Determinação dos parâmetros cinéticos da enzima beta-galactosidase / Determination of kinetic parameters of beta-galactosidase enzyme

Karla Donato Gomes, Marcos Alexandre Polizelli

Abstract


A lactose é o açúcar presente no leite e seus derivados. A responsável por hidrolisar este substrato é a enzima β-galactosidase, formando glicose e galactose. Através dessa enzima são produzidos diversos produtos como, iogurtes e leites 0% lactose, galactoligossacarídeos e xarope de glicose-galactose. A obtenção experimental dos parâmetros cinéticos da β-galactosidase auxilia na otimização do seu uso na indústria. Com isto, o objetivo deste trabalho é determinar os parâmetros cinéticos da enzima β-galactosidase de Kluyveromyces lactis, em função do pH e da temperatura. Os testes foram realizados em pH 5,8, 6,2 e 6,6 nas temperaturas de 30, 32, 34, 36, 38 e 40°C em concentrações de lactose de 0,02 a 0,1g/L e volume de enzima 10µL, sendo os dois últimos permanecendo constantes. Os resultados indicam que a maior atividade foi conseguida em pH 6,2, temperaturas de 32, 34 e 36°C e concentração de substrato 0,1g/L, nestas condições a enzima hidrolisou 95% da lactose. Foi ajustado o modelo de Michaelis-Menten e obteve-se os valores da constante de Michaelis, Km, e velocidade máxima, Vmáx. Com estes ajustes foram obtidos, Vmáx e Km, em pH 6,2 e temperaturas de 32, 34 e 36°C que são 0,0750g/L.h, 0,0822g/L.h e 0,0786g/L.h e 0,0177g/L, 0,0165g/L e 0,0160g/L, respectivamente, com R2 de 0,920 e 0,940. Os resultados permitem concluir que a temperatura e o pH interferem na atividade da enzima. As temperaturas de 32 a 36°C em pH 6,2, as condições onde há maior efetividade da enzima, com maiores valores de Vmáx e menores valores de Km.

 


Keywords


beta-galactosidase, cinética enzimática, hidrólise, pH, temperatura.

References


ANVISA. RDC nº 53, de 07 de outubro de 2014. Dispõe sobre a lista de enzimas, aditivos alimentares e veículos autorizados em preparações enzimáticas para uso na produção de alimentos em geral. Diário Oficial da União nº 194, Brasília-DF. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/391619/Resolu%25C3%25A7%25C3%25A3 o%2BRDC%2Bn.%2B53_2014_Lista%2Bde%2Benzimas.pdf/680b654b-2bab-4571-a498- d77dd1cec8c4?version=1.0. Acesso em: 16 jun. 2017.

CARMINATTI, C.A. Ensaios de hidrólise enzimática da lactose em reator a membrana utilizando beta-galactosidase Kluyveromyces lactis. Dissertação de pós-graduação em Engenharia química. Universidade Federal de Santa Catarina, 2001.

CAMPBELL, M.K. Bioquímica. Porto Alegre: Artmed Editora, 2000. 3ªed., p. 751.

DEVLIN, T.M.; MICHELACCI, Y.M. Manual de Bioquímica com Correlações Clínicas. São Paulo: Blucher, 2011. p. 396-423.

DIXON, M.; WEBB, E.C. Enzymes. London: Longman Group Limited, 1979. 3ªed.

FOOD INGREDIENTS BRASIL. Enzimas. Disponível em: http://www.revista- fi.com/materias/166.pdf. Acesso em: 16 jun. 2017.

FOGLER, H.S. Elements of Chemical Reaction Engineering. New Jersey: Prentice Hall, 1992. 2ª ed., p. 838.

FURIGO, A.JR.; PEREIRA, E.B. Cinética enzimática. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina, 2001.

KOBLITZ, M.G.B. Bioquímica de alimentos: Teoria e Aplicações práticas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010, p. 55-62.

LEHNINGER, A.L. Bioquímica. São Paulo. 2ª Ed. Vol. 1. p. 127-136. 1976.

MARIOTTI, M.P. Hidrólise da lactose de soro de leite por meio de beta-galactosidase imobilizada. Dissertação (Mestrado em química) – Instituto de química, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2000.

MARIOTTO, J.R. Enzimas. Relatório Técnico, Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

MORITA, T e ASSUMPÇÃO, R. M. V. Manual de soluções, reagentes e solventes: padronização, preparação, purificação com indicadores de segurança e de descarte de produtos químicos, 2ª. edição. São Paulo: Editora Blucher, 2007.

MORIWAC, C.; MATIOLI, G. Influencia da β-galactosidase na tecnologia do leite e na má digestão da lactose. Arquivo de Ciências da Saúde Unipar, Umuarama, v. 4, n. 3, p. 283-290, 2000.

MOTTA, V. T. Bioquímica. 2ª Ed. Editora: MedBook. 2011.

SEGALLA, R. Screening de suportes para imobilização de beta-galactosidases comerciais. Dissertação de mestrado. Universidade regional integrada do alto Uruguai e das Missões – URI ERECHIM, 2015.

SEGEL, I.H. Enzyme Kinectics: Enzyme kinetics: behavior and analysis of rapid equilibrium and steady state enzyme systems. New York: John Wiley and Sons, 1993.

SEVERINSEN, G.S. Analytical methods for rennet characterization. Scienza e tecnica Lattiero-Casearia. V.30, n.2, p. 109-116, 1979.

SHUKLA, T.P. Beta-galactosidase Technology: A solution to the lactose problem. Critical Reviews in Food Technology. V.1, p.325-356, 1975.

SMITH, E.L; HILL, R.L.; LEHMAN, I.R.; LEFKOWITZ, R.J.; HANDLER, P.; WHITE, A. Bioquímica: Aspectos Gerais. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A, 1985.

VIEIRA, A.A.M.T. Estudo da hidrólise enzimática do soro de queijo utilizando as lactases Lactozym e Prozym. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Uberlândia, 2006.

VILLELA, G.G.; BACILA, M.; TASTALDI, H. Bioquímica. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A., 1978.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.