Comportamento geotécnico de uma Voçoroca localizada no Campus Alto Paraopeba, em Ouro Branco, MG. / Geotechnical behavior of a Voçoroca located on the Campus Alto Paraopeba, in Ouro Branco, MG.

Alanah Alexandra Paiva dos Reis, Amanda Caldeira de Oliveira, Jair Malta do Nascimento Júnior, Juliane Cristina Romualdo, Laís Vieira Romão, Tales Moreira de Oliveira, Vitor Moraes da Cruz

Abstract


 A região do Alto Paraopeba está inserida numa Formação Geológica Geotécnica de grande potencial erosivo e a aproximadamente doze anos, no Campus Alto Paraopeba, da Universidade Federal de São João Del-Rei, cidade de Ouro Branco, Minas Gerais, instalou-se um processo erosivo que atualmente encontra-se no estágio de uma voçoroca, classificada segundo a metodologia de Oliveira (1999) como do tipo II, desconectada. Em consequência deste processo existem riscos potenciais à segurança do Campus inclusive levando à ruptura de uma das pistas de acesso. Com o propósito de entender a gênese e a concepção de um modelo geológico geotécnico para voçoroca, avaliar a estabilidade dos taludes formados pelo aprofundamento da ravinação e levantar a perda média anual de material inconsolidado, desenvolveu-se um estudo geológico da região. Estudou-se um levantamento planialtimétrico, executado por aerofotogrametria, com uso de drone e caracterizou-se o solo local por meio de ensaios de campo e laboratório. Os resultados obtidos mostram que a voçoroca possui em média, uma perda de partículas na ordem de 1580,5m³ por ano. Além disso, o solo presente tem origem em rocha metamórfica gnáissica, apresentando composição amplamente heterogênea. O solo indicou ainda condição de argilas pré-adensadas e comportamento bilinear quando submetido ao ensaio de cisalhamento direto. Esses resultados permitiram entender então, os processos geotécnicos responsáveis pela formação da voçoroca e a sua evolução.


Keywords


Erosão, Voçoroca, Geotecnia, Solo, Meio ambiente, Alto Paraopeba.

References


ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 12007: ensaio de adensamento unidimensional. Rio de Janeiro, 1984.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 6459: determinação do limite de liquidez. Rio de Janeiro, 1984.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 6508: determinação da massa específica. Rio de Janeiro, 1984.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 7180: determinação do limite de plasticidade. Rio de Janeiro, 1984.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 7181: análise granulométrica. Rio de Janeiro, 1984.

ASTM – AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. D3080: standard test method for direct shear test of soils under consolidated drained conditions. West Conshohocken, 2011.

Azevedo, Ú. R.; Machado, M. M. M.; Castro, P. T. A.; Renger, F. E.; Trevisol, A. e Beato, D. A. C. Geoparque Quadrilátero Ferrífero (MG): proposta. In: Schobbenhaus, C.; Silva, C. R. Geoparques do Brasil: propostas. RJ: CPRM, 2012. Cap. 7.

Carvalho, J. C. et al. Erosão em borda de reservatório. Goiânia, Gráfica UFG, 2017. v. 3.

CODAP – CONSÓRCIO PÚBLICO PARA DESENVOLVIMENTO DO ALTO PARAOPEBA. Alto Paraopeba, um dos maiores polos de desenvolvimento do país. Revista CODAP, Conselheiro Lafaiete, edição maio, VFazitto Comunicação e Consultoria Ltda, 2010. 51 p.

DNER – DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. ME 256/94 – Solos compactados por equipamento miniatura-determinação da perda de massa por imersão. 1994

Ferreira, G. A. e Santos, C. M. dos. Estudo de Avaliação da Erosão no Campus Alto Paraopeba, Ouro Branco, Minas Gerais. Trabalho de Conclusão de Curso – Bacharelado em Engenharia Civil. Universidade Federal de São João Del-Rei. Ouro Branco, Minas Gerais. 2015.

Guerra, A. J. J. Experimentos e monitoramentos em erosão dos solos. Revista Departamento de Geografia, São Paulo, v. 16, Universidade de São Paulo 2005. p. 32-37.

Lemes, F. O. A. Relações florísticas, fitossociológicas e aspectos edáficos de comunidades de campos rupestres da Serra do Itacolomi e Serra do Ouro Branco, Minas Gerais. Dissertação de mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais. Universidade Federal de Ouro Preto. Ouro Preto, Minas Gerais. 2009.

Lima, G. C.; Vasconcelos, K. A. V. e Gomes, P. I. M. A. Terrenos Gnáissicos de Alto Grau e Zonas de Sutura. Dissertação de mestrado em Geologia/Geotecnia. Universidade Federal do Pará. Belém, Pará. 2014.

Lima, P. G. Mecanismos de evolução de voçorocas e quantificação dos impactos associados por modelagem matemática: estudo de caso da voçoroca mangue seco, São Gonçalo do Bação (MG). Dissertação de Mestrado em Geotecnia. Universidade Federal de Ouro Preto. Ouro Preto, Minas Gerais. 2016.

Oliveira, M. A. T. Processos erosivos e preservação de áreas de risco de erosão por voçorocas. In: Erosão e Conservação dos Solos - Conceitos, Temas e Aplicações. RJ: Bertrand Brasil, 1999. p. 57-94.

Rocha, E. A. V. Avaliação do processo evolutivo e da dinâmica erosiva: um estudo de caso no município de Ipameri-GO. Dissertação de Mestrado em Geografia. Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, Minas Gerais. 2007.

Souza, R. M. Uso de veículos aéreos não tripulados (VANT) para mapeamento de voçoroca em Ouro Branco, MG, Brasil, e avaliação de perda de solo para proposição de alternativas de tratamento. Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, Minas Gerais. 2018.

Tresse, T. S. Caracterização geotécnica do campo experimental na Universidade Federal de São João Del Rei. Trabalho de Conclusão de Curso – Bacharelado em Engenharia Civil. Universidade Federal de São João Del-Rei. Ouro Branco, Minas Gerais. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-458

Refbacks

  • There are currently no refbacks.