Estratégias adaptativas dos estudantes do interior do estado ao modo de vida Teresinense / Adaptive strategies of students from the interior of the state to the Teresian way of life

Emanuele Leal Da Silva, Jailson Laurindo Sousa, Samyla Martins Da Silva, Marcello de Alencar Silva, Valéria Sena Carvalho

Abstract


 

Ao sair de suas cidades para estudar em uma Instituição de Ensino Superior (IES) na capital de seu estado muitos estudantes enfrentam uma realidade a qual não haviam antes vivenciado. Este artigo teve como objetivo desenvolver uma revisão de literatura referente às estratégias adaptativas de estudantes universitários de cidades do interior do estado piauiense ao modo de vida teresinense. Foram analisados qualitativamente 24 materiais dentre eles artigos, livros e sites, com publicações entre 1991 e 2018, considerando três categorias: as consequências psicológicas com a mudança de cidade, as estratégias de adaptação e as maiores dificuldades vivenciadas. Como resultado foi encontrado que a falta de apoio familiar e das IES propiciam em muitos casos o desenvolvimento de ansiedade, angústia, estresse, depressão, mal-estar, solidão além de tomadas de decisões, assumir novas responsabilidades fazendo com que o estudante que acaba de sair do ensino médio precise adaptar-se o melhor possível.  

 

 


Keywords


Estratégias de adaptação. Estudantes. Modo de vida.

References


ALMEIDA, L. S.; SOARES, C. P. A.; FERREIRA, G. A. J. Adaptação, rendimento e desenvolvimento dos estudantes no ensino superior: construção do questionário de vivências acadêmicas. Repositoruim - Produção científica da Universidade do Minho on-line, Minho, 2000. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2018.

CANHA, J. I. E. Adaptação, saudades de casa e sintomatologia depressiva nos estudantes deslocados. Dissertação (Dissertação em psicologia) – UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. Lisboa, p. 51. 2009.

CARLOS, A. F. A. (org.). Crise Urbana. Coleção Metageografia. São Paulo: Contexto, p.191, 2015.

CERVINSKI, L. F.; ENRICONE, J. R. B. Percepção de calouros universitários sobre o processo de adaptação ao sair da casa dos pais. Perspectiva, Erechim. v.36, n.136, p.101-110, dezembro/2012. Disponível em:. Acesso em: 12 set.2018.

CUNHA, M. A.; ANDRADE, C. S. P. D., Teresina uma cidade quente e acolhedora, Revista Equador (UFPI), Vol. 5, Nº 3 (Edição Especial 02), p .437 – 457, 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2018.

FERRAZ, F. M.; PEREIRA, S. A. A dinâmica da personalidade e o homesickness (SAUDADE DE CASA) dos jovens estudantes universitários. Universidade de Aveiro, psicologia, saúde e doenças, p. 149-164, Portugal, 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2018.

FERREIRA, E. S. D. Ansiedade aos exames em estudantes universitários: Relação com estresse acadêmico, estratégias de coping e satisfação acadêmicas. Escola de Psicologia e Ciências da Vida. Lisbou,2014.

FORATTINNI, P. O. Qualidade de vida e meio urbano: a cidade de são Paulo, Brasil.Revista saúde pública. 25(2):75-86, São Paulo, 1991.

GANDARA, G. S. Teresina: a Capital sonhada do Brasil Oitocentista. História(São Paulo) v.30, n.1, p.90-113, jan/jun 2011.

GIDDENS, A. A Constituição da Sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Documentação do Censo de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

MARTINE, G.; MCGRANAHAN, G. A transição urbana brasileira: trajetória, dificuldades e lições aprendidas. População e Cidade, 2010.

MEYER, R. M. P., Atributos da metrópole moderna. São Paulo, Perspectiva. vol.14 no.4 São Paulo Oct./Dec. 2000.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18 ed.Petrópolis: Vozes, 2001.

NETO, J. D. S. R. et al. Clima urbano, espaços abertos e conforto térmico na cidade de Teresina-Pi: praça João Luis Ferreira e praça da integração. Anais II Jornada de Estudos em Geografia Física, Teresina, Brasil, 25-27 novembro 2014.

OLIVEIRA, C. T. et al. Adaptação Acadêmica e Coping em Estudantes Universitários Brasileiros: Uma Revisão de Literatura. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 15(2), 177-186. jul.-dez. 2014, Vol. 15, No. 2, 177-186.

PINHEIRO, Á. D. P.; MOURA, C. Celebrações: santos e devotos na tradição oral. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 25., 2009, Fortaleza. Anais do XXV Simpósio Nacional de História – História e Ética. Fortaleza: ANPUH, 2009. CD-ROM.

RÊGO, I. N. B. Identidades culturais teresinenses: um estudo da recepção do programa “painel da cidade” da rádio pioneira de Teresina. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2016.

SEABRA, O. C. D. L., Território do uso: cotidiano e modo de vida. São Paulo, CIDADES. V. 1, n° 2, P. 181-206, 2004.

SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DE TERESINA – SEMPLAN. Disponível em: Acesso em 19 set. 2018.

SILVA, E, A, T.; MARTINEZ, A. Diferença em nível de stress em duas amostras:capital e interior do estado de São Paulo. Estudos de psicologia. São Paulo. jan/mar 2005. Disponível em: Acesso em: 20 de Set. 2018.

SOARES, A. B. et al. O impacto das expectativas na adaptação acadêmica dos estudantes no Ensino Superior. Psico-USF, Bragança Paulista, v. 19, n.1,p. 49-60, jan./abril 2014. Disponível em: .Acesso em: 13 Set. 2018.

TEIXEIRA, P. A. M. et al. Adaptação à universidade em jovens calouros. Psicologia Escolar Educacional, vol.12 n°.1 Campinas, Jun. 2008. Disponível em: . Acesso em 21 Set. 2018.

VILHENA FILHO, P. H. G. D. Em busca de uma identidade cultural teresinense. In: SANTANA, R. N. M. de. (Org.). Apontamentos para a história cultural do Piauí. Teresina-PI: FUNDAPI, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-102

Refbacks

  • There are currently no refbacks.