Avaliação da perda da sensibilidade protetora plantar como diagnóstico precoce da neuropatia diabética / Evaluation of loss of protective plantar sensitivity as early diagnosis of diabetic neuropathy

Thaynara Tavares Oliveira Ramos, Maria Cecília Queiroga dos Santos, Brenda Sales Lins, Érick Cristóvão Araújo de Melo, Sheila Milena Pessoa dos Santos, Juliana Andreia Fernandes Noronha

Abstract


A neuropatia diabética é uma das complicações mais prevalentes do Diabetes Mellitus (DM), apresentando-se como uma afecção do sistema nervoso periférico. As principais manifestações clínicas da neuropatia são parestesia, dor em forma de queimação, pontada, choque ou agulhada em MMII, hiperestesia, diminuição ou perda da sensibilidade protetora plantar, térmica ou dolorosa, que se não diagnosticadas precocemente podem ocasionar o surgimento de lesões e evoluir para amputações. Esse estudo tem como objetivo avaliar a perda da sensibilidade protetora plantar em pessoas com diabetes mellitus tipo 2. Trata-se de um estudo transversal, exploratório e descritivo com abordagem quantitativa, realizado no ambulatório de endocrinologia do hospital referência do município de Campina Grande - PB, utilizando uma amostra de 30 pacientes. Para análise estatística do presente estudo, foi utilizado o teste Qui-quadrado, ou o teste exato de Fisher, que considerou como significativo os valores p≤0,05. Quando aos resultados, foi evidenciado uma prevalência de 53,3% de perda da sensibilidade protetora plantar. Quando associadas a perda da sensibilidade protetora plantar, as variáveis pressão arterial sistólica (p= 0,027) e tabagismo (p= 0,037), rachaduras e fissuras (p=0,033), micose ungueal (p=0,014), e pulso tibial esquerdo (p=0,027) foram significativas. Desse modo, conclui-se que existe uma alta prevalência da perda da sensibilidade protetora plantar na pessoa com diabetes mellitus. O resultado desse estudo é de extrema importância, pois a partir desse conhecimento a equipe de saúde pode planejar estratégias de prevenção de agravos e promoção da saúde, de modo a estimular nesse público à pratica do autocuidado, garantindo assim uma boa qualidade de vida e diagnosticando precocemente a neuropatia diabética, prevenindo futuras complicações com o pé diabético.

 

 


Keywords


Diabetes Mellitus, Neuropatias Diabéticas, Pé diabetico.

References


AMERICAN DIABETES ASSOCIATION et al. 12. Older adults: standards of medical care in diabetes—2019. Diabetes Care, v. 42, n. Supplement 1, p. S139-S147, 2019.

ÁVILA, L.B. de; Avaliação do pé de idosos para formulação de uma proposta de autocuidado. 2018. 37 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.

BAKKER, K. et al.; The 2015 IWGDF guidance documents on prevention and management of foot problems in diabetes: development of an evidence-based global consensus. Diabetes Metab Res Ver., v. 32, Suppl 1, p. 2-6, jan. 2016.

BOULTON, A. J. M.; Diabetic neuropathy and foot complications. Handbook of Clinical Neurology. Estados Unidos: v. 126, n. 3, 2014.

BRINATI, L. M., et al.; Prevalência e fatores associados à neuropatia periférica em indivíduos com diabetes mellitus. Rev Fund Care Online. 2017 abr/jun; 9(2):347-355

DIAS, S., M.,et al. Níveis de conhecimento de pacientes diabéticos sobre a Diabetes Mellitus tipo II. Revista Interdisciplinar, v. 11, n. 3, p. 14-21, 2018.

Federação Internacional de Diabetes. Atlas de Diabetes da IDF, 9a edn. Bruxelas, Bélgica: 2019. Disponível em: https://www.diabetesatlas.org

FIGUEIREDO, É., O., C., et al. Avaliação do grau de risco para pé diabético em indivíduos com diabetes mellitus tipo 2. Rev. enferm. UFPE on line, v. 11, n. supl. 11, p. 4692-4699, 2017.

