Reutilização de Topsoil: uma solução sustentável na restauração de áreas degradadas / Reduction Topsoil recovery as a measure for recovery of degraded areas

José Roberto Moreira Ribeiro Gonçalves, Fabiano Battemarco da Silva Martins, Ronaldo Machado Correia

Abstract


O mercado de construção civil vem inovando nos métodos de execução de obras, adicionando tecnologia cada vez mais em seus processos, com isso, o país desenvolve-se e cria uma nova perspectiva do mercado. Com os enormes desafios de desenvolvimento também deve-se considerar a questão ambiental. Pois observa-se a necessidade de desenvolver novos métodos que trabalhem em prol da preservação ambiental e que minimizem os impactos causados consciente ou inconscientemente pelo homem. Dentre muitas obras que interferem no meio ambiente, será apresentado a construção de rodovias que apresentam quantidades consideráveis de movimentação de metros cúbicos de camada superficial do solo (Topsoil) para sua execução, em seu início faz-se necessário a retirada da camada superficial do solo em torno de 30 cm de espessura e posteriormente o reaproveitamento do mesmo em áreas degradas como especifica as normas, gerando com este reaproveitamento diversos benefícios, quando aplicados corretamente.


Keywords


Topsoil, Reaproveitamento, Camada fértil do solo, Áreas degradadas, Estradas, Rodovias.

References


ARATO, H. D.; MARTINS, S. V.; FERRARI, S. H. S. Produção e decomposição de serapilheira em um sistema agroflorestal implantado para recuperação de área degradada em Viçosa-MG. Revista Árvore, v.27, p.715-721, 2003.

BEKKER, R.M., BAKKER, J.P., GRANDIN, U., KALAMEES, R., MILBERG, P., POSCHLOD, P., THOMPSON, K., WILLEMS, J.H.. Seed size, shape and vertical distribution in the soil: indicators of seed longevity. Functional Ecology, 12: 834-842, 1998.

BRAGA, A. J. T.; GRIFFITH, J. J.; PAIVA, H. N.; MEIRA NETO, J. A. A. Composição do banco de sementes de uma floresta semidecidual secundária considerando o seu potencial de uso para recuperação ambiental. Revista Árvore, Viçosa, v.32, n.6, p.1089-1098, 2008.

BRAGA, B. et al. (2005). Introdução à Engenharia Ambiental. O desafio do desenvolvimento sustentável. 2ª Edição. Prentice Hall Brasil. São Paulo/SP. p.126-130.

DENSLOW, J.S.; GOMEZ DIAS, A. E. Seed rain to tree-fall gaps in a neotropical rain forest. Canadian Journal of Forest Research, 20: 642-648, 1990.

FERREIRA, C. A G. et al. Reabilitação de áreas mineradas de bauxita no planalto de Poços de Caldas, MG. In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 3., 1997, Ouro Preto. Trabalhos voluntários MG: SOBRADE/UFV-DPS/DEF, 1997. p.27-35.

GARWOOD, N. C. Tropical soil seed banks: a review. In: LECK, M. A.; PARKER, T. V.; SIMPSON, R. L. (eds.). Ecology of soil seed banks. New York: Academic Press. 1989. p. 49210.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO - IBRAM. Mineração e Meio Ambiente. Brasília, 1992. 111 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS – IBAMA. Manual de recuperação de áreas degradadas pela mineração: técnicas de revegetação. Brasília: 1990. 94-96P.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS – IBAMA. Instrução Normativa nº 4: Elaboração De Projetos De Recuperação De Áreas Degradadas, 2011.

INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL – BRASÍLIA AMBIENTAL. Instrução nº 174: Correta utilização e destinação final do topsoil oriundo de supressão de vegetação nativa no Distrito Federal, 2013.

KAGEYAMA, P.Y. Reflexos e potenciais da resolução SMA-21 de 21/11/2001 na conservação da biodiversidade específica e genética. 2003p. 7-12. In: Seminário Temático sobre Recuperação de Áreas Degradadas: Avanços obtidos e perspectivas futuras. Anais...São Paulo,165p.

MOREIRA, P. R. Manejo de solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, Poços de Caldas, MG. 2004. 139p. Dissertação (Doutorado em Biologia) - Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2004.

NAVE, A. G. Banco de sementes autóctone e alóctone, resgate de plantas e plantio de vegetação nativa na Fazenda Intermontes, Município de Ribeirão Grande, SP. 2005. 219p. Dissertação (Doutorado em Recursos Florestais)-Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2005.

ODUM, E.P. Fundamentos de ecologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulberkian. 5ª ed.

PETERSEN, S.L.; ROUNDY, B.A.; BRYANT, R.M. Revegetation methods for high-elevation roadsides at Bryce Canyon National Park, Utah. Restoration Ecology, 12 (2): 248-257, 2004.

RICKLEFS, R.E. A economia da natureza. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 6ª ed.2012.

RODRIGUES, R.R.; GANDOLFI, S. Conceitos, tendências e ações para a recuperação de florestas ciliares. In: RODRIGUES, R.R.; LEITÃO Fº, H.F. Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo: EDUSP, 2001.

ROKICH, D.P.; DIXON, K.W.; SIVASITHAMPARAM, K.; MENEY, K.A. Topsoil handling and storage effects on woodland restoration in Western Australia. Restoration Ecology, 8 (2): 196-208, 2000.

SOUZA, P. A. S.; VENTURINI, N.; GRIFFITH, J. J.; MARTINS, S. V. Avaliação do banco de sementes contido na serapilheira de um fragmento florestal visando recuperação de áreas degradadas. Cerne, v. 12, p. 56-67, 2006.

TACEY, W. H. & GLOSSOP, B. L. Assessment of topsoil handling techniques for reabilitation of sites mined for bauxite within the Jarrah forest of western Australia. The Journal of Applied Ecology, 17(1): 195-201, 1980.

VIANI, R. Uso da regeneração natural (floresta estacional semidecidual e talhões de eucalyptus), como estratégia para produção de mudas e resgate da diversidade vegetal na restauração florestal, Bofete (SP). 188 p.2005. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Universidade de Campinas, Campinas, 2005.

ZHANG, Z. Q., SHU, W. S., LAN, C. Y., WONG, M. H. Soil seed bank as an input of seed source in revegetation of lead/zinc mine tailings. Restoration Ecology, 9 (4): 378-384, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-320

Refbacks

  • There are currently no refbacks.