para a aprendizagem do procedimento de terapia intravenosa. Ciência Cuidado e Saúde; V.15, N°1, P. 187-193, 2016.

MARIN, M.J.S et al. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das Metodologias Ativas de Aprendizagem.Revista brasileira de educação médica. V. 34, n 1, p.13 – 20 2010.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem Significativa Crítica. Porto Alegre: Editora de Universidade, p.33-45, 2000.

MOREIRA, H. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2 ed- Rio de Janeiro: Lamparina, p. 96-164, 2008.

RANGEL, M. Métodos de ensino para a aprendizagem e a dinamização das aulas. São Paulo: Papirus, 2007.

PAIVA, M.R.F. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa.SANARE, Sobral , v.15, n.02, p.145-153, 2016.

SANTOS, J.W. et al. Metodologias de ensino aprendizagem em anatomia humana. Ensino Em Revista . Uberlândia, MG. v.24, n.02 , p. 364-386, 2017.

SANTANA, M. V. R. Q. Influência dos processos educacionais com uso de metodologias ativas na mudança de práticas nos processos de trabalho em saúde: uma revisão de 10 anos.2015.148 f. Tese (Mestrado em Saúde Coletiva) – Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa) São Paulo.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.