CARACTERIZAÇÃO DE PUÉRPERAS DE RISCO PARA DEPRESSÃO PÓS-PARTO

Leiliane Sabino Oliveira

Abstract


RESUMO: Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa, com abordagem de caráter epidemiológico, descritivo do tipo transversal.  Buscou-se identificar os fatores associados ao risco para desenvolvimento da depressão pós-parto em mulheres no puerpério. A coleta de dados foi feita em salas de vacina dos sete distritos sanitários da cidade de Goiânia, Goiás. Participaram da primeira etapa do estudo, 286 puérperas, as quais responderam a formulário sobre dados sociodemográficos, e em seguida aplicada a Escala de Depressão Pós-Parto de Edinburgh, analisadas quanto ao risco para DPP, conforme escore de avaliação da escala. O perfil das entrevistadas foi de primíparas, cor de pele parda, ensino fundamental completo, coabitação com o parceiro, renda familiar acima de um que um salário mínimo. A maioria refere gestação planejada, desejada, e apoiada pelo parceiro por todo o período gravídico puerperal, bem como ausência de histórico de depressão ou DPP na família. Do total de participantes, 13.99% das puérperas apresentaram escore de risco para DPP. Conclui-se que a aplicação da escala de Edinburgh é uma importante  ferramenta a ser utilizada como rotinas para a detecção de potenciais puérperas em risco para DPP.


Keywords


Depressão pós-parto. Período pós-parto. Saúde da mulher.

References


ABDOLLAHI, F.; ETEMADINEZHAD, S.; LYE, M. S. Postpartum mental health in relation to sociocultural practices. Taiwanese Journal of Obstetrics and Gynecology, v. 55, n. 1, p. 76–80, 2016. Disponível em: Acesso em: 10 mai. 2020.

ALVES, S. et al. Preliminary Psychometric Testing of the Postpartum Depression Predictors Inventory-Revised (PDPI-R) in Portuguese Women. Maternal and child health journal, v. 1, p. 1–8, 11 jan. 2018. Disponível em: Acesso em: 14 mai. 2020.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION et al. Diagnostic and statistical manual of mental disorders (DSM-5®). American Psychiatric Pub, 2013. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

ANDRADE, C. DE J.; BENINCASA, M.; BACCELLI, S. M. O vínculo mãe-bebê no período de puerpério: uma análise winnicottiana. Revista do NESME [en linea], v. 14, p. 1–13, 2017. Disponível em: Acesso em: 10 mai. 2020.

BOSKA, G. DE A.; WISNIEWSKY, D.; LENTSCK, M. H. Sintomas depressivos no período puerperal: identificação pela escala de Edinburgh. Journal of Nursing and Health, v. 6, n. 1, p. 38–50, 2016. Disponível em: Acesso em: 10 mai. 2020.

BRASIL, M. DA S. Agenda de compromissos para a saúde integral da criança e redução da mortalidade infantil. Agenda, p. 80, 2004. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

BRASIL. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada. p. 158, 2013. Disponível em: Acesso em: 09 mai. 2020.

CANTILINO, A. et al. Transtornos psiquiátricos no pós-parto. Revista de Psiquiatria Clinica, v. 37, n. 6, p. 288–294, 2010. Disponível em: Acesso em: 09 mai. 2020.

COX, J. L.; HOLDEN, J. M.; SAGOVSKY, R. Edinburgh Postnatal Depression Scale 1 (EPDS) Instructions for using the Edinburgh Postnatal Depression Scale. British Journal of Psychiatry Source Postpartum Depression N Engl J Med, v. 150, n. 3, p. 782–786, 1987. Disponível em: Acesso em: 16 mai. 2020.

CUERO-VIDAL, O. L.; DÍAZ-MARÍN, A. M. Prevalencia de depresión posparto en el Hospital San Juan de Dios, Cali, Colombia. Septiembre-Diciembre, 2011. Revista Colombiana de Obstetricia y Ginecología, v. 64, n. 4, p. 371–378, 2013. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

FIALA, A. et al. Sociodemographic and delivery risk factors for developing postpartum depression in a sample of 3233 mothers from the Czech ELSPAC study. BMC psychiatry, v. 17, n. 1, p. 104, 21 mar. 2017. Disponível em: Acesso em: 10 mai. 2020.

