Intergeracionalidade: reflexões sobre possibilidades que facilitem a convivência entre pessoas idosas e adultos jovens / Intergeracionality: reflections on possibilities that facilitate the living between elderly people and young adults

Cirlene Francisca Sales da Silva, Cristina Maria de Souza Brito Dias, Erideise Gurgel da Costa, Daniely da Silva Dias Vilela

Abstract


As dificuldades de relacionamento entre as gerações de idosos e jovens motivou a realização do presente estudo, que teve como objetivos investigar e descrever possibilidades de intervenções que facilitem a convivência entre idosos e adultos jovens da mesma família. O método de pesquisa utilizado foi o qualitativo, de coorte transversal e com uma amostra por conveniência. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário sociodemográfico e de uma entrevista através do Grupo Focal. Participaram sete idosos (as) com idades entre 62 e 69 anos, e cinco adultos jovens com idades entre 22 e 28 anos, sendo eles três netos (as), dois sobrinhos(as), três avós, três tios(as) e uma mãe. Os resultados foram analisados através da técnica de análise de conteúdo temática e demonstraram como principais possibilidades para facilitar a relação: o adulto jovem priorizar um tempo para dedicar às pessoas idosas, como também, a realização de um processo de conscientização desde a infância sobre o envelhecimento e a importância do relacionamento intergeracional.


Keywords


Intergeracionalidade, Idoso, Adulto Jovem.

References


BRASIL. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE.

Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação, 2018. Recuperado de https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html

BERTHOUD, C. M. E., & BERGAMI, N. B. B. Família em fase de aquisição. In C. M. O. Cerveny & C. M. E. Berthoud (Orgs.). Família e ciclo vital: nossa realidade em pesquisa (pp. 46-71). São Paulo, SP/Brasil: Casa do Psicólogo, 2010.

BORGES, C. D. & SANTOS, M. A. Aplicações metodológicas da técnica de grupo focal: fundamentos metodológicos, potencialidades e limites. Revista da SPAGESP - Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo, 6(1), 74-80, 2005.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Estatuto da Juventude – Lei Nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. Distrito Federal, Brasília/Brasil. Recuperadodehttp://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20112014/2013/Lei/L12852.htmBrasil.

BUTLER, R. Age-ism: another form of bigotry. The gerontologist, 9, 243-246, 1969. CAMARANO, A. A., KANSO, S., & FERNANDES, D. Brasil envelhece antes e pós-PNI. In

A. O. Alcântara, A. A. Camarano & K. C. Giacomin (Eds.), Política Nacional do idoso: velhas e novas questões (pp. 63-103). Rio de janeiro, RJ/Brasil: IPEA, 2016.

CARTER, B. & MCGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a Terapia Familiar. In B. Carter & M. McGoldrick (Orgs.), As mudanças no ciclo de vida familiar (pp. 7-29). Porto Alegre, RS/Brasil: Artes Médicas, 2007.

CÔRTE, B., & FERRIGNO, J. C. Programas Intergeracionais: estímulo à integração do idoso às demais gerações. In E. V. Freitas & L. PY (Orgs.), Tratado de Geriatria e Gerontologia (pp.1526-1534). Rio de Janeiro, RJ/Brasil: Guanabara Koogan, 2016.

COUTO, M. C. P. P., & MARQUES, S. Atitudes em relação ao envelhecimento: vamos falar sobre o idadismo? In D.V.S Falcão, L. F. Araújo & J. S. Pedroso (Orgs.), Velhices: temas emergentes nos contextos psicossocial e familiar (pp. 17-32), 2016. Campinas, SP/Brasil: Alínea.

Deslandes, S. F., Gomes, R., & Minayo, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

Fromm, E. The sane society. New York: Rinehart, 1995.

Ferreira, V. R. P. M. Espiritualidade e religiosidade como recurso de ajustamento psicológico e de bem-estar de idosos de 80 anos ou mais, 2018. (Monografia do curso de Especialização em Gerontologia). Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE/Brasil.

Ferrigno, J. C. A coeducação entre gerações. Revista Brasileira de Educação Física, 20 (5), 67-69, 2006. Recuperado de http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/

Ferrigno, J. C. Apresentação. In C. R. Lima (Org.), Programas Intergeracionais: um estudo sobre as atividades que aproximam as diversas gerações (pp.11-13). Campinas, SP/Brasil: Ed. Alínea, 2008.

Ferrigno, J. C. Coeducação entre gerações. São Paulo, SP: SESC, 2010.

Gatti, B. A. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília, DF: Líber Livro Editora, 2005.

Kind, L. Notas para o trabalho com a técnica de grupos focais. Psicologia em Revista, 10(15), 124-136, 2004.

Krueger, R. A. Focus Groups: a Practical Guide for Applied Research. New-Bury Park: Sage, 1998.

Minayo, M. C. S. O desafio do conhecimento pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo, SP: Ed. Hucitec, 2014.

