Espaços não formais na formação de professores de ciências: possibilidades pela fotografia / Non-formal spaces in the training of science teachers: possibilities through photography

Rodolfo Brito Lima, Chirla Miranda da Costa, Elinete Oliveira Raposo

Abstract


O objetivo geral deste trabalho foi identificar junto aos alunos de ciências Naturais as potencialidades do ensino de ciências em espaços não formais, mais especificamente o Rio Caeté, Pará, por mediações da fotografia. Esta pesquisa é resultante de trabalhos ao longo da disciplina de Estágio Supervisionado I. Os dados analisados foram apresentações de seminários e transcrição das socializações. A partir do que pudemos observar e considerando as questões levantadas sobre os espaços selecionados, ao se lançarem às reflexões por meio da leitura das fotos, os discentes puderam perceber diversas dimensões no que diz respeito a aspectos ambientais, (evidenciando a degradação), sociais, econômicos, históricos entre outros, de modo a mobilizar a reflexão e uma compreensão crítica do contexto em que estão inseridos.


Keywords


Bacia Hidrográfica do Rio Caeté; Ensino de ciências; Espaços Não formais; Fotografia.

References


ALMEIDA, S.P., PROENÇA, C. E., SANO, S. M., & RIBEIRO, J. F. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: EMBRAPA-CPAC. 1998. 464 p.

ARAÚJO, J. N.; SILVA, C. C.; TERÁN, A. F. A floresta amazônica: um espaço não formal em potencial para o ensino de ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIA, 8, 2011, Campinas. Anais [...] Campinas: VIII EMPEC, 2011.

BOFF, L. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. 16ª. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

BRASIL, Ministério da Educação. Projeto de Desenvolvimento de Ações de Preservação Ambiental na Universidade federal de Ciências da Saúde de Porto alegre – UFCSPA. Porto Alegre: Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, 2009. P 1-24.

BRAUN, I. F. F., Ribeiro, M. C. P., Reis, M. J. C., Piedade, M. S. & Rosterdan, O. F. Transformações ambientais no rio Caeté: uma advertência científica. 1995. 45p. Monografia de Especialização, Universidade Federal do Pará, Bragança, 1995.

CACHAPUZ, A.; GIL-PEREZ, D.; CARVALHIO A.M.P.; PRAIA, J. VILCHES, A. (Orgs.) A necessária renovação do ensino de ciências. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

CAPRA, F. A Teia da Vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. 10ª. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

CARVALHO, I. Educação Ambiental: A formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez Editora, 2004.

DREW, David. Processos interativos homem-meio ambiente. 6ª ed. – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 224p.

ELKINGTON, J. Towards the sustainable corporation: Win-win-win business strategies for sustainable development. California Management Review, v.36, n.2, p.90-100, 1994.

EMBRAPA – EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Práticas de Conservação do Solo e Recuperação de Áreas Degradadas. Rio Branco: MDA, 2003, 32p.

GORAYEB, A. Análise Integrada da paisagem na Bacia Hidrográfica do Rio Caeté- Amazônia Oriental. 2008. 206. Tese de doutorado, Universidade Estadual Paulista, Rio claro, 2008.

GORAYEB, A.; LOMBARDO, M.; PEREIRA, L. Revista de gestão costeira integrada. V. 9, n. 2, p. 59-70, 2009.

HAYDT, Regina Celia C. Curso de Didática Geral. 8ª. ed. São Paulo: Ática, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Disponível em: http.://www.ibge.gov.br/cidadesat. Acesso em: 19 abr 2019.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Em extensão, Uberlândia, V.7, 2008.

KNORST, P. A. R. Educação ambiental: um desafio para as unidades escolares. Unoesc & Ciência – ACHS, Joaçaba, v. 1, n. 2, p. 131-138, jul./dez. 2010.

KRASILCHIK, M. Educação ambiental na escola brasileira – passado, presente e futuro. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 38, n. 12, p. 1958-1961, 1986.

