Contribuições do enfermeiro para a promoção do aleitamento materno/ Contributions of the nurse for the promotion of breastfeeding

Gabriela Bandeira Araújo, Adriana Bastos Fernandes, Anna Carolina Arantes de Oliveira, Emilly Gabriely Ribeiro Gomes, Thaynara Luciana Pereira, Leiliane Sabino Oliveira, Francielle Inácio da Silva, Rosângela Addad Abed

Abstract


O aleitamento materno é o meio mais eficaz para garantir o crescimento saudável do bebê, sendo fundamental para a saúde do binômio mãe e filho. O presente estudo foi realizado com o objetivo de evidenciar a atuação do Enfermeiro em ações educativas, para promoção ao aleitamento materno, e os benefícios desta prática efetiva, elucidando as dificuldades encontradas pelas mães durante a lactação, bem como descrever os riscos inerentes, desencadeados pelo desmame precoce para o binômio mãe e filho. Trata-se de uma revisão integrativa, adotando os descritores aleitamento materno, saúde materno-infantil, cuidados de enfermagem. As buscas ocorreram nas bases de dados na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Scientific Electronic Library (SciELO), e PubMed com seleção entre 2013 a 2018, artigos completos, gratuitos, em português e inglês. Como resultado, foram selecionados vinte e quatro artigos que atenderam aos critérios de inclusão. Nas pesquisas foram evidenciadas as altas taxas de desmame precoce, visto que muitas mães deixam de amamentar exclusivamente até os seis meses de vida, a prematuridade do recém-nascido, a ansiedade, medo e insegurança das nutrizes contribuíram para este fator. Verificou-se a necessidade das ações do enfermeiro em apoiar as nutrizes e estimular o aleitamento materno junto com o apoio dos pais e familiares. Conclui-se que a prática de amamentar deve ser um ato de prazer e dedicação garantindo os benefícios oriundos desta prática para mãe e filho, onde o enfermeiro deverá estimular a amamentação e oferecer apoio emocional frente às dificuldades que podem surgir.


Keywords


Amamentação. Enfermagem. Saúde materno-infantil.

References


ABREU, F. C. P. et al. Aleitamento materno do prematuro em domicílio. Texto & Contexto Enfermagem, v. 24, n. 4, p. 968-975, out./dez. 2015.

ALVES, V. H. et al. Manejo clínico da amamentação: valoração axiológica sob a ótica da mulher-nutriz. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 20, n. 4, out./dez. 2016.

AZEVEDO, A. R. R. et al. Clinical management ofbreastfeeding: knowledge of nurses. Escola Anna Nery – Revista de Enfermagem, v. 19, n. 3, p. 439 – 445, 2015.

BALLARD O., MORROW A. L. Human Milk Composition: Nutrients and Bioactive Factors. Pediatric clinics of North America. v. 60, n.1, p.49-74, 2013.

BAPTISTA, S. S. et al. Manejo clínico da amamentação: atuação do enfermeiro na unidade de terapia intensiva neonatal. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 5, n. 1, p. 23-31, jan/mar. 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 de jan. 2019.

BASTIAN, D. P.; TERRAZZAN, A. C. Tempo de aleitamento materno e os fatores de risco para o desmame precoce. Nutrire Revista Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, v. 40, n. 3, p. 278-286, dez. 2015. Disponível em: Acesso em: 10 de jan. 2019.

BATISTA, M. R. et al. Orientações de profissionais da saúde sobre aleitamento materno: o olhar das puérperas. Journal of Nursing and Health, v. 7, n. 1, p. 25-37, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/7718/7088 Acesso em: 10 de jan. de 2019.

BELO, M. N. M. et al. Aleitamento materno na primeira hora de vida em um Hospital Amigo da Criança: prevalência, fatores associados e razões para sua não ocorrência. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 14, n. 1, p. 65-72, jan./mar. 2014.

BENEDETT, A. et al. A dor e desconforto na prática do aleitamento materno. Cogitare Enfermagem, v. 19, n. 1, p. 136–140, 2014.

BRASIL. Ministérios da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Saúde da Criança: aleitamento materno e alimentação complementar, 2. ed. Brasília, DF, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção à Saúde do Recém-nascido: Guia para os profissionais de saúde. 2. ed. Brasília, DF, 2014.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, 2015. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/banco-de-leite/rede-brasileira-de-bancos-de-leite-humano. Acesso em: 02 de fev. 2019.

COSTA, E. F. G. DA et al. Atuação do enfermeiro no manejo clínico da amamentação: estratégias para o aleitamento materno. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 10, n. 1, p. 217, 2018. Disponível em Acesso em: 06 de fev. 2019.

DERSO, T. et al. Correlates of early neonatal feeding practice in Dabat HDSS site, northwest Ethiopia. International breastfeeding journal, v. 12, n. 1, p. 25, 2017.

EKSTRÖM, A. C.; THORSTENSSON, S. Nurses and midwives professional support increases with improved attitudes-design and effects of a longitudinal randomized controlled process-oriented intervention. BMC pregnancy and childbirth, v. 15, n. 1, p. 275, 2015.

