Facilidades e dificuldades no seguimento ambulatorial de crianças de risco / Facilities and difficulties in the ambulatory follow-up of children at risk

Jéssyca Serrão de Oliveira, Moema Teixeira Maia, Karen Lúcia de Araújo Freitas Moreira, Francisco de Assis Coutinho Pontes Júnio, Maria Eduarda Camilo Damião, Adriana Montenegro de Albuquerque, Maria Amélia de Souza, Isolda Maria Barros Torquato

Abstract


Objetivo: analisar as facilidades e dificuldades maternas para seguimento ambulatorial de crianças de risco no programa de follow-up após a alta hospitalar. Método: pesquisa qualitativa e descritiva, realizada com mães de recém nascidos de risco usuários do programa follow-up em hospital da rede pública de João Pessoa (PB). Realizou-se uma entrevista norteada por formulário e os dados analisados por meio da análise temática. Resultados: revelou-se que as mães externaram a programação sistemática das consultas, os atos de acolhimento, a busca ativa das crianças e a dialogicidade com a equipe como aspectos facilitadores para o seguimento ambulatorial; como fatores dificultadores surgiram a sobrecarga física resultantes das tarefas domésticas e cuidado da criança, a falta de apoio da rede familiar, a escassez de recursos financeiros e a insuficiência do tranporte coletivo. Conclusão: constatou-se facilidades e dificuldades maternas para o seguimento ambulatorial de crianças de risco. É preciso maior vigilância dos fatores revelados para prevenir a descontinuidade do tratamento especializado da criança de risco.


Keywords


Assistência ambulatorial; Criança; Desenvolvimento infantil; Perda de seguimento; Mães; Cuidadores.

References


Costa LD, Cura CC, Perondi AR, França VF, Bortoloti DS. Perfil epidemiológico de gestantes de alto risco. Cogitare enferm [Internet]. 2016[cited 2020 Apr 03]; 21 (2):01-08. Available from: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=483653650018

Robles AF. Da gravidez de" risco" às" maternidades de risco". Biopolítica e regulações sanitárias nas experiências de mulheres de camadas populares de Recife. Physis [Internet]. 2015 [cited 2020 Apr 03]; 25:139-169. Avaliable from: http://ref.scielo.org/wpq5gn

Eken MK, Tüten A, Ozkaya E, Dinc E, Senol T, Karatekin G, et al. Evaluation of the maternal and fetal risk factors associated with neonatal care unit hospitalization time. J Matern Fetal Neonatal Med [Internet]. 2016 [cited 2020 Apr 03]; 29(21):3553-7. DOI: 10.3109/14767058.2016.1138466

Gontijo ML, Cardoso AA, Dittz ES, Magalhães LC. Evasão em ambulatório de seguimento do desenvolvimento de pré-termos: taxas e causas. Cad BrasTer Ocup [Internet]. 2018 [cited 2020 Apr 03]; 26(1):73-83. DOI: 10.4322/2526-8910.ctoAO1027

Beleza LO, Ribeiro LM, Paula RAP, Guarda LEDA, Vieira GB, Costa KSF. Profile of at-risk newborns attended by nurses in outpatient follow-up clinic: a retrospective cohort study. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2019 [cited 2020 Apr 03]; 27:e3113. Available from: http://ref.scielo.org/ngks2h

Formiga CKMR, Silva LP da, Linhares MBM. Identificação de fatores de risco em bebês participantes de um programa de Follow-up. Rev CEFAC [Internet]. 2018 May [cited 2020 Apr 03];20(3):333-341. Available from: http://ref.scielo.org/p6jkhv. DOI: 10.1590/1982-021620182038817

Diniz IA, Guimarães BR, Silva JB da, Tavares TS, Duarte ED. Descontinuidade do seguimento ambulatorial de crianças de risco: perspectiva das mães. Esc Anna Nery [Internet]. 2019 [cited 2020 Apr 03];23(2): e20180248. Available from: http://ref.scielo.org/x5xhfb Doi: 10.1590/2177-9465-ean-2018-0248