FONSECA, A., A., Caracterização da dor relacionada à neuropatia em portadores de Diabetes Mellitus tipo 2 em atenção primária. 2016. [54] f., il. Monografia (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Ceilândia, 2016.

GOIS, C., O., et al. Perfil dos portadores de diabetes mellitus atendidos em farmácias particulares de Sergipe, Brasil. Scientia Plena, v. 13, n. 11, 2017.

GUZHÑAY, O., DAVID, C., ZEA P., JULIO A. Prevalencia de neuropatía periférica de miembros inferiores en pacientes con diabetes mellitus tipo 2, Hospital José Carrasco Arteaga, Cuenca, 2016. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidad del Azuay.

ISER, B., P., M., et al. Prevalência de diabetes autorreferido no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, p. 305-314, 2015.

MAGALHÃES, A., J., F., Abordagem Temática da Gravidade da Neuropatia Periférica em Doentes Diabéticos. 2015.

MELLO, R., F., A., PIRES, M., L., E., KEDE, J., Ficha de avaliação clínica de membros inferiores para prevenção do pé diabético Clinical evaluation form of lower members for diabetic foot prevention. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 9, n. 3, p. 899-913, 2017.

MOREIRA, S. F. DA; DONATO, KELVIA; SILVA, L. E.; LIMA, K. L.; PELAZZA, B.; BORGES, C.; BENITE-RIBEIRO, S. AVALIAÇÃO DOS FATORES RELACIONADOS À ADESÃO DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS AO TRATAMENTO. Itinerarius Reflectionis, v. 14, n. 4, p. 01 -19, 7 dez. 2018.

NETO, M., O., et al. Avaliação do autocuidado para a prevenção do pé diabético e exame clínico dos pés em um centro de referência em diabetes mellitus. Journal of Health & Biological Sciences, v. 5, n. 3, p. 265-271, 2017.

PARISI, M. C. R.; A síndrome do pé diabético fisiopatologia e aspectos práticos. 2015.

PIMENTEL, T., S.,; MARQUES, D., R., S.; ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO CONTROLE DA NEUROPATIA PERIFÉRICA EM PACIENTES PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT, v. 5, n. 2, p. 213, 2019.

SCHMIDT, L., BENETTI, F., AIRES, M., AVALIAÇÃO DO RISCO CARDIOVASCULAR DE PACIENTES DIABÉTICOS TIPO 2/ASSESSMENT OF CARDIOVASCULAR DISEASES RISK ON TYPE 2 DIABETIC PATIENTS. Revista de Pesquisa em Saúde, v. 18, n. 2, 2017.

SMANIOTTO, M. et al. Aspectos epidemiológicos de pacientes com diabetes mellitus em uma unidade básica de saúde na cidade de Chapecó- SC. Biosaúde, Londrina, v. 17, n. 1, 2015.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES (SDB). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2017-2018); Organização José Egidio Paulo de Oliveira, Sérgio Vencio - São Paulo: Editora Clannad, 2019-2020. Disponível em: < https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf>.

TESTON, E., F., et al. Fatores de risco para ulceração no pé de indivíduos com diabetes mellitus tipo 2. Cogitare Enfermagem, v. 22, n. 4, 2017.

TSCHIEDEL, B., Complicações crônicas do diabetes. JBM, v. 102, n.5, p.7-12, set/out, 2014.

VELASCO, M. B., et al,. Actualización en el diagnóstico, tratamiento y prevención de la neuropatía diabética periférica. Angiología, v. 69, n. 3, p. 174-181, 2017.DUTRA, L. M. A. et al.; Assessment of ulceration risk in diabetic individuals. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2018; 71( Suppl 2 ): 733-739. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0337.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-266

Refbacks

  • There are currently no refbacks.