Bioestimulante: uso em produção de mudas e resultados na produção comercial / Bio-stimulating: use in production of changes and results in commercial production

Jussara Carla Conti Friedrich, Fernanda Jaqueline Menegusso, Luciana Sabini da Silva, Norma Schlickmann Lazaretti, Márcia de Moraes Echer

Abstract


Objetivou-se avaliar a influência do uso de bioestimulante na produção de mudas de beterraba e sua produção a campo. Foram realizados dois experimentos, o primeiro em estufa e o segundo a campo no período de abril a julho de 2018. Para o primeiro experimento o delineamento experimental foi de blocos ao acaso (DBC) esquema fatorial 5 x 2 (5 dosagens de produto enraizador: 0, 10, 20, 30 e 40 ml L1 x 2 períodos de aplicação: semanal e diário), com 3 repetições e 5 plantas por repetição. Na produção de mudas, o comprimento radicular apresentou aumento com a aplicação do produto bioestimulante em relação a testemunha, para a variável comprimento da maior folha (cm) a dose foi significativa e a frequência de aplicação também, não apresentando a interação significância. Para o segundo experimento, foram utilizadas as mudas obtidas no primeiro experimento. O delineamento experimental foi o mesmo do primeiro experimento e as mudas transplantadas no mesmo arranjo que estavam na bandeja. Nenhuma aplicação de bioestimulante ocorreu no período. Decorridos 80 dias do transplante foram avaliados os tratamentos quanto a número de folhas, diâmetro e peso de raízes. Foi realizada análise de variância e posteriormente regressão. A utilização do bioestimulante proporcionou um aumento do comprimento da maior folha, além das doses, a frequência de aplicação também exerceu influência sobre as mudas. Na produção obteve-se maior diâmetro de raiz e peso com a aplicação semanal de 40 ml L-1 nas mudas, sendo esta a mais recomendada.

 

 


Keywords


Beta vulgaris L., enraizador, extrato de algas.

References


A.O.A.C. - Association of Official Analytical Chemists. Official Methods of Analysis of AOAC International. Maryland: AOAC, 1997.

ÁVILA, DE. J. et al. Adubação nitrogenada e uso de bioestimulante em cenoura. Magistra, Cruz das Almas, v.28, n. 3, jul. 2016. p.360-368

CALVO, P.; NELSON, L.; KLOEPPER, J. W. Agricultural uses of plant biostimulants. Plant and Soil, Crawley, v. 383, n. 1, 2014. p.3–41,

CARVALHO, M. E. A.; CASTRO, P. R. C. Extratos de algas e suas aplicações na agricultura. Piracicaba: ESALQ, Série Produtor Rural, 2014. 58 p.

CRAIGIE, J. S. Seaweed extract stimuli in plant science and agriculture. Journal of Applied Phycology, Galway, v. 23, n. 3, 2011 p.371–393

DANTAS, A. C. V. L. et al. Effect of gibberellic acid and the bioestimulant Stimulate® on the initial growth of thamarind. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.34, n.1, p.8-14, 2012.

DERNER, R. B.et al . Microalgas, Produtos e Aplicações. Ciência Rural, Santa Maria, v.36, n.6, dez. 2006. p.1959-1967

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL – DERAL. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária. Dezembro de 2019. Disponível em: http://www.agricultura.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2019-09/olericultura_2019_v1.pdf. Acesso: 20 de ab.2020.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed. Brasília, 2013. 353p.

ERIS, A. H. O.; SIRRITEPE, H. O.; SIRRITEPE, N. The effect of seaweed (Ascophyllum nodosum) extract on yield and quality criteria in peppers. Acta Horticulturae, v. 412, 2011. p. 733-737.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. Viçosa: UFV, 2012, 421 p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência & Agrotecnologia, Lavras, v.35, n.6, nov./dez. 2014. p.1039-1042.

FERREIRA, Daniel Furtado. Sisvar: a Guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciênc. agrotec. [online]. 2014, vol.38, n.2

GRANGEIRO, L. C. et al. Acúmulo e exportação de nutrientes em beterraba. Ciência e Agrotecnologia, v.31, 2007. p.267-273.

NEUMANN, E. R. et al. Produção de mudas de batata doce em ambiente protegido com aplicação de extrato de Ascophyllum nodosum. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 35, n. 4, out/dez. 2017. p.490-498.

OLIVEIRA, J.; MÓGOR, G.; MÓGOR, A. Beet productivity due to foliar application of biofertilizers..Cadernos de Agroecologia, Porto Alegre, v. 8, n. 2, nov. 2013. p.1-4.

OLIVEIRA, L. A. A. et al. Uso do extrato de algas (Ascophyllum nodosum) na produção de mudas de maracujazeiro-amarelo. Revista Verde, Mossoró, v. 6, n. 2, abri/jun. 2011. p.1-4.

REPKE, R. A. et al. Efeitos da aplicação de reguladores vegetais na Cultura da alface (Lactuca sativa) crespa var. Verônica e Americana var. Lucy brow. Revista Nucleus, Ituverava, v.6, n.2, p.99-109. 2009.

RIBEIRO, R. F. et al. Bioestimulante na produção de mudas de videira CV. Crimson Seedless. Revista Scientia Agraria, v. 18, n.4, out./dez. 2017. p.36-42.

RÓS, A. B.; NARITA, N.; ARAÚJO, H. S. Efeito de bioestimulante no crescimento inicial e na produtividade de plantas de batata-doce. Revista Ceres, v. 62, 2015. p. 469-474

SERCILOTO, C. M. Extratos de Algas e seus efetiso em frutos e hortaliças. Revista Campo e Negócios – Hortifruti. Agosto de 2018. Versão on line.

SILVA, C. P. et al. Aplicação foliar do extrato de alga Ascophyllum nodosum e do ácido glutâmico no desenvolvimento inicial de crisântemos (Dendranthema morifolium (Ramat.) Kitam.) em vasos. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas, v. 16, n. 2, 2010. p.179-181

SOUZA, R.J. de. et al. Cultura da beterraba: Cultivo convencional e Cultivo orgânico. Lavras: UFLA, 2003. 37p.

TAIZ, L.et al. Fisiologia e desenvolvimento vegetal (6a.ed.). Porto Alegre: Artmed, 2009. 618 p.

TIVELLI, S. W. A. et al. Beterraba: do plantio à comercialização. Campinas: Instituto Agronômico, 2011, 45p.

ZANDONADI, D. B. Bioestimulantes e produção de hortaliças. Embrapa Hortaliças. Artigo de divulgação na mídia. INFOTECA-E, 2018. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1051012/1/EDICAO19b.pdf

Acesso em 03 abril 2020.

WATTHIER, M. SILVA. Et al. Produção de mudas e cultivo a campo de beterraba em sistema orgânico de produção. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável, v.6, n.2, jun. 2016. p.51-57.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-259

Refbacks

  • There are currently no refbacks.