Nascimento LCN, Souza TV de, Oliveira ICS, Moraes JRMM de, Aguiar RCB de, Silva LF da. Theoretical saturation in qualitative research: an experience report in interview with schoolchildren. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018 Feb [cited 2020 Apr 03];71(1): 228-233. DOI: 10.1590/0034-7167-2016-0616

Minayo, MCS. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 14 ed. São Paulo: Hucitec; 2014

Lemos RA, Veríssimo MLÓR. Development of premature children: caregivers' understanding according to the Bioecological Theory. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015 Dec [cited 2020 Apr 03]; 49(6): 898-906. DOI: 10.1590/S0080-623420150000600004

Silva WR, Lisboa T, Ferrari EP, Freitas KTD, Cardoso FL, Motta NFA, et al. Oportunidades de estimulação motora no ambiente domiciliar de crianças. J Hum Growth [Internet]. 2017 [cited2020Apr03];27(1):8490.Availablefrom:http://www.revistas.usp.br/jhgd/article/view/127659/130109

Dornelas LF, Duarte NMC, Magalhães LC. Atraso do desenvolvimento neuropsicomotor: mapa conceitual, definições, usos e limitações do termo. Rev Paul Pediatr [Internet]. 2015 Mar [cited 2020 Apr 03]; 33(1): 88-103. DOI: 10.1016/j.rpped.2014.04.009

Torquato IMB, Collet N, Forte FDS, França JRFS, Silva MFOC, Reichert APS. Efetividade de uma intervenção com mães para a estimulação de crianças menores de dois anos. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2019 [cited 2020 Abr 03]; 27: e3216. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692019000100390&lng=pt

Espote R, Serralha CA. Escutando as mães: o cuidado ao bebê frente às orientações profissionais/Listening to mothers: the baby care in the view of professional guidelines. Psic, Saúde & Doenças [Internet]. 2018 Ago [cited 2020 Abr 03]; 19(2): 453-467. Available from: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000200022&lng=pt. Doi:10.15309/18psd190222

Viegas APB, Carmo RF, Luz ZMP da. Fatores que influenciam o acesso aos serviços de saúde na visão de profissionais e usuários de uma unidade básica de referência. Saude Soc [Internet]. 2015 Mar [cited 2020 Apr 03]; 24(1):100-112. Available from: http://ref.scielo.org/4x3t5w

Freitas GL de, Sena RR de, Silva JCF e, Castro FFS. Reabilitação de crianças e adolescentes com mielomeningocele: o cotidiano de mães cuidadoras. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2016 [cited 2020 Apr 03]; 37(4): e60310. DOI:10.1590/1983-1447.2016.04.60310

Gomes GC, Nornberg PKO, Jung BC, Nobre CMG, Rodrigues EF, Xavier, DM. Doença crônica na criança: vivências da família no recebimento do diagnóstico. Rev Enferm UFPE [Internet]. 2016[cited 2020 Apr 03];10(6):4837-44. Available from: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/10693/pdf_2000

Aires LCP, Santos EKA dos, Costa R, Borck M, Custódio ZAO. Seguimento do bebê na atenção básica: interface com a terceira etapa do método canguru. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2015 [cited 2020 Apr 03]; 36(spe):224-232. Available from: http://ref.scielo.org/p29gf6

Ravarian A, Vameghi R, Heidarzadeh M, Nariman S, Sagheb S, Nori F, et al. Factors Influencing the Attendance of Preterm Infants to Neonatal Follow up And Early Intervention Services Following Discharge from Neonatal Intensive Care Unit during FirstYear of Life in Iran. Iran J Child Neurol [Internet]. 2018[cited 2020 Apr 03];12(1):67-76. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29379564

Lakshmanan A, Agni M, Lieu T, Fleegler E, Kipke M, Friedlich PS, et al. The impact of preterm birth <37 weeks on parents and families:a cross-sectional study in the 2 years after discharge from the neonatal intensive care unit. Health Qual Life Outcomes [Internet]. 2017 Feb[cited2020Apr03];15(1):38.Availablefrom:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28209168




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-022

Refbacks

  • There are currently no refbacks.