Minayo, M. C. S. O principal fator para o suicídio do idoso é o isolamento, a solidão. GEPeSP entrevista, 2018. Recuperado de https:// gepesp.org/2018/04/o-principal-fator- para-o-sucicidio-do-idoso-e-o-isolamento-a-solidao-gepesp-entrevista-cecilia- minayo/uncategorized.

Miranda, D. S. Um programa para todas as idades. Caderno Sesc de Cidadania e Intergeracionalidade, 4(8), 4-13, 2013. Recuperado de www.portaldoenvelhecimento.org.br/revista

Moral Jiménez, M. V. Programas intergeneracionales y participación social: la integración de los adultos mayores españoles y latinoamericanos en la comunidad. Universitas Psychologica, 16(1), 1-19, 2017.

Nascimento, A. M. Aspectos da transição para a vida adulta no Brasil, dos filhos adultos que residem com os pais, segundo a Pesquisa sobre Padrões de Vida 1996-1997, 2008. Trabalho apresentado no XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, realizado em Caxambu- MG – Brasil, de 29 de setembro a 03 de outubro de 2008.

Neri, A. L. Palavras-chave em gerontologia. Coleção Velhice e Sociedade. Campinas, SP: Editora Alínea, 2008.

Neves, S. D. O casal e as relações de parentesco por afinidade: os sogros. (Tese de doutorado). Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA/Brasil, 2015.

Nogueira-Martins, M. C. F., & Bogus, C. M. Considerações sobre a metodologia qualitativa como recurso para o estudo das ações de humanização em saúde. Saúde e Sociedade, 13(3), 44-57, 2004.

Oliveira, A. L. Envelhecimento, apoio social e programas intergeracionais. In V Congresso A voz dos Avós: Família e Sociedade, Anais do V Congresso “A voz dos Avós: Família e Sociedade”. Salvador, Bahia, 2017.

Oliveira, G. C. A. S. Percepção dos vínculos e relacionamento entre netos adultos e seus avós (Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica). Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE/Brasil, 2015.

Oliveira, A. L., Villas-Boas, S., & Ramos, M. N. Envelhecimento, apoio social e programas intergeracionais: um estudo sobre atividades de voluntariado. In L.V.C. Moreira, E. P.

Rabinovich & C. M. S. B. Dias (Orgs), A voz dos avós: família e sociedade (pp.259-269). Curitiba/PR/Brasil: Ed. CRV, 2017.

Osório, L. C. Como trabalhar com sistemas humanos: grupos, casais e famílias, empresas.

Porto Alegre, RS: Artmed, 2013.

Papalia, D. E., & Feldman, R. D. Desenvolvimento humano. Porto Alegre/RS: AMGH, 2013.

Pires, L. L. A. Envelhecimento, tecnologias e juventude: caminhos percorridos por alunos de cursos de informática e seus avós. Estududos Interdisciplinares e Envelhecimento, 18(2),293-309,2013.Recuperado de http://www.seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/view/34181

Rabinovich, E. P.; Moreira, L. V. C., Franco, A. F. Papéis, comportamentos, atividades e relações entre membros da família baiana. Psicologia & Sociedade, 24(1), 139-149, 2012.

Rabinovich, E. P.; Franco, A. F.; Moreira, L. V. C. Compreensão do significado de família por estudantes universitários baianos. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 12(1), 260- 273, 2012.

Sánchez, M. G., & Torrano, D. H. Los beneficios de los programas intergeneracionales desde la perspectiva de los profesionales. Pedagogia Social. Revista Interuniversitaria, 21, 213-235, 2013.

Silva, C. F. S., & Dias, C. M. S. B. Violência contra idosos: características e enfrentamento. In D.V.S. Falcão, L. F. Araújo & J. S. Pedroso (Orgs.), Velhices: temas emergentes nos contextos psicossocial e familiar (pp. 209-228). Campinas, SP/Brasil: Alínea, 2016.

Silva, H. S., & Junqueira, P. G. Reflexões e narrativas (auto)biográficas sobre as relações intergeracionais: resultados de uma intervenção socioeducativa com mulheres idosas. Psicologia & Sociedade, 25(3), 559-570, 2013.

Silva, M. M. L. A contribuição dos tios na vida escolar dos sobrinhos, em uma escola pública de um bairro da periferia de Salvador (Dissertação de Mestrado). Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA/Brasil, 2018.

Silva, M. R., & Piccinini, C. A. Sentimentos sobre a paternidade e o envolvimento paterno: um estudo qualitativo. Estudos de Psicologia, 24(4), 561-573, 2007.

Torres, K. A., & Dias, C. M. S. B. A relação entre avós, idosos e netos por meio das novas tecnologias de informação e comunicação. In L.V.C. Moreira, E. P. Rabinovich & C. M. S.

B. Dias (Orgs), A voz dos avós: família e sociedade (pp.133-144). Curitiba/ PR/Brasil: Ed.CRV, 2017.

UNESCO. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Distrito Federal, Brasília: UNESCO BID, 2002. Recuperado de http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001271/127138por.pdf




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-298

Refbacks

  • There are currently no refbacks.