FREITAS, M. E. SOARES DE; SILVA, F. P. DA; BARBOSA, L. R. Analysis of risk factors associated with postpartum depression: integrative review. Rev. Aten. Saúde, São Caetano do Sul, v. 14, n. 48, p. 99–105, 2016. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/312366715_Analise_dos_fatores_de_risco_associados_a_depressao_pos-parto_revisao_integrativa> . Acesso em: 16 mai. 2020.

GREINERT, B. R. M.; MILANI, R. G. Depressão pós-parto : uma compreensão psicossocial. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 17(1), 26-36. São Paulo, v. 17, n. 1, p. 26–36, 2015. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

HARTMANN J. M.; MENDOZA-SASSI R. A.; CESAR, J.A. Depressão entre puérperas: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública. 2017. Disponível em: Acesso em: 09 mai. 2020.

IWATA, H. et al. Predicting early post-partum depressive symptoms among older primiparous Japanese mothers. Japan Journal of Nursing Science, v. 12, n. 4, p. 297–308, 2015. Disponível em: Acesso em: 08 mai. 2020.

JIN, Q.; MORI, E.; SAKAJO, A. Risk factors, cross-cultural stressors and postpartum depression among immigrant Chinese women in Japan. International Journal of Nursing Practice, v. 22, p. 38–47, 2016. Disponível em: Acesso em: 12 mai. 2020.

JOHNSON, A. R. et al. Postnatal depression among women availing maternal health services in a rural hospital in South India. Pakistan Journal of Medical Sciences, v. 31, n. 2, p. 408–413, 2015. Disponível em: Acesso em: 10 mai. 2020.

LIU, S. et al. Risk factors for postpartum depression among Chinese women: Path model analysis. BMC Pregnancy and Childbirth, v. 17, n. 1, p. 1–7, 2017. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

MALDONADO, M. T. Psicologia da gravidez. In: Psicologia da Gravidez. São Paulo: Jaguatirica Digital, 2013. p. 586.

MALISZEWSKA, K. et al. Screening for maternal postpartum depression and associationswith personality traits and social support. A Polish follow-upstudy 4 weeks and 3 months after delivery. Psychiatria polska, v. 51, n. 5, p. 889–898, 29 out. 2017. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

MENEZES, L. et al. Frequência da depressão puerperal na maternidade de um hospital universitário da Região Sul. Enfermeria global, p. 419–429, 2009. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

MUCHANGA, S. M. J. et al. Preconception gynecological risk factors of postpartum depression among Japanese women: The Japan Environment and Children’s Study (JECS). Journal of affective disorders, v. 217, p. 34–41, 1 ago. 2017. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

NETO, L.; RODRIGUES, M. Psiquiatria Básica. In: Psiquiatria básica. 2. ed. Porto Alegre: 2004. p. 412–423.

ÖZCAN, N. K.; BOYACIOĞLU, N. E.; DINÇ, H. Postpartum Depression Prevalence and Risk Factors in Turkey: A Systematic Review and Meta-Analysis. Archives of Psychiatric Nursing, v. 1, n. 4, p. 420–28, 2017. Disponível em: Acesso em: 17 mai. 2020

PORTO, R. A. F.; MARANHÃO, T. L. G.; FÉLIX, W. M. Aspectos Psicossociais da Depressão Pós-Parto: Uma Revisão Sistemática. Id on Line Multidisciplinary and Psycology Journal, v. 11, n. 34, p. 219–245, 2017. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

SHA, T. et al. Influential factors for postpartum depression based on the structural equation model in Kaifu District in Changsha. Journal of Central South University. Medical sciences, v. 42, n. 10, p. 1191–1197, 28 out. 2017. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.

TENDAIS, I. et al. Screening for depression and anxiety disorders from pregnancy to postpartum with the EPDS and STAI. Spanish Journal of Psychology, v. 17, p. e7, 2014. Disponível em: Acesso em: 19 mai. 2020.

THEME FILHA, M. M. et al. Factors associated with postpartum depressive symptomatology in Brazil: The Birth in Brazil National Research Study, 2011/2012. Journal of Affective Disorders, v. 194, p. 159–167, 2016. Disponível em: Acesso em: 18 mai. 2020.

ZAIDI, F. Postpartum Depression in Women: A Risk Factor Analysis. Journal of Clinical and Diagnostic Research, v. 11, n. 8, p. 13–16, 2017. Disponível em: Acesso em: 11 mai. 2020.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.