Avaliação do resto ingestão de uma UAN institucional em Fortaleza/ Evaluation of the rest ingestion of an institutional UAN in Fortaleza

Renata Sobreira de Oliveira, Michelle Facundo de Moura, Silvana Mara Prado Cysne Maia, Karina Pedroza de Oliveira, Marta da Rocha Moreira, Bárbara Regina da Costa de O.P. Coutinho, Camila Pinheiro Pereira

Abstract


A quantidade de sobras é um indicador de desperdício, assim como também é um fator que determina a qualidade do serviço de uma UAN e a falta de integração com os clientes. Há vários fatores que podem levar ao aumento de resto ingestão nas UANs, nesse contexto o objetivo dessa pesquisa foi avaliar o índice de resto ingestão e se ele pode estar relacionado às preferências alimentares dos comensais, tendo em vista que algumas preparações são menos aceitas que outras. Este estudo possui uma abordagem quantitativa, de natureza descritiva, foi realizado em uma UAN institucional de Fortaleza – Ce, que fornece diariamente uma média 215 refeições/dia, 135 no almoço e 80 no jantar. A coleta de dados foi realizada ao longo da maior refeição do dia, o almoço, entre os dias 30 de setembro e 11 de outubro de 2019, de segunda a sexta-feira, totalizando 10 dias. A partir dos dados coletados, constatou-se um desperdício relacionado ao resto-ingestão de 37,3Kg de alimentos, representando uma média diária de 3,73kg onde o desperdício total seria capaz de alimentar outros 8 comensais por dia. O dia que teve uma menor quantidade de resto-ingestão foi o dia 08/11/2019, no qual 2,7 Kg foram desperdiçados, onde uma das preparações servidas foi lasanha, que não obteve nenhuma sobra, tanto sobra suja como resto-ingestão. Conclui-se que as combinações e os gostos dos comensais influenciam, visto que nos dias de combinações mais harmoniosas e ao gosto dos comensais, tanto as sobras sujas, como o resto-ingestão foram menores.


Keywords


UAN. Resto-ingestão. UAN institucional.

References


ABREU, Edeli Simoni de; SPINELLI, Mônica Glória Neumann; PINTO, Ana Maria de Souza. Gestão de unidades de alimentação e nutrição: um modo de fazer. 4. ed. São Paulo: Metha Ltda, 2011.

BRASIL. Raúl Osvaldo Benítez. Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura. Perdas e desperdícios de alimentos na América Latina e no Caribe. 2019. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2019.

FURTADO, Claudia Rosi et al. AVALIAÇÃO DO RESTO INGESTA DURANTE CAMPANHA CONTRA O DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS EM DUAS UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO VALE DO TAQUARI – RS. South American Journal: of Basic Education, Technical and Technological. Vale do Taquari-rs, p. 81-94. 02 jun. 2019

NOVINSKI, Ana Paula Fonseca; ARAÚJO, Gesika Cortes; BARATTO, Indiomara. RESTO INGESTA EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO HOSPITALAR NA CIDADE DE PATO BRANCO-PR. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v. 11, n. 66, p.451-458, dez. 2017.

RABELO, Natália de Miranda Luciano; ALVES, Thereza Cristina Utsunomiya. Avaliação do percentual de resto-ingestão e sobra alimentar em uma unidade de alimentação e nutrição institucional. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, Ponta Grossa, v. 10, n. 1, p.2039-2052, jun. 2016. Semestral.

SILVA, Deborah Breda da; SCHAUREN, Bianca Coletti. AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL DO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL. Revista Uningá, Lajeado RS, v. 55, n. 2, p.47-58, abr. 2018.

VAZ, C. S. Restaurantes – Controlando custos e aumentando lucros. Brasília, Ed. LGE, 2006, 196 p.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-076

Refbacks

  • There are currently no refbacks.