Detecção de microrganismos em caixas de delivery à luz da coloração Gram/ Detection of microorganisms in delivery boxes in light of Gram stain

Adriano Pereira Alencar, Getúlio Vasconcelos Fiuza, Silvana Mara Prado Cysne Maia, Karina Pedroza de Oliveira, Marta da Rocha Moreira, Bárbara Regina da Costa de O.P. Coutinho, Camila Pinheiro Pereira

Abstract


As boas práticas de fabricação de alimentos são fundamentais para a segurança microbiológica dos mesmos, sendo atualmente crescente a preocupação das empresas produtoras sobre o tema. Considerando que a contaminação de alimentos pode ser de natureza física, química ou biológica, diversas etapas do processo produtivo, incluindo o transporte de alimentos, devem ser monitoradas. Assim, os manipuladores das caixas de delivery de alimentos devem seguir as boas práticas de manipulação de alimentos. O objetivo deste trabalho foi identificar que tipos de microorganismos estão presentes nas caixas de delivery de uma unidade produtora de alimentos, à luz da coloração Gram. As amostras foram coletadas de três caixas, com uso de swab,  com confecção das placas de Petri, que ficaram em estufa a 37ºC por 24 horas. Em seguida foram realizadas todas as etapas para confecção da lâminas para coloração Gram, apresentando como resultados o crescimento de bacilos, cocos e diplococos, todos Gram positivos. Os principais microorganismos que correspondem aos tipos encontrados e que se relacionam à contaminação de alimentos são o Clostridium botulinum, o Staphylococcus aureus e a Listeria monocytogenes, todos associados a altas frequências de doenças transmitidas por alimentos. Conclui-se que as caixas transportadoras de alimentos possuem microrganismos que podem ser patogênicos para saúde humana. Há necessidade de que os manipuladores das mesmas passem por capacitações de manuseio e higienização de equipamentos, de modo que haja segurança microbiológica no transporte de alimentos até o domicílio dos clientes.

Keywords


microbiologia de alimentos. Boas práticas de fabricação.

References


GUIMARÃES, B.S.; FERREIRA, R.S.; SOARES, L.S. Perfil microbiológico de utensílios em unidade de alimentação e nutrição comercial e institucional de Salvador, BA. Higiene Alimentar, v. 32, 2018. p.284-285.

SÃO JOSÉ, J. F. B. Contaminação microbiológica em serviços de alimentação. Nutrire. v. 37, n. 1, 2012, p. 78-92.

BEZERRA, J.L.M. Visualização bacteriana e colorações. Fortaleza: Imprensa universitária, 2015. 68p.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual integrado de vigilância, prevenção e controle de doenças transmitidas por alimentos. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 158p.

VARGAS, D.S.T.; QUINTAES, K.D. Potencial perigo microbiológico resultante do uso de caixas plásticas tipo monobloco, no armazenamento e transporte de pescados em São Paulo. Cienc. Tecnol. Aliment. Campinas, 23(3), V.3, 2003. p.517-522.

MAIA, I. C. P. et al. Análise da contaminação de utensílios em unidades de alimentação e nutrição hospitalar no município de Belo Horizonte-MG. Alim. Nutr., Araraquara, v. 22, n. 2, p. 265-271, abr./jun. 2011.

SÃO JOSÉ, J. F. B. Contaminação microbiológica em serviços de alimentação. Nutrire. São Paulo,, v. 37, n. 1, abr. 2012. p. 78-92.

COELHO, A.I.M. Contaminação microbiológica de ambientes e de superfícies em restaurantes comerciais. Ciência & Saúde Coletiva, 15(Supl. 1):1597-1606, 2010.

SILVA, N.B.N. et al. Avaliação microbiológica de equipamentos e utensílios utilizados em laticínios da região de rio pomba - MG. Rev. Inst. Latic. Cândido Tostes, Jan/Fev, nº 378, 66, 5:10, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-073

Refbacks

  • There are currently no refbacks.