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização Científica no contexto das séries iniciais. Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, v. 3, n. 1. 2001.

MEDEIROS, A. B. D., MENDONÇA, M. J. S. L., SOUSA, G. L. D., & OLIVEIRA, I. P. D. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, set. 2011.

MIKHAILOVA, I. Sustentabilidade: evolução dos conceitos teóricos e os problemas da mensuração prática. Revista Economia e Desenvolvimento, n° 16, 2004.

MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & Natureza. Uberlândia, v. 20, n. 1, p. 111-124, 2008.

PARÁ. Lei n. 6.381, de 25 de Julho de 2001.

Dispõe Sobre a Política Estadual de Recursos Hídricos, instituí o Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos e dá outras providências. Disponível em: http://www.sema.pa.gov.br/interna.php?idconteudocoluna=2087&idcoluna=8&titulo_conteudocoluna=6381>.Acesso em: 12 jun 2019.

PELLIZZARO, P. C. et al. Urbanização em áreas de mananciais hídricos: estudo de caso em Piraquara, Paraná. Cadernos Metrópole, São Paulo, n. 19, pp.221-243, jan./jun.,2008.

QUEIROZ, R. M.; TEIXEIRA, H. B.; VELOSO, A. S.; FACHIN TERÁN, A.; QUEIROZ, A.G. A caracterização de espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 8., 2011. Anais... Campinas, 05 a 09 de dezembro de 2011.

ROGERS, C. R. Tornar-se pessoa. 5. Ed São Paulo: Martins, 2001.

ROSÁRIO, U. Saga do Caeté: folclore, história, etnografia e jornalismo na cultura amazônica da Marujada, Zona Bragantina, Pará. Belém: CEJUP, 2000.

SANTOS, G. O.; HERNANDEZ, F. B. T. Uso do solo e monitoramento dos recursos hídricos no córrego do Ipê, Ilha Solteira, SP. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, p. 60-68, 2012.

SANTOS, M. T. Cenas e cenários das questões socioambientais: mediações pela fotografia. 2012. 101 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas.

SANTOS, S. C. S. Espaços educativos científicos: formal, não formal e informal. In: 6º SIMPÓSIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA, 2016, Manaus. Anais... Manaus: UEA Edições, 2016.

SEVERINO, A. J. Fundamentos ético-políticos da educação no brasil de hoje. 2007.

SHIVA, V. Las Guerras del água: contaminación, privatización y negocio. Barcelona: Icaria Antrazyt, 2004.

SILVA, A. J. P., SILVEIRA, D. P., & VALE, I. N. F. Ocupação humana como principal fator de degradação ambiental da região leste do rio Anil. In: CONGRESSO DE PESQUISA E INOVAÇÃO DA REDE NORTE E NORDESTE DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA, 4, Belém, 2009.

SOARES, T. S. Carvalho, R. M. M. A., VIANA, E. C., & ANTUNES, F. C. B. Impactos ambientais decorrentes da ocupação desordenada na área urbana do município de viçosa, estado de Minas Gerais. Revista Cientifica Eletrônica de Engenharia Florestal, São Paulo, v. 4, n.8, p. 1-14, 2006.

SOARES, S. I. de O.; THEODORO, H. D.; JACOBI, P. R. Governança e Política Nacional de Recursos Hídricos: qual a posição da Gestão das Águas no Brasil? In: IV ENCONTRO NACIONAL DA ANPPAS, Brasília, Anais, Brasília, DF, 2008.

TAMAIO, I. A Mediação do professor na construção do conceito de natureza. Dissertação (Mestrado), FE/Unicamp Campinas, 2000.

UNESCO. Década da Educação das Nações Unidas para um Desenvolvimentos Sustentável, 2005-2014: Documento final do esquema internacional de implementação. Brasília: UNESCO, 2005.

VAITSMAN, D. S.; VAITSMAN, M. S. Água Mineral. Rio de Janeiro: Intersciência, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-454

Refbacks

  • There are currently no refbacks.