Abordagem biopsicossocial a portadores de insuficiência renal / Biopsycosocial approach to renal insufficient carriers

Carla Cecília da Costa Almeida, Josiel de Sousa Ferreira, Larena Virna Guimarães Souza, Manuela de Sousa Moura Fé, Alana Pires da Silveira Fontenele, Mayara Eugênia da Silva Souza, Maria do Carmo Rocha Pimentel de Oliveira, Valquíria Pereira da Cunha

Abstract


O trabalho objetiva relatar uma experiência a cerca da visão de uma psicóloga no acompanhamento de pacientes renais crônicos que realizam hemodiálise, a fim de abordar os aspectos biopsicossociais da insuficiência renal. Foi aplicado um questionário a uma psicóloga que atende em um Centro Hospitalar em Timon – MA, sob orientação de uma psicóloga docente de Psicologia médica de uma Instituição particular de ensino superior de Teresina. Relatou-se que a questão da humanização do paciente é muito frisada, havendo uma interação multiprofissional voltada para atender as necessidades dos pacientes. Ademais, como o tratamento da hemodiálise é demorado, aumenta o contato entre os profissionais e os pacientes, criando um vínculo entre eles. Portanto, notou-se grande fragilidade e sensibilidade na maior parte dos pacientes submetidos à hemodiálise, que demonstraram necessitar de acompanhamento psicológico profissional, bem como de maior atenção da própria família. Percebeu-se que a equipe de saúde é integrada, e que há uma cooperação entre médico e psicólogo, a fim de suprir as necessidades físicas e psicológicas dos pacientes. Além da compreensão da doença, viu-se que o psicólogo exerce papel importante na manutenção da autoestima do paciente, para que este recupere o bem estar físico e mental, importantes para sua evolução clínica.


Keywords


doença renal crônica; hemodiálise;

References


Cabral, A. S. (2015). Insuficiência Renal. Sociedade Brasileira de Nefrologia. São Paulo –

SP. Costa, F. G., Coutinho, M. D. P. D. L., Melo, J. R. F. D., & Oliveira, M. X. D. (2014).

Rastreamento da depressão no contexto da insuficiência renal crônica. Temas em Psicologia, 22(2), 445-455.

Kurita, G. P., & Pimenta, C. A. D. M. (2003). Adesão ao tratamento da dor crônica: estudo de variáveis demográficas, terapêuticas e psicossociais. Arquivo Neuropsiquiatria, 61(2-B), 416- 25.

Kusumota, L., Rodrigues, R. A. P., & Marques, S. (2004). Idosos com insuficiência renal

crônica: alterações do estado de saúde. Revista Latino-americana de Enfermagem, 12 (3), 525-532.

MADEIRO, A. C., Machado, P. D. L. C., Bonfim, I.M; Braqueais, A.R.; Lima, F. E. T.(2010)

Adesão de portadores de insuficiência renal crônica ao tratamento de hemodiálise. Acta Paulista de Enfermagem. 23(4), 546-51.

Martins, M. R. I.,&Cesarino, C. B. (2005). Qualidade de vida de pessoas com doença renal crônica em tratamento hemodialítico. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 13(5), 670-

Resende, M. C. D., Santos, F. A. D., Souza, M. M. D., & Marques, T. P. (2007). Atendimento psicológico a pacientes com insuficiência renal crônica: em busca de ajustamento

psicológico. Psicologia Clínica, 19(2), 87-99.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-011

Refbacks

  • There are currently no refbacks.