ERCOLE, F. F.; MELO, L. S. DE; ALCOFORADO, C. L. G. C. Integrative review versus systematic review. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, v. 18, n. 1, p. 9–11, 2014.

FERREIRA, G. R.; D'ARTIBALE, E. F.; BERCINI, L, O. Influência da prorrogação da licença maternidade para seis meses na duração do aleitamento materno exclusivo. Revista Mineira de Enfermagem, v. 17, n. 2, p. 398-411, 2013.

FIGUEIREDO, M. C. D. et al. Banco de leite humano: o apoio à amamentação e a duração do aleitamento materno exclusivo. Journal of Human Growth and Development, v. 25, n. 2, p. 204–210, 2015.

IHAC. Iniciativa Hospital Amigo da Criança. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2016/junho/23/LISTA-DE-HOSPITAIS-HAC-2016.pdf; Acesso em: 23 de jan. 2019.

JOLLY, K. et al. Protocol for a feasibility trial for improving breast feeding initiation and continuation: assets-based infant feeding help before and after birth (ABA). BMJ open, v. 8, n. 1, p. 1 - 13, 2018.

MARCHIORI, G. R. S. et al. Saberes sobre processo de enfermagem no banco de leite humano. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 27, n. 2, P. 1-10, 2018.

MARTINS, E. L. et al. Alimentação de crianças que nasceram com baixo peso no primeiro ano de vida. Ciência Cuidado e Saúde, v. 12, n.3, p. 515-521, jul./set. 2013.

MCLACHLAN, H. L. et al. Supporting breastfeeding In Local Communities (SILC) in Victoria, Australia: a cluster randomised controlled trial. BMJ open, v. 6, n. 2, p. e008292, 2015.

MERCADO, N. C. et al. Cuidados e orientações de enfermagem às puérperas no alojamento conjunto. Revista de Enfermagem UFPE online, v. 11, p. 3508-3515, set. 2017. Disponivel em: . Acesso em: 02 fev. 2019.

MONTEIRO, L. S. Razões maternas para o desmame precoce em uma unidade básica de saúde no município de São Bernardo - MA: Monografia (Graduação Em Enfermagem) 63f. Universidade Federal do Maranhão, Maranhão, 2017.

MONTESCHIO, C. A. C.; GAÍVA, M. A. M.; MOREIRA, M. D. S. O enfermeiro frente ao desmame precoce na consulta de enfermagem à criança. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 68, n. 5, p. 869-875, 2015.

PAIVA, C. V. A. et al. Aleitamento materno de recém-nascidos internados: dificuldades de mães com filhos em unidade de cuidados intensivos e intermediários neonatais. Revista Mineira de Enfermagem, v. 17, n. 4, p. 924-939, out./dez. 2013.

PINTO, K. R. T. F. et al. Dificuldades na amamentação: sentimentos e percepções paternas. Journal of Nursing and Health, v. 8, n. 1, p; e1888106, 2018. Disponível em: Acesso em: 12 de fev. de 2019.

PONTES, M. B. DE et al. Banco de leite humano: Desafios e visibilidade para a enfermagem. Texto e Contexto Enfermagem, v. 26, n. 2, p. 1–9, 2017.

RÊGO, R. M. V. et al. Paternidade e amamentação: mediação da enfermeira. Acta Paulista de Enfermagem, v. 29, n. 4, p. 374-380, 2016.

RIDGWAY, L. et al. Breastfeeding support in the early postpartum: Content of home visits in the SILC trial. Birth: Issues in Perinatal Care, v. 43, n. 4, p. 303-312, 2016.

ROCCI, E.; FERNANDES, R. A. Q. Breastfeeding difficulties and influence in the early weaning. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 67, n. 1, 2014.

SANTOS, J. T.; MAKUCH, D. M. V. A prevalência do aleitamento materno exclusivo em crianças de 0 a 6 meses internadas em um hospital pediátrico de Curitiba. Tempus Actas de Saúde Coletiva, v. 11, n. 2, p. 145-158, jan. 2018.

SANTOS, P. V. et al. Desmame precoce em crianças atendidas na Estratégia Saúde da Família. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 20, p. 1-12, 2018. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/43690/25422. Acesso em: 02 de fev. 2019.

SILVA, C. S.; CARNEIRO, M. N. F. et al. Pais pela primeira vez: aquisição de competências parentais. Acta Paulista de Enfermagem, v. 31, n. 4, p. 366-373, 2018.

SILVA, N. M. et al. Conhecimento de puérperas sobre amamentação exclusiva. Revista brasileira de enfermagem. Brasília, v. 67, n. 2, p. 290-295, mar./abr. 2014.

TROJAHN, T. C. et al. Cuidado de enfermagem às mães de recém-nascidos pré-termo para manutenção da lactação: estudo fenomenológico. Revista Mineira de Enfermagem, v. 22, p. 1-6, 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. Guideline: protecting, promoting and supporting breastfeeding in facilities providing maternity and newborn services. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-070

Refbacks

  • There are currently no refbacks.