Modelo conceitual teórico sobre percepção cognitiva do ambiente construído / Conceptual theoretical model on cognitive perception of the constructed environment

Adriana Macedo Patriota Faganello, Alfredo Iarozinski Neto

Abstract


Este artigo teve como objetivo investigar os processos pelos quais o indivíduo se apropria do ambiente por meio da percepção cognitiva e se revela por intermédio de sua ação potencial. O resultado foi a construção de um modelo conceitual teórico sobre a percepção cognitiva do ambiente construído com base na epistemologia da teoria da autopoiese, que compreende três pressupostos principais: Ontogenia / Deriva Natural (a construção histórica da vida do sujeito); Conduta (ação do indivíduo no meio); e o Acoplamento Estrutural (conjunto de mudanças que o meio causa na estrutura de um determinado indivíduo e vice-versa), resultando em uma relação circular. No modelo, influências diretas e indiretas formam um sistema autopoiético. A construção de conhecimento sobre os conceitos de percepção cognitiva do ambiente é de fundamental importância, pois a partir desta revisão pode-se buscar o desenvolvimento de uma APO sistêmica, onde não apenas os dados quantitativos sejam considerados, mas realizando uma avaliação mais abrangente com uma abordagem integrativa.


Keywords


Percepção Cognitiva. Autopoiese. APO.

References


EMO B.; AL-SAYED K.; VAROUDIS T. Design, cognition & behaviour: usability in the built environment. International Journal of Design Creativity and Innovation, 4:2, 63-6, 2016.

FABRÍCIO M. M.; MELHADO, S. B. Desafios para integração do processo de projeto na construção de edifícios. Anais.. São Carlos: Arquitetura/EESC-USP, 2001.

FAGANELLO, A. M. P. Estudo sistêmico das inter-relações dos construtos que influenciam a satisfação residencial visando à elaboração de um modelo a partir da percepção cognitiva do indivíduo. 2019. 288 f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Curitiba, 2019.

GUITE, H. F.; CLARKB, C.; ACKRILLC, G. The impact of the physical and urban environment on mental well-being. Journal of the Royal Institute of Public Health, 2006. p. 1117–1126.

KAMARUZZAMAN S.N , et al. Critical Aspects of the Inclusive Environmental for the Well-being of Building Occupant – A Review. MATEC Web of Conferences. 2016.

KÄRNÄ, S. Analysing customer satisfaction and quality in construction: the case of public and private customers. Finland, 2015.

KNEZ, I. et al. Psychological mechanisms in outdoor place and weather assessment: towards a conceptual model. International Journal of Biometeorology, v.53, p. 101-111. 2009.

KOWALTOWSKI, D. C. C. K. et al. Reflexão sobre metodologias de projeto arquitetônico. Ambiente Construído, Porto Alegre, RS, v. 6, n. 2, p. 07-19, abr./jun. 2006.

KOWALTOWSKI, D. C. C. K. et al. Os conceitos de satisfação e valor desejado na avaliação pós-ocupação em habitação social. In: X Encontro Nacional e VII Encontro Latino Americano de Conforto no Ambiente Construído, 2009, Natal.

LENTS, J.; SANTOS, M. F. Ergonomia Cognitiva mediante as necessidades organizacionais. In: VI Colóquio Internacional “Educação e contemporaneidade”. São Cristovão, 2012.

LOPES, I. C. Práticas sociais e percepção do usuário como parâmetros para projetos de arquitetura no interior da habitação de interesse social: estudo de caso no Condomínio Vivendas Belo Vale, Juiz de Fora – MG. 2016. 119 f. Dissertação (Mestrado em Ambiente Construído) – Programa de Pós-Graduação em Ambiente Construído, Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2016.

MATURANA, H. R. VARELA, F. J. A árvore do conhecimento: As bases biológicas do entendimento humano. Campinas: Workshopsy, 1995.

ORNSTEIN, S. W. Avaliação Pós- ocupação (APO) no Brasil, 30 anos: O que há de novo? Revista Projetar - projeto e percepção do ambiente. Natal, v.2, n.2, p. 7-12. 2017.

PIGA B.; MORELLO, E. Experiential Simulation Environmental design studies on perception and simulation: an urban design approach. Ambiances: Environnement sensible, architecture et espace urbain. 2015.

RAPOPORT, A. Human aspects of urban form.: Towards a Man: Environment Approach to Urban Form and Design. 1. ed. Pergamon, 1977. 448 p.

REIS, A. T. L.; LAY M. C. D. Avaliação da qualidade de projetos – uma abordagem perceptiva e cognitiva. Ambiente Construído, Porto Alegre, RS, v. 6, n. 3, p. 21-34, jul./set. 2006.

RHEINGANTZ, P. A. Abordagem experiencial, qualidade do projeto, qualidade do lugar e cultura na atualidade. In: FABRÍCIO, M. M; ORNSTEIN, S. W. (Orgs). Qualidade no Projeto de Edifícios. São Carlos: RiMa Editora, ANTAC, 2010.

RHEINGANTZ, P. A. et al. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Proarq/FAU/UFRJ, 2009.

RIBEIRO, J. A. G.; CAVASSAN, O. As quatro dimensões da relação homem - meio ambiente. Pesquisa em Educação Ambiental. São Paulo, v. 8, n. 2, p. 11- 30, 2013.

SOUZA, E. P. N. de. Qualidade e percepção do ambiente construído: influência nas características psicofisiológicas dos usuários. 2015. 402 f. Tese (Doutorado e, Arquitetura, Tecnologia e Cidade) – Programa de Pó-Graduação em Arquitetura, Tecnologia e Cidade, Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp. Campinas, 2015.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. 1991. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-264

Refbacks

  • There are currently no refbacks.