Perfil da capacidade antioxidante de diferentes polpas de biomassa de bananas verde como prebiótico / Profile of antioxidant capacity of different pulps of green banana biomass as prebiotic

Luana Volkmann Siqueira, Leticia Saifert Picoli, Melissa Paoletti, Belisa Reis Campos, José Luis da Conceição Silva, Luciana Oliveira de Fariña, Juliana Moço Corrêa

Abstract


A crescente demanda por produtos funcionais e o interesse pelas indústrias para a produção desses alimentos, tem impulsionado estudos de produtos capazes de promover benefícios e bem-estar dos consumidores. Estes alimentos, conhecidos como simbióticos, servem para enriquecer a dieta com substâncias prébioticas, ou seja, substâncias não digeridas que ao atingirem o colón são metabolizadas seletivamente por um número limitado de bactérias benéficas, as quais alteram o cólon ao gerar uma microbiota bacteriana saudável e de microrganismos vivos (probióticos) com capacidade de sobreviver à passagem pelo trato gastrointestinal, trazendo melhorias no balanço da microbiota de indivíduos que consumam periodicamente estes produtos. A banana (Musa sp), quando ainda verde, é uma fruta rica em amido resistente (AR), fração de amido que não fornece glicose livre para o organismo e resiste à digestão enzimática no intestino delgado. O amido resistente ao ser fermentado no intestino grosso, principalmente pelas bifidobactérias, produz principalmente, gases e ácidos graxos de cadeia curta, apresentando comportamento semelhante aos da fibra dietética, encontrada nos prebióticos. Apesar dos poucos estudos sobre a biomassa de banana verde, e seu uso em alimentos funcionais, ela apresenta um ótimo potencial benéfico associado às dietas alimentares, por maximizar os efeitos das bactérias ácido láticas, além da propriedade da banana verde como fruta rica em antioxidantes. O objetivo deste trabalho foi analisar a capacidade antioxidante da biomassa produzida com diferentes espécies de banana verde e viabilizar o seu uso como prebiótico para desenvolvimento de simbióticos.

 

 


Keywords


Alimentos funcionais, Bactérias Lácticas, Biomassa, Musa spp, Probióticos.

References


Anjo, D.L.C. (2004) Alimentos funcionais em angiologia e cirurgia vascular. Jornal Vascular Brasileiro 3. 145-154.

Borges, A.M., Lucena, E.M.P. (2009) Caracterização de farinha de banana verde. Ciência e Tecnologia de Alimentos 29. 333-339.

Bortolozo, E.Q., Quadros, M.E.R. (2007) Aplicação de inulina e sucralose em iogurte. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial 1. 37-47.

Champ, M.; Faisant, N. (1996) Resistant starch: Analytical and physiological aspects. Boletim SBCTA 30. 37-43.

Coelho de Souza, D.F.M, Ferreira, C.L.L.F, Coelho de Souza, A.V., Brunoro Costa, N.M., Ybarra, L.M., Azevedo, E.M. (2004) Translocação de Lactobacillus acidophilus em ratos alimentados com dieta rica em colesterol e ácido cólico suplementada com probiótico. Ciência e Tecnologia de Alimentos 24. 522-526.

Coelho, F.M.M.D.C. (2013) Helicobacter pylori - Eficácia da terapêutica [Ubi Thesis]. Covilhã: Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior.

Couto, M.A.Z., Canniatti-Brazaca, S.G. (2010) Quantificação de vitamina C e capacidade antioxidante de variedades cítricas. Ciência e Tecnologia dos Alimentos. 30,15-19.

Gourbeyre, P, Denery, Ourbeyre, P, Bodinier, M. (2011) Probiotics, prebiotics, and synbiotics: impact on the gut immune system and allergic reactions. Journal of leukocyte biology 89. 685-695.

Izidoro, D. R.; Scheer, A. P.; Sierakowski M. R.; Haminiuk C. W.I. (2008). Influence of green banana pulp on the rheological behaviour and chemical characteristics of emulsions (mayonnaises). LWT - Food Science and Technology, 41, 1018–1028.

Larrauri, J.A.; rupérez, P.; saura-calixto, F. D. (1997). Effect of drying temperature on the stabilitity of polyphenols and antioxidant activity of red grape pomace peels. Journal Agriculture and Food Chemistry, 45, 1390-1393.

Lima, M.B., Silva, S.O., Ferreira, C.F. (2012) Banana. Embrapa Mandioca e frutilcultura 2. 1-218.

Morelli, L, Capurso, L. (2012). FAO/WHO guidelines on probiotics: 10 years later. Journal of clinical gastroenterology 46, S1-2.

Neumann, P. (2002) Alimentos saudáveis, alimentos funcionais, fármaco alimentos, nutracêuticos....você já ouviu falar? Higiene Alimentar 14. 19-23.

Oelchlaeger, T.A. (2010) Mechanisms of probiotic actions - A review. International Journal of Medical Microbiology 300. 57-62.

Oliveira, J.S., Pereira, C.A.S. (2013) Avaliação do efeito prebiótico da farinha de banana verde (Musa paradisíaca L.) no crescimento populacional de lactobacilos presentes no trato gastrointestinal de Rattus norvegicus. Cadernos UniFOA 21, 73-79.

Ou, C.C., Ou, T.M., Lu, J.J., Tsai, J.H., Yen, H.W., Chen, M.Y. (2009) Antioxidative Effect of Lactic Acid Bacteria: Intact Cells vs. Intracellular Extracts. Journal of Food and Drug. Anal 17, 210-216.

PBMH & PIF – Programa Brasileiro para a modernização da horticultura & produção integrada de frutas. Normas de Classificação de Banana. (2006). São Paulo: CEAGESP 29. 1-400.

Rufino, M.S.M., Alves, R.E., Brito, E.S., Morais, S.M., Sampaio, C.G., Pérez-Jiménez, J., Saura-Calixto, F.D. (2007) Metodologia científica: Determinação da atividade antioxidante total em frutas pela captura do radical livre DPPH. Comunicado Técnico – Embrapa 127, 1- 4.

Rufino, M. DO S. M. Alves, R. E.; Brito, E. S.; Morais, S. M.; Sampaio, C. de G.; Pérez -Jiménez, J.; Saura-Calixto, F. D. (2007). Metodologia Científica: Determinação da atividade antioxidante total em frutas pela captura do radical livre ABTS. Comunicado Técnico – Embrapa 128, 1- 4.

Schrezenmeir, J, Vrese, M. (2001) Probiotics, prebiotics, and synbiotics-approaching a definition. The American journal of clinical nutrition 73. 361S-364S.

Taipina, M.S., Fonts, M.A.S., Cohen, V.H. (2002) Alimentos funcionais – nutracêuticos. Higiene Alimentar 16. 28-29.

Vrese, M, Schrezenmeir, J. (2008) Probiotics, prebiotics, and synbiotics. Advances in biochemical engineering/biotechnology 111. 1-66 p.

Walzem, R.L. (2004) Functional Foods. Trends in Food Science and Technology 15. 500-518.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-349

Refbacks

  • There are currently no refbacks.