Simulação Analítica e Numérica do Fluxo em Trincheiras Drenantes para fins de Remediação de Solos / Analytical and Numerical Simulation of Flow in Drainage Trenches for Soil Remediation

Aline Neves da Silva, Guilherme Cunha Maia Nobre, Rosane Cunha Maia Nobre, Manoel de Melo Maia Nobre, Paulo Alencar Pereira

Abstract


Trincheiras drenantes podem ser utilizadas como estratégia de remediação de plumas com origem em sítios industriais. Seis trincheiras drenantes foram instaladas em um sítio industrial entre 2012 e 2017 para compor um sistema de remediação de contaminação por hidrocarbonetos de petróleo. O rebaixamento obtido com a operação dessas trincheiras permitiu delinear zonas de influência para as condições operacionais aplicadas. Na simulação analítica, foi utilizada uma adaptação da formulação de Dupuit-Forchheimer (Custódio & Llamas, 2001). Para trincheiras drenantes parcialmente penetrantes em aquíferos livres, como é o caso deste trabalho, foi utilizada uma equação que considera as variações nas origens da água da trincheira (montante/jusante) e a ausência/presença de gradiente hidráulico regional. Considerando os dados operacionais das trincheiras, foi possível estimar valores de condutividade hidráulica (K) para a região onde se encontram. Os valores de K calculados variaram entre 10-7 e 10-5 m/s. Uma análise numérica/computacional do fluxo de águas subterrâneas (e do rebaixamento causado pelo bombeamento/extração de água nas trincheiras drenantes) foi realizada utilizando o programa Modflow. Diferentes cenários foram considerados para simulações. Para duas épocas climáticas distintas (e vazões), os resultados de rebaixamento promovidos pelas trincheiras (medidos em campo) foram comparados aos dos modelos analítico e numérico, com excelentes ajustes. Os modelos matemáticos utilizados foram úteis na definição de estratégias operacionais na remediação do sítio em questão.


Keywords


Modelos Matemáticos, Trincheiras Drenantes, Equações de Fluxo, Condutividade Hidráulica.

References


Custódio, E.; Llamas, M.R. (2001). Hidrologia Subterrânea, Omega.

Freeze, R.A.; Cherry, J.A. (1979). Groundwater, Prentice Hall.

Leonards, G.A. (1962). Foundation Engineering, McGRAW-HILL.

McDonald, M.G. e A.W. Harbaugh, 1988. “MODFLOW - A Modular Three-dimentional Finite-difference Groundwater Flow Model”. Open-File Report 83-875, Book 6, U.S. Geological Survey, Reston, VA.

Nobre, M. M. M.; Nobre, R. C. M. (2004). Geotecnia do Nordeste . Ed. Universitária UFPE. Cap. 9, p.419. Organizadores: Gusmão, A.D. et al.

Nobre, M. M. M.; Nobre, R. C. M. (2007). Sistema de Contenção Mista para o Controle e Remediação de uma Pluma de POPs Anais VI Congresso Brasileiro de Geotecnia Ambiental (REGEO), Recife/PE. p. 18-21.

Nobre, M. M. M.; Nobre, R. C. M.; Pereira, P. A. (2015). Aplicação da Geotecnia Ambiental no Controle de Fonte e Bio-Remediação de Solo e Águas Subterrâneas Contaminados por Hidrocarbonetos Clorados. Anais 8° Seminário de Engenharia de Fundações Especiais e Geotecnia (SEFE’8), São Paulo/SP.

Pollock, D.W. (1989). MODPATH – A computer program to complete and display pathlines using results from MODFLOW. Open-File Report, 89-381, U.S. Geological Survey, Reston, VA.

Smith, S. A.; Smyth, J. A. (2008). Gravity driven dewatering systems for landfill expansion. Waste Management and the Environment IV. WIT Transactions on Ecology and the Environment, Vol. 109, WIT Press.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-262

Refbacks

  • There are currently no